A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

08/04/2010 19:32

Julgamento de acusadas de aborto é suspenso até amanhã

Redação

A Justiça resolveu suspender e retomara amanhã, às 8h, o julgamento das quatro mulheres, ex-funcionárias da Clínica de Planejamento Familiar, que foram a júri popular hoje por 15 abortos. Previsto para terminar às 23h desta quinta-feira, a sessão de julgamento foi encerrada por volta das 19h20 no Tribunal do Júri, localizado no Fórum de Campo Grande.

A decisão foi informada pelo juiz da 2ª Vara do Tribunal do Júri, Aluízio Pereira dos Santos, que atendeu a imprensa minutos depois da decisão. Ele disse que os jurados (cinco mulheres e dois homens) passarão a noite em um hotel mantido sob sigilo e que eles contarão com escolta de segurança da PM (Polícia Militar).

Segundo Aluízio Pereira dos Santos, pelo fato de os jurados terem de responder a 520 perguntas, o julgamento seria cansativo e por isso ele achou melhor optar pela suspensão. Amanhã, de acordo com o magistrado, a sentença deverá ser decretada no fim da tarde, por volta das 18h.

Advogado da psicóloga Simone Aparecida Canteguessi de Souza, Renê Siufi saiu do local sem conceder entrevista à imprensa e frisou que se pronunciará apenas amanhã.

A psicóloga e as enfermeiras Maria Nelma de Souza, Libertina de Jesus Centurion e Rosangela de Almeida passarão a noite em suas casas, de acordo com relato feito por Simone.

Hoje, Siufi disse durante o julgamento que as mulheres não tiveram qualquer participação nos supostos abortos realizados pela médica Neide Mota Machado, que se suicidou em novembro do ano passado.

O advogado das enfermeiras, Miguel Antunes de Sá, usou os mesmos argumentos e pediu a absolvição das quatro funcionárias.

Siufi ainda criticou a condução do caso pelos promotores Paulo Cezar dos Passos e Luciana Nagib do Amaral, que foram afastados do processo a pedido da defesa. O advogado afirmou que é caso de oficiar o Conselho Nacional do Ministério Público.

Ele considerou errado o fato de terem anexado ao processo os laudos elaborados em 2007. Só teriam sido juntados aos autos neste ano.

Renê e Miguel pediram a absolvição por falta de provas materiais da ocorrência de abortos e da participação das mulheres nos crimes. Elas negaram participação.

Carro roubado no Rio de Janeiro é recuperado em estrada de acesso ao Paraguai
Um automóvel recentemente roubado no Rio de Janeiro foi recuperado por policiais militares em uma estrada vicinal de Japorã –a 487 km de Campo Grande...
Recesso de fim de ano começa nesta semana no Judiciário e Legislativo
Na reta final de 2017, para alguns servidores a "folguinha" das festas começa mais cedo. Em orgãos Estaduais e Federais de Mato Grosso do Sul, tem re...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions