A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 21 de Novembro de 2017

22/11/2011 11:40

Superintendente da PF está na região em que acampamento de índios foi atacado

Marta Ferreira
Cinco dias depois, índio que era liderança em acampamento continua desaparecido. (Foto: Divulgação Cimi)Cinco dias depois, índio que era liderança em acampamento continua desaparecido. (Foto: Divulgação Cimi)

O superintendente da Polícia Federal em Mato Grosso do Sul, Edgar Paulo Marcon, foi para a região onde o índio guarani-kaiowá Nísio Gomes está desaparecido desde sexta-feira, quando, segundo a comunidade onde ele vivia, em um acampamento, mais de 40 pistoleiros atacaram o local.

Marcon está em Ponta Porã, onde deve se reunir com o procurador da República Thiago dos Santos Luz, responsável pelo caso no MPF (Ministério Público Federal). O superintendente da PF também poderá ir à área onde houve o ataque.

A investigação da Corporação, que começou a ser feita por policiais de Ponta Porã, foi concentrada em Campo Grande, na delegacia de Defesa Institutcional, que cuida de casos envolvendo populações indígenas.

O chefe da unidade, Alcídio de Souza, já está na região desde o fim de semana, após o ataque vir a público.

O Campo Grande News apurou que a Polícia recomendou ao filho de Nísio Gomes, Valmir Gomes, que não se manifeste mais sobre o caso. Ele já foi ouvido.

O relato dos índios atribui o ataque a pistoleiros contratados por

fazendeiros, em razão da disputa de terras. Eles dizem que os homens

tiraram em Nísio e levaram o corpo dele na caçamba de uma camionete. Também afirmam que uma e dois adolescentes estão desaparecidos.

Ontem, o presidente do Sindicato Rural de Aral Moreira, Osvin Mittanck, afirmou que um dia antes, o dono da área onde os índios estão haviam entrado na Justiça pedindo a desocupação da terra, que está em estudo para ser demarcada como aldeia. Eles estão no lugar há 10 dias e vinham relatando ameaças anteriormente.

A PF e o MPF (Ministério Público Federal) investigam o caso. O acampamento, que começou com cerca de 60 índios, aumentou para em torno de 150 após o episódio de sexta-feira.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions