A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Novembro de 2019

16/10/2019 11:46

Secretária de Saúde promete resolver crise na UPA “em uma semana”

Berenice Machado disse que espera dinheiro do governo do Estado para comprar medicamentos e insumos

Helio de Freitas, de Dourados
Berenice Machado de Souza acumula cargos de secretária e interventora da Fundação de Saúde (Foto: Divulgação)Berenice Machado de Souza acumula cargos de secretária e interventora da Fundação de Saúde (Foto: Divulgação)

A secretária de Saúde Berenice Machado Souza promete resolver “em uma semana” a crise na UPA (Unidade de Pronto Atendimento) de Dourados, cidade a 233 km de Campo Grande. Nesta quarta-feira (16), o Campo Grande News mostrou que a UPA começou a dispensar pacientes considerados menos graves e orientá-los a procurar atendimento nos postos de saúde.

Por meio da assessoria de imprensa da prefeitura, Berenice disse que as mudanças são “temporárias” e que “em menos de uma semana” o atendimento volta ao normal. Além de secretária, ela é interventora da Funsaud (Fundação de Serviços de Saúde), órgão da prefeitura que administra a UPA e o Hospital da Vida.

Em comunicação interna assinada ontem (15), o diretor técnico da UPA, médico Renato Cezar Nassr, determinou que após a classificação de risco os pacientes avaliados como azul e verde sejam orientados a procurar atendimento no posto de saúde mais perto de casa, “devido à falta de segurança, enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos, medicamentos e insumos e também equipamentos”.

No documento, o diretor técnico deixou claro que apenas os pacientes classificados como amarelo e vermelho (casos mais graves) serão atendidos.

“Ajustando a escala” – Através a assessoria, a secretária disse que está ajustando a escala de médicos e que no sábado (19) não haverá mais falta desses profissionais na UPA. Já a falta de técnicos de enfermagem, segundo ela, será resolvida com a contratação de aprovados no processo seletivo da Funsaud.

Para resolver a falta de medicamentos e insumos, Berenice afirma que depende do repasse de recursos estaduais. “O Estado pagando, já haverá dinheiro para comprar”, segundo a assessoria. Berenice não informou quando os técnicos começam a trabalhar, mas reafirmou que as demais demandas apontadas pelo diretor técnico serão atendidas em uma semana.

Repasse atrasado – Nesta semana, Berenice reclamou de atrasos no repasse feito pela Secretaria Estadual de Saúde e ameaçou abandonar a gestão plena dos recursos repassados pelo SUS (Sistema Único de Saúde). “Os repasses de recursos do governo do Estado são feitos sempre atrasados”, afirmou.

Segundo a secretária, em setembro o município recebeu o dinheiro de julho e até segunda-feira (14) não havia previsão de quando seriam pagos os recursos de agosto e setembro. “Mesmo com os repasses em atraso, a Secretaria de Saúde do Estado afirma que ‘tudo está em dia’, o que não é verdade”, reclamou.

Segundo Berenice, a prefeitura não tem estrutura para cuidar dos pacientes dos municípios da região e não dá para ficar “sempre pedindo esmolas para o governo do Estado”.

A secretária afirmou que se não tiver solução para a crise, a saída seria a prefeitura devolver a “gestão plena” e repassar para o governo do Estado a responsabilidade pelos serviços de média e alta complexidade.

O Campo Grande News procurou a assessoria do secretário estadual de Saúde Geraldo Resende para saber uma posição em relação às declarações de Berenice Machado, mas não recebeu resposta.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions