A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

11/03/2010 22:59

Jovem desaparecida é encontrada morta na Vila Popular

Redação

Desaparecida desde sábado (6), a jovem Natália Wenz Ajala, de 22 anos, foi encontrada morta, hoje, às 17h, numa estrada vicinal que dá acesso à Pedreira São Luis, na região da Vila Popular, em Campo Grande. Policiais civis do 7º Distrito Policial acharam o corpo da vítima, que levou um tiro na testa.

Ela foi morta pelo jovem Estefferson Roy Souza da Silva, o "Bu Bu Bu", de 21 anos, que está preso no 7º DP, juntamente com o ex-soldado do exército Ricardo Emanuel Machado da Costa Aragão, o "Ricardinho", de 20 anos, dono do revólver de calibre 38, usado no crime.

A mãe de Natália registrou boletim de desaparecimento da filha na terça-feira (9), no 7º DP. Após trabalho de investigação dos policiais, o caso foi elucidado nesta quinta-feira.

Conforme a polícia, Estefferson queria namorar com Natália, que estava recusando as investidas, mas no dia do crime, conforme relato do autor, os dois estariam "ficando". O crime aconteceu num bar localizado na rua Paracatu, bairro Silvia Regina, entre a noite de sábado e madrugada de domingo.

De acordo com a versão apresentada por Estefferson à Polícia Civil, foi proposto por ele brincar de roleta russa com Natália. O rapaz então deixou apenas uma munição no revólver e quando foi atirar contra a testa da vitima, acabou a matando.

Como o som no bar estava bastante alto, o público local não ouviu o tiro. Após o fato, o corpo permaneceu no lugar das 19h de sábado até 1h da madrugada de domingo.

Quando Jéferson Alan Lopes, o "Preto Buda", de 35 anos, proprietário do bar, fechou o estabelecimento, acompanhou Estefferson e Ricardo até a estrada onde o corpo foi abandonado. Até lá, Natália foi transportada numa moto que pertence ao irmão do autor.

O corpo de Natália foi localizado já em estado avançado de decomposição. Depois de ser descoberto, foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal) e amanhã será liberado à família, que o levará para Aquidauana.

Prisão - Denúncia anônima levou a polícia, primeiramente, até o bar onde o assassinato aconteceu. Chegando lá, os policiais se depararam com o estabelecimento desativado e descobriram que Jéferson havia se mudado para o Jardim Noroeste.

Quando foi localizado, Jéferson confirmou todo o fato e alegou ter participado do crime apenas como testemunha. Ele então revelou os endereços de Ricardo e Estefferson, que foram presos respectivamente nos bairros Santo Amaro e no Jardim Imá, na casa de uma tia.

Estefferson e Ricardo confirmaram a participação no crime e serão indiciados por ocultação de cadáver. O autor também será indiciado por homicídio com base em motivo torpe, enquanto Ricardo por porte ilegal de arma.

Eles podem pegar de 4 a 30 anos de prisão.

Nesta sexta-feira, no período da manhã, será feita perícia no bar onde a Natália foi assassinada.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions