A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Agosto de 2019

20/12/2018 19:49

Suspeito que fugiu durante operação estuprava sobrinhas há 7 anos

Homem conseguiu fugir durante as ações da Operação Afrodite de combate ao abuso e exploração sexual de jovens e adolescentes

Adriano Fernandes e Geisy Garnes
Investigadores durante os trabalhos da operação, na delegacia da cidade. (Foto:Jornal Noticias do Estado)  Investigadores durante os trabalhos da operação, na delegacia da cidade. (Foto:Jornal Noticias do Estado)

Colocada em prática com o objetivo de zerar os números de crimes de abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes em Aquidauana – cidade a 135 quilômetros de Campo Grande-, a Operação Afrodite, divulgada nesta quinta-feira (20), desvendou casos preocupantes e que chocam pela brutalidade.

Dentre eles, chama atenção o de duas irmãs, adolescentes, que se somado o tempo em que cada uma delas foi estuprada em casa, pelo próprio tio, chega a sete anos. Os 12 jovens resgatados em situação de vulnerabilidade na cidade, foram encontrados em bares e até em pontos de prostituição à beira de rodovia.

Um adolescente de apenas 14 anos, também foi encontrado à beira de um coma alcoólico, sendo carregado pela cidade por outros colegas, também adolescentes, na noite desta quarta-feira (19). Os trabalhos foram motivados pelas inúmeras denuncias anônimas dos moradores, nos últimos meses, conforme explicou o delegado adjunto da 1ª DP (Delegacia de Polícia) da cidade, Wilkson Vasco Francisco Lima.

Na investigação sobre o abuso das irmãs, de 14 e 12 anos, por exemplo, o trabalho só ainda não foi concluído pois o criminoso conseguiu fugir, quando o caso veio a tona.

Abordagens em rodovia do município, nesta quarta-feira (20). (Foto: JNE) Abordagens em rodovia do município, nesta quarta-feira (20). (Foto: JNE)
Viaturas em um dos bares revistados pela cidade, durante a noite. (Foto:Jornal Noticias do Estado) Viaturas em um dos bares revistados pela cidade, durante a noite. (Foto:Jornal Noticias do Estado)

Conforme o delegado, as adolescentes e uma outra irmã de 9 anos, passaram a morar com uma tia e o namorado, depois que a mãe morreu e o pai foi preso. À época, ainda com 9 anos, a adolescente que hoje tem 14, começou a ser estuprado pelo homem, enquanto a tia ia para o trabalho. Mesma situação que ocorreu com a outra irmã, que desde os 10 também era abusada.

Nos dois casos os abusos eram frequentes e com conjunção carnal. Os policiais ainda investigam se a criança de 9 anos, também tenha sido estuprada. Ainda conforme o delegado o suspeito ao saber do prosseguimento das investigações pegou um empréstimo de R$ 500,00 e desapareceu.

Outro caso impressionante, descoberto há cerca de 15 dias, foi o da menina de 12 anos que desde os dez, era estuprada com o consentimento da mãe, por um idoso de 80 anos. À polícia a mãe da criança alegou que permitia os abusos pois o homem era dono da casa onde moravam. Ele chegou a ser preso, mas foi liberado menos de uma semana depois pela justiça.

Um dos presos durante o trabalho de identificação na delegacia. (Foto:Jornal Noticias do Estado) Um dos presos durante o trabalho de identificação na delegacia. (Foto:Jornal Noticias do Estado)

Ainda ontem (20), durante os trabalhos os agentes foram informados da situação de três adolescentes que consumiam álcool pelas ruas da cidade. O trio foi encontrado enquanto um deles era carregado, visivelmente embriagado e sem mal conseguir andar. Resgatado, ele foi colocado na viatura, vomitou e teve de ficar internado no hospital.

Os outros dois adolescente informaram onde haviam conseguido comprar catuaba e o proprietário do estabelecimento foi preso. Os familiares dos jovens também foram encontrados e o caso, registrado na delegacia.

No total 22 policiais, com o apoio da perícia da Polícia Civil se empenharam, principalmente durante esta quarta-feira (19) no intuito de solucionar os casos. Praticamente todos os bares e pontos de prostituição foram vistoriados. Quanto as crianças resgatadas, ainda não ficou claro se todas elas eram abusadas, mas o fato é que as situações insalubres em que foram encontradas, configura o abandono.

“A operação se deu com o objetivo de extirpar qualquer tipo de crime e em especial, qualquer tipo de abuso contra crianças e adolescentes na cidade. Chegar o mais próximo de zerar qualquer tipo de ocorrência do tipo e fomentar ainda mais denúncias da população”, concluiu o delegado.

Por envolver crianças e adolescentes, os nomes dos envolvidos são preservados por imposição do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente).

Operação - A operação, planejada durante seis meses, foi dividida em duas fases: preventiva com a entrega de panfletos para a população e orientação sobre crimes que atingem crianças e adolescentes. Já a outra fase foi de caráter repressivo.

Dois foram presos por estupro de vulnerável, três por fornecer bebida alcoólicas a crianças e adolescentes, um por perturbação de tranquilidade, um por dirigir veículo sem habilitação, um por tráfico de droga, um por mandado de prisão também por tráfico de drogas, um por mandado de prisão por furto.

O alerta pela cidade continua, principalmente neste final de ano, quando há o aumento de pessoas pela cidade e, consequentemente, o risco de novos abusos. A Polícia Civil pede que a população denuncie casas de violência envolvendo crianças e adolescentes para o número 67 3241-2876 / 3241-1172 ou pelo WhatsApp 9 9987-9068. O anonimato é garantido.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions