A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

30/10/2013 10:28

Jovem é presa após ser flagrada dormindo em "pilha de maconha" no Los Angeles

Graziela Rezende
Jovem disse que foi vítima de arapuca. Foto: Cleber GellioJovem disse que foi vítima de "arapuca". Foto: Cleber Gellio

Uma jovem de 18 anos, flagrada dormindo ao lado de uma pilha de maconha, em uma casa no bairro Los Angeles, foi presa por policiais da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), por volta das 18h de ontem (29). A investigação suspeita que parte do entorpecente seria levado para algum presídio da Capital, já que estava enrolado em preservativos.

Segundo o delegado João Paulo Sartori, responsável pelas investigações, uma equipe entregava intimações e, ao mesmo tempo, fazia rondas na região, quando foram informados de uma “movimentação estranha” na rua Ciro de Azedo. No local, com o imóvel aberto, os policiais fizeram buscas e encontraram 51,7 quilos maconha no quarto, além de 11 tabletes enterrados no quintal da casa.

Joselaine Lima de Jesus, a “branca”, disse que havia acabado de chegar de Ladário, a 419 quilômetros da Capital e que a droga pertenceria a dona da casa, identificada apenas como Jéssica. “A Joselaine primeiro disse que tinha vindo a Campo Grande para comprar bananas e depois para o tratamento do filho. Ela estava na cama ao lado da droga e será indiciada por tráfico de drogas e associação para o tráfico”, afirma o delegado Sartori.

Droga foi levada para Denar. Foto: Cleber GellioDroga foi levada para Denar. Foto: Cleber Gellio

Após a prisão da suspeita, o delegado comenta que as diligências continuam para prender a amiga de Joselaine, bem como outros envolvidos. Na casa, ainda foram apreendidos fitas adesivas, papéis de alumínio para embalagem, facas e uma balança de precisão.

Outra versão – Em depoimento ao Campo Grande News, a jovem garantiu ter vindo de Ladário para o tratamento do filho. “Eu cheguei ontem de viagem e sempre ficava na casa da minha tia, mas essa amiga insistia para eu ficar na casa dela. Hoje, iria levar meu filho especial para tratamento e em seguida ir embora. Vi a droga na casa, mas ela me disse para não mexer em nada”, diz a jovem.

O entorpecente, que totalizou 62,7 quilos, conforme apurou o delegado Sartori, seria para abastecer pontos de venda na Capital. Para este crime, a pena mínima é de 5 a 15 anos de reclusão.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions