ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 11º

Interior

Morto em confronto, "Catraca" tinha pelo menos 12 passagens criminais

Gilso tinha 34 anos e morreu na manhã desta sexta-feira em troca de tiros com a Polícia Militar

Ana Oshiro | 07/10/2022 10:19
"Catraca" morreu em troca de tiros com a Polícia Militar nesta sexta-feira (Foto: Redes Sociais)
"Catraca" morreu em troca de tiros com a Polícia Militar nesta sexta-feira (Foto: Redes Sociais)

De desobediência a tentativa de homicídio, Gilso Lucio de Araujo de Souza, de 34 anos, traficante conhecido como "Catraca", morto na manhã desta sexta-feira (7) em Sonora, distante 362 quilômetros de Campo Grande, tinha extensa ficha criminal, de acordo com a Polícia Civil.

"Catraca" já foi preso duas vezes por homicídio simples na forma tentada, outras duas por ameaça com agravante de violência doméstica, além de responder por tráfico de drogas, crimes de furto, roubo, desobediência, direção perigosa, furto qualificado, lesão corporal.

Segundo a polícia, "Catraca" era considerado o líder do PCC (Primeiro Comandado da Capital) na cidade de Sonora, alvo principal da operação realizada nesta manhã. Ao cumprir o mandado, os policiais foram recebidos com tiros e revidaram. Gilso foi atingido e socorrido para o hospital da cidade, mas não resistiu e faleceu.

A arma usada por "Catraca", revólver calibre 38, foi apreendida, na casa dele a polícia encontrou dinheiro vivo, cocaína, celulares e materiais utilizados para o uso de entorpecentes. Segundo a PM, nenhum policial ficou ferido. A operação segue em andamento e mais detalhes serão divulgados em breve pelo delegado Allan Patrick Rodrigues da Cruz.

Nos siga no Google Notícias