A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

05/02/2016 15:59

MPE quer impedir que prefeitura repasse dinheiro a time de futebol

Liana Feitosa

O MPE/MS (Ministério Público do Estado de Mato Grosso do Sul) quer impedir que a prefeitura de Naviraí, a 366 quilômetros de Campo Grande, repasse verba pública para o Clube Esportivo Naviraiense.

Em recomendação publicada nesta sexta-feira (5) no Diário Oficial do órgão, o Ministério Público afirmou que "o repasse de dinheiro público a instituição esportiva privada não configura interesse público primário, mas mero interesse governamental, nem sempre identificado com o interesse da sociedade".

Votação - Tramitava na Câmara Municipal de Vereadores de Naviraí um Projeto de Lei, de 20 de janeiro de 2016, que queria a autorização para que fossem transferidos, dos cofres públicos municipais, até R$ 380 mil ao time de futebol para custeio de despesas de manutenção que vão de medicamentos e alimentação até pagamento de estadias, contas de água, energia e telefone, entre outras despesas. Essa questão foi considerada pelo MPE.

Além disso, o órgão considera que há meses Naviraí está enfrentando "grave situação de dificuldade financeira" devido aos prejuízos causados pelas chuvas, o que tem, inclusive, comprometido a execução de serviços públicos essenciais e investimentos.

Outros problemas - O órgão também acredita que as chuvas aumentam consideravelmente os riscos de proliferação do mosquito Aedes aegypti, vetor transmissor da dengue, zika e chikungunya e que, por isso, são necessários investimentos no combate a essas doenças.

Caso o repasse da prefeitura ao time ocorra, o Ministério Público entende que a cidade estará gastando dinheiro público em atividade não essencial, infringindo, portanto, o princípio da moralidade na administração pública. Com isso, o órgão recomenda que a prefeitura abra mão de repassar verbas e que a Câmara de Vereadores não apoie esse repasse.

Foi dado prazo de cinco dias para que as autoridades municipais informem por escrito à Promotoria de Justiça sobre o acatamento ou não da recomendação.

Prefeito - Ao Campo Grande News o prefeito Leandro Peres de Matos (PV) disse que a questão já foi definida pela Câmara, já que o Projeto de Lei foi recusado na Casa. "Com isso, provavelmente o futebol na cidade está acabado, não por causa da recomendação, mas por causa da não aprovação dos vereadores", afirmou.

"Eu não concordo com a recomendação porque acho que quem é o gestor do município é o prefeito e os vereadores têm autonomia, o MPE não tem que recomendar. Mas é a Câmara que decide, eu só mandei o projeto", completa o prefeito.

Segundo ele, há 7 anos havia convênio entre a prefeitura e o time de futebol, sendo que mais de 50% dos repasses foram reduzidos já no ano passado.

"Fico triste porque acho que não vai ser esse dinheiro (que seria repassado) que vai resolver os problemas da cidade", finalizou.

Polícia carioca pede extradição de traficante preso no Paraguai
A extradição do traficante Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o Marcelo Piloto, preso na cidade de Encarnación, no Paraguai, perto da fronteira com Mat...
Uems recebe inscrições em seleção para cursos de Educação à Distância até dia 22
Seguem abertas até 22 de dezembro as inscrições no processo seletivo de cursos de graduação e pós-graduação, na modalidade EaD (Educação à Distância)...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions