ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  28    CAMPO GRANDE 27º

Interior

Supostos ladrões de gado são mortos a tiros após confronto com a PM

Homens chegaram a ser socorridos, mas não resistiram

Dayene Paz | 28/09/2022 07:50
Viatura da PM com manchas de sangue dos suspeitos mortos. (Foto: Rádio Alto Paraguay)
Viatura da PM com manchas de sangue dos suspeitos mortos. (Foto: Rádio Alto Paraguay)

Domingos Alonso e Fábio Gonçalves, conhecido como Buchinho, foram mortos a tiros, nesta terça-feira (27), após confronto com policiais militares, em Porto Murtinho, a 439 km de Campo Grande. As primeiras informações são de que os mortos seriam suspeitos de furto de gado na região, contudo, o caso será apurado.

Os policiais da Patrulha Rural faziam diligências durante a Operação Pecuária Segura Auaca, perto da região conhecida como fecho dos morros, após ter conhecimento de furtos recorrentes de gado no entorno da fazenda Porto Conceição. Alguns  suspeitos, inclusive, foram vistos na semana passada abatendo o gado e utilizando um barco para fazer o transporte da carne.

Armas apreendidas na ocorrência. (Foto: Rádio Alto Paraguay)
Armas apreendidas na ocorrência. (Foto: Rádio Alto Paraguay)

Diante da informação, uma equipe seguiu por terra na viatura policial e outra de barco. Em determinado momento, os policiais afirmam que viram um barco vazio, momento em que parte da equipe desembarcou, seguindo a pé pela mata e um sargento da PM continuou pelo rio.

Os policiais fizeram a abordagem, mas um dos autores passou a atirar no barco em que estava o sargento. Foi dada voz de prisão, mas conforme o boletim, surgiram quatro homens e "houve intensa troca de tiros". Dois suspeitos foram atingidos e os outros conseguiram fugir pela mata. Os feridos foram socorridos e levados ao hospital, mas não resistiram. Na ocorrência foram apreendidas duas armas de fogo e um barco.

Conhecidos na cidade, Domingos e Fábio não têm passagens pela polícia e o caso está causando repercussão. Em um áudio, uma mulher relata que eles não eram ladrões de gado e só estavam trabalhando na região. "A polícia matou enganado, porque o gerente falou que é funcionário da fazenda, eles têm acampamento na mata, são empreiteiros de fazer madeira. A polícia trocando tiros, correndo atrás do ladrão e deu de cara que matou os dois".

(Com colaboração de informações da Rádio Alto Paraguay, de Porto Murtinho)

Nos siga no Google Notícias