ACOMPANHE-NOS    
MAIO, SEXTA  27    CAMPO GRANDE 21º

Interior

Preso por bater na mulher, vereador pede afastamento e hoje vai para presídio

Diego Carcará pediu afastamento de 30 dias e Legislativo ainda analisa se pode convocar suplente

Por Helio de Freitas, de Dourados | 26/01/2022 13:50
Diego Carcará durante passeio de barco no Rio Dourados; vereador está preso. (Foto: Reprodução)
Diego Carcará durante passeio de barco no Rio Dourados; vereador está preso. (Foto: Reprodução)

O vereador Diego Candido Batista (PSD), o “Diego Carcará”, preso desde domingo (23) por violência doméstica contra a mulher e a enteada, pediu afastamento de 30 dias da Câmara de Fátima do Sul, cidade de 20 mil habitantes, localizada a 239 km de Campo Grande.

Em ofício encaminhado ao presidente da Câmara, Emerson Cleber Mendes (PDT), Diego alegou “assuntos de interesse particular” para ficar um mês longe das atividades parlamentares.

A primeira suplente do PSD é a professora Maria Lucélia de Figueiredo Gomes, que recebeu 254 votos nas eleições de 2020. Ela foi diretora da Escola Jonas Belarmino, no distrito de Culturama, sua base eleitoral.

Entretanto, a convocação da suplente para ocupar a cadeira de Diego durante o afastamento ainda não está definida. Ao Campo Grande News, o presidente da Casa disse que o Regimento Interno do Legislativo não prevê convocação de suplente em caso de afastamento inferior a 60 dias. “Estamos aguardando parecer da Procuradoria Jurídica”, afirmou.

Ontem, a Mesa Diretora da Câmara divulgou nota repudiando atos de violência física e moral contra mulheres e se solidarizando com todas as vítimas “dessa chaga social”.

Sobre a prisão de Diego Carcará, a Câmara informou ter solicitado cópia do inquérito policial para a Corregedoria Parlamentar “apurar com rigor” eventuais falhas éticas do vereador. A investigação é conduzida pela Delegacia da Mulher.

Presídio – Recolhido na 1ª Delegacia de Polícia da cidade desde a noite de domingo, Diego deve ser levado ainda hoje para a PED (Penitenciária Estadual de Dourados). Tanto o juiz da cidade quanto o plantão do Tribunal de Justiça negaram liberdade provisória ao vereador.

Dono de corretora de imóveis e vice-presidente da Câmara até 2020, Diego Carcará, 33, foi preso acusado de agredir a chineladas a mulher, de 31 anos de idade, e a enteada, de 12. Segundo a denúncia, ele estava bêbado e derrubou o filho de um ano de vida, motivando a discussão que terminou em agressão física e verbal.

No depoimento à polícia, a mulher disse que era submetida a constantes agressões e ameaças por parte do marido. Ela, que tinha sangramento no tímpano provocado pelos golpes de chinelo, disse que Diego a impedia até mesmo de ter acesso a dinheiro, às contas bancárias e aos documentos pessoais e de veículos do casal.

Nos siga no Google Notícias