ACOMPANHE-NOS    
MARÇO, SÁBADO  06    CAMPO GRANDE 25º

Interior

Policial é preso por envolvimento na morte de colegas na fronteira

Cipriano Javier Silva Portillo é suspeito de ligação na morte de pelo menos dois policiais paraguaios

Por Helio de Freitas, de Dourados | 25/01/2021 10:26
Jeep Compass usado por policial morto no dia 13 em Pedro Juan Caballero (Foto: Arquivo)
Jeep Compass usado por policial morto no dia 13 em Pedro Juan Caballero (Foto: Arquivo)

O policial paraguaio Cipriano Javier Silva Portillo, 37, foi preso nesta segunda-feira (25) em Pedro Juan Caballero, cidade vizinha de Ponta Porã (MS), a 323 km de Campo Grande. Ele é suspeito de ligação com o crime organizado e teria envolvimento nas execuções de pelo menos dois colegas de farda na Linha Internacional.

Cipriano seria motorista e piloto dos pistoleiros que trabalham para os cartéis da droga na fronteira. Ele é investigado por envolvimento no assassinato do policial Fredy César Díaz, no dia 13 deste mês.

Conduzindo um SUV Jeep Compass, Fredy seguia para o trabalho, no departamento de investigações da Polícia Nacional, quando foi atingido por tiros de pistola 9 milímetros. Ele perdeu o controle da direção e bateu em uma árvore. O policial chegou a ser socorrido, mas morreu em seguida.

Cipriano Javier Silva Portillo foi preso hoje (Foto: Reprodução)
Cipriano Javier Silva Portillo foi preso hoje (Foto: Reprodução)

Na noite de sexta-feira (22), Hugo César Lazarte Arguello, o “Tuka´i”, foi preso em Pedro Juan Caballero como suspeito de ser o pistoleiro que estava na garupa da moto e autor dos tiros contra Fredy Díaz.

A Polícia Nacional ainda não revelou se o policial preso hoje seria o piloto da moto, mas adiantou que Cipriano é suspeito de participação no assassinato de pelo menos outro policial em Pedro Juan.

Ele seria uma espécie de espião dos cartéis dentro da polícia, responsável em identificar colegas policiais empenhados em desvendar crimes na fronteira.

Buscas – Além da prisão de Cipriano Portillo, policiais paraguaios e o promotor Alvaro Rojas fizeram buscas hoje na lanchonete da mãe de Hugo Arguello, preso na sexta-feira, em busca da arma usada no crime e outras evidências ligando o suspeito à execução de Fredy Díaz. O imóvel fica no Jardim Aurora, mesmo bairro onde o policial Cipriano foi preso.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário