ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MAIO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 11º

Interior

Sindicato de professores diz que prefeitura não pagou reajuste prometido

Reajuste de 4,13% para o magistério foi anunciado pela prefeita Délia Razuk, mas não foi incluído no salário de julho

Helio de Freitas, de Dourados | 08/08/2018 16:49
Professores de Dourados marcaram assembleia para o dia 14 para discutir sobre negociação com a prefeitura (Foto: Divulgação)
Professores de Dourados marcaram assembleia para o dia 14 para discutir sobre negociação com a prefeitura (Foto: Divulgação)

Anunciada pela prefeitura no mês passado para complementar o índice de reposição do piso nacional, a proposta de reajuste salarial de 4,13% para o magistério de Dourados não foi incluída na folha de julho, denunciou hoje (8) o Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação).

Em nota encaminhada pela assessoria de imprensa, o sindicato informou que a prefeitura mandou ofício no dia 18 de junho, assinado pela secretária de Governo Patrícia Bulcão e pelo secretário de Educação Upiran Jorge, prevendo o pagamento para o mês de julho.

“O ofício informa que de acordo com reunião realizada no dia 14 de junho, confirmamos as tratativas de que a aplicação da diferença de 4,13% relativo ao 6,81% do piso salarial dos professores de 2018, retroativo a abril, terá o pagamento previsto para o mês de julho", afirma o Simted.

De acordo com o sindicato, com o reajuste de 4,13% prometido pela prefeita Délia Razuk (PR), o grupo magistério atingiria o índice de 6,81% previsto no piso municipal do magistério – já que todo o funcionalismo municipal teve aumento de 2,68% no mês de maio.

“A administração municipal também divulgou que a reposição desse índice incidiria nos salários do mês de junho, retroativo ao mês de abril, apesar de o ofício informar que o pagamento seria realizado no mês de julho. Isso foi amplamente veiculado pela imprensa de Dourados”, reclama o Simted.

Além do cumprimento do piso de 2018, a categoria espera a reposição do piso de 2017 (7,64%) e que esses mesmos índices também contemplem os servidores administrativos da Rede Municipal de Ensino.

No dia 14 deste mês, os educadores municipais voltam a se reunir em assembleia na sede do Simted para discutir os próximos passos diante da falta de acordo com a prefeitura. A categoria já está em estado de greve.

O Campo Grande News procurou o secretário de Finanças da prefeitura, João Fava Neto, e a secretária de Administração Elaine Boschetti, para saber sobre a falta de pagamento do reajuste, mas eles não se manifestaram.

Nos siga no Google Notícias