ACOMPANHE-NOS    
MAIO, TERÇA  24    CAMPO GRANDE 27º

Interior

Trabalhadores da Eletrosul em MS entram em greve

Retorno do computo das horas de deslocamento é uma das reivindicações no estado

Por Cleber Gellio | 27/01/2022 12:09
Assembleia decide aderir mobilização nacional e paralisação em MS (Foto: Divulgação)
Assembleia decide aderir mobilização nacional e paralisação em MS (Foto: Divulgação)

Eletricitários da Eletrosul (Companhia de Geração e Transmissão de Energia Elétrica do Sul do Brasil), em Mato Grosso do Sul, aderiram à paralisação nacional, por tempo indeterminado, e estão em greve a partir desta quinta-feira (27). No estado são cerca de 35 trabalhadores, que atuam na transmissão de energia elétrica em Campo Grande, Dourados e Água Clara.

A decisão ocorreu em assembleia realizada pelo Sinergia-MS (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria e Comércio de Energia no Estado do Mato Grosso do Sul) que culminou com a posição adotada pelos demais eletricitários do grupo Eletrobras no país, que iniciaram mobilização nacional.

“Estamos enfrentando momentos difíceis nas subsidiárias da Eletrobras em todo o país, com tentativas de retirada de direitos. A paralisação nacional é uma forma de mostrar a força e a união dos eletricitários que integram o grupo Eletrobras”, explica o presidente do Sinergia-MS, Elvio Vargas.

Conforme publicado pelo sindicato, os serviços essenciais à população serão mantidos, conforme Lei 7.783/89 (Lei de Greve), e os atendimentos a outras emergências serão negociados com o comando de greve.

Entre os 11 pontos reivindicados pelos trabalhadores nacionais, o retorno do computo das horas de deslocamento excluídas da jornada de trabalho, faz referência direta à unidade de Água Clara (MS), além de Foz do Areia (PR) e Campos Novos (SC).

Confira abaixo as reivindicações dos eletricitários

- Retorno da forma de custeio do plano de saúde para todos os trabalhadores nos moldes praticados na extinta Eletrosul Centrais Elétricas antes do ACT 2020/2022, com efeito retroativo à data de suspenção da CGPAR23;

 - Retorno do oferecimento de transporte especialmente contratado ou outras modalidades correlatas para os trabalhadores de localidades onde a empresa concedeu por longo período e posteriormente suspendeu de forma unilateral este benefício;

 - Retorno do computo das horas de deslocamento excluídas da jornada dos trabalhadores de Agua Clara-MS, Foz do Areia-PR, Campos Novos-SC;

 - Restabelecimento das regras e prazos de pagamento da complementação do auxílio-doença;

 - Retorno do pagamento das diárias, de alimentação e das distâncias regulamentares para abertura de guia de viagem aos valores praticados antes das alterações unilaterais da NG 033;

 - Regulamentação para fornecimento de materiais e insumos necessários ao teletrabalho durante a pandemia;

 - Resposta positiva da Eletrobras à solicitação de pagamento das diferenças relativas a PLR 2018 decorrentes da distribuição extraordinária de dividendos;

 - Resposta positiva da Eletrobras para a proposta resultante da mediação da PLR 2021 no TST;

 - Revogação da RD1193-09 que amplia a terceirização para praticamente todas as atividades da empresa, especialmente a atividade fim;

 - Retorno na sistemática histórica de pagamento da Periculosidade e a Revogação da RD1758-01 de 16/05/2018 para restabelecimento da DD 1168-03 de 12/12/2006;

 - Concurso público para reposição de pessoal com Reabertura do PDC em 2022.

Nos siga no Google Notícias