A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 19 de Outubro de 2019

01/06/2019 16:47

Quase incomunicáveis por falta de sinal, moradores ficam “isolados”

MP instaurou inquérito para apurar falhas em sinal de celulares de três operadoras no distrito de Anhanduí

Ronie Cruz
Moradores reclamam que chegam a ficar um dia inteiro sem sinal de celular em Anhanduí (Foto: Ronie Cruz)Moradores reclamam que chegam a ficar um dia inteiro sem sinal de celular em Anhanduí (Foto: Ronie Cruz)

Moradores do distrito de Anhanduí têm reclamado de dificuldades na hora de usar aparelho de celular para ligações e acesso à internet, principalmente clientes de três operadoras alvos de três inquéritos instaurados pela 25ª Promotoria de Justiça de Campo Grande. Assinados pelo promotor de Justiça Fabrício Proença de Azambuja, os inquéritos miram as operadoras Tim, Vivo e Claro por causa de eventual ineficiência de sinal de telefonia no distrito a 55 quilômetros da Capital.

Michele de Souza Santos, 22, compra R$ 50 de créditos todo mês, mas diz que não é todo dia que consegue fazer chamada (Foto: Ronie Cruz)Michele de Souza Santos, 22, compra R$ 50 de créditos todo mês, mas diz que não é todo dia que consegue fazer chamada (Foto: Ronie Cruz)

Segundo moradores ouvidos pela reportagem do Campo Grande News, das três operadoras alvos do MP-MS (Ministério Público Estadual), a que fica na pior posição de qualidade de sinal é a operadora Tim. “Aqui na lanchonete eu ouço muita reclamação de quem é cliente da Tim. O meu é vivo. Não faço muitas chamadas. Uso mais pra internet. Mas às vezes dá problema. Fica fora da área. E Daí a gente fica preocupado porque e se cair o sinal numa hora de emergência?”, questiona a comerciante Fernanda Vieira, 32.

Para o professor Joaquim Jacoboski, 58, a situação ficou ainda mais difícil depois que vários orelhões foram retirados, já que serviam como alternativa na hora da necessidade. “Tim não pega aqui. A Oi não pega nem com bomba. E ainda tiraram os orelhões que ficavam espalhados. Agora só restou três”, afirmou acrescentando que a instabilidade pode ter relação com a manutenção das torres de telefonia. “Aqui oscila muito por causa de falta de manutenção”, disse.

MP vai apurar eventuais falhas no sinal da Vivo, Tim e Claro em Anhanduí (Foto: Ronie Cruz)MP vai apurar eventuais falhas no sinal da Vivo, Tim e Claro em Anhanduí (Foto: Ronie Cruz)

A professora Michele de Souza Santos, 22, é cliente pré-pago da Vivo e adquire em média R$ 50 de créditos mensalmente. Mas diz que não consegue usufruir do pacote de chamadas, dados e SMS todos os dias, apesar de pagar pelo pacote por um período completo. “Tem dia que eu fico sem internet, sem torre, sem nada. Mesmo com sinal aparece na tela ‘chamada de emergência’. Semana passada ficou o dia inteiro assim. Fica difícil! A gente precisa fazer ligação e não dá”, reclamou.

Proprietário de uma loja de produtos agropecuários, o empresário Neilton Rocha dos Santos, 26, é outro exemplo de cliente insatisfeito. Ele usa dois aparelhos de celular. Ambos com chip da Vivo. Um pessoal e o outro para negociar as vendas. “Eu uso mais Vivo porque os clientes têm mais chip da Vivo. Tem dia que eu não consigo ligar. Outra hora são os clientes que tentam ligar e não conseguem. Daí no fim do dia quanto a rede volta ao normal a gente recebe um monte de notificação de chamada perdida”.

Neilton Rocha, 26, reclama que a instabilidade no sinal prejudica os negócios (Foto: Ronie Cruz)Neilton Rocha, 26, reclama que a instabilidade no sinal prejudica os negócios (Foto: Ronie Cruz)

Para o professor Joaquim Jacoboski, 58, a situação ficou ainda mais difícil depois que vários orelhões foram retirados, já que serviam como alternativa na hora da necessidade. “Tim não pega aqui. A Oi não pega nem com bomba. E ainda tiraram os orelhões que ficavam espalhados. Agora só restou três”, afirmou acrescentando que a instabilidade pode ter relação com a manutenção das torres de telefonia. “Aqui oscila muito por causa de falta de manutenção”, disse.

A professora Michele de Souza Santos, 22, é cliente pré-pago da Vivo e adquire em média R$ 50 de créditos mensalmente. Mas diz que não consegue usufruir do pacote de chamadas, dados e SMS todos os dias, apesar de pagar pelo pacote por um período completo. “Tem dia que eu fico sem internet, sem torre, sem nada. Mesmo com sinal aparece na tela ‘chamada de emergência’. Semana passada ficou o dia inteiro assim. Fica difícil! A gente precisa fazer ligação e não dá”, reclamou.

Proprietário de uma loja de produtos agropecuários, o empresário Neilton Rocha dos Santos, 26, é outro exemplo de cliente insatisfeito. Ele usa dois aparelhos de celular. Ambos com chip da Vivo. Um pessoal e o outro para negociar as vendas. “Eu uso mais Vivo porque os clientes têm mais chip da Vivo. Tem dia que eu não consigo ligar. Outra hora são os clientes que tentam ligar e não conseguem. Daí no fim do dia quanto a rede volta ao normal a gente recebe um monte de notificação de chamada perdida”.

Instabilidade na rede em caso de emergência preocupa quem mora no distrito a 55 quilômetros da Capital (Foto: Ronie Cruz)Instabilidade na rede em caso de emergência preocupa quem mora no distrito a 55 quilômetros da Capital (Foto: Ronie Cruz)
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions