A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

18/10/2013 11:08

Lei obriga hospitais de MS a fixarem lista de médicos plantonistas

Vinícius Squinelo e Leonardo Rocha

Todos os hospitais e estabelecimentos de saúde instalados em Mato Grosso do Sul estão obrigados, a partir desta sexta-feira (18), a divulgar a lista completa de médicos plantonistas e do responsável pelo plantão no dia.

Segundo a Lei nº 4.416, datada de ontem (17) e publicada hoje (18) no Diário Oficial do Estado, os hospitais devem fixar a lista em local de fácil acesso ao público.

Ainda segundo a Lei, a lista deverá conter o nome completo do médico, registro profissional, especialidade, fotografia, e ainda os nomes dos profissionais administrativos e dos médicos responsáveis pela chefia do plantão, com os respectivos dias e horários dos plantões. A lei é assinada pelo governador André Puccinelli (PMDB).

Conquista - “Além de dar mais transparência às unidades, poderemos saber se os médicos realmente estão cumprindo com sua carga horária e ainda dispor do nome do chefe (plantão) para resolver qualquer eventualidade”, destacou o deputado Amarildo Cruz (PT), autor do projeto na Assembleia Legislativa.

“Em todas as cidades por onde passamos existe a reclamação que os médicos de plantão não cumprem horário e a população não sabe quem está escalado para aquele dia”, indicou, logo após a votação do projeto na Casa.

O parlamentar ressaltou que não é preciso esperar o relatório final da CPI para buscar uma solução a este problema. “Sabemos que existe a questão da remuneração que é baixa no setor público, porém se o médico está escalado precisa trabalhar, com este projeto iremos saber quem cumpre ou não a carga horária”.

STF tem maioria a favor de delação negociada pela Polícia Federal
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (13) maioria para manter a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações pre...
UFGD oferece vagas em 36 cursos de graduação pelo Sisu
A UFGD (Universidade da Grande Dourados) está ofertando 944 vagas em 36 cursos de graduação para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada). As inscrições...


Seria Interessante que os Políticos também colocassem seus horários de trabalho fixados nas Câmaras e Assembleias Legislativas, bem como seus salários juntamente com suas "complementações" salariais para que o trabalhador saiba o quanto eles recebem mensalmente, assim também fica mais transparente, e ficaria mais ainda se publicassem qual seu patrimônio antes de ser político e depois que se retira da vida política.
 
Alex Garcia em 19/10/2013 16:48:10
nunca vi nada mais IDIOTA do que essa lei.....é vergonhosa a participação da mato grosso do sul,no contexto nacional.....o congresso nacional expõe a folha de presença dos políticos eleitos para trabalhar???ã lá é pior o cara assina e some !!!!!!!!!! desculpaí.......
o AMARILDO já entrou na vida política equivocado ..pq ainda está aí??????
vamos montar um cursinho para aprendizado político!!!!
SE O PUCCINELLI FOR HOMEM ,JAMAIS ASSINARÁ ESSA VERGONHA!!!
 
kleanthi haralampidou em 18/10/2013 15:04:02
Essa medida fornece transparência no atendimento público, pois o mantém informado, algo que todo serviço público deve fornecer. Não é medida punitiva aos médicos, mas sim medida de controle. Acredito ainda que seria interessante criar algo como uma ouvidoria, à exemplo do Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), para que a população pudesse informar ao SUS e à prefeitura sobre a sua satisfação com o serviços públicos. Indicadores desse tipo elucidam a real qualidade dos serviços a quem são destinados os recursos públicos.
 
Wellington do Amaral em 18/10/2013 14:28:23
Isso é Brasil!!! O país onde o errado é certo!!! Lamentável!
 
maria ester amaral em 18/10/2013 13:49:33
Absurdo é não ter feito isto antes, com tantos médicos dizendo que trabalham e não trabalham. Foi isto que identificaram na rede pública municipal a descoberta do não cumprimento da carga horária de muitos médicos em Campo Grande que decerto faziam isto a anos. Os outros funcionários públicos não precisam disto porque teem cartão de ponto eletrônico em suas repartições e cumprem as suas cargas horárias senão são engolidos pelas suas chefias. Agora como foi visto muitos casos de não cumprimento de carga horária da classe médica.
 
Janio Peixoto em 18/10/2013 13:37:54
Espero que com isso acabe com aquela farra de um médico estar em dois lugares ao mesmo tempo!
 
Alex Moraes em 18/10/2013 13:16:23
Ótima resposta a falta de ética generalizada dessa classe profissional. Sem falar na soberba e no ego desproporcional da maioria dos profissionais dessa classe. Vou cobrar a aplicação dessa lei até a espinha dorsal...se é que os médicos me entendem.
 
Toni Silva em 18/10/2013 12:14:32
Mais uma vez, só posso lamentar. Lamentar pelo visão míope que se tem do problema e, consequentemente, de sua solução. Ao meu ver, trata-se de medida discriminatória, senão equivocada, que remete uma vez mais à violência moral à qual a categoria médica tem sido submetida. Expor o nome na porta do hospital?? Expor a imagem, por meio de fotografia afixada ??! Isto é o mais completo absurdo, pois nenhuma outra categoria, seja no executivo, legislativo ou judiciário, tem que se submeter a tal humilhação. Ou existe alguma "repartição" na qual isto se observe? Que há médicos que não cumprem suas obrigações, não discuto, mas já existem mecanismos menos discriminatórios para puní-los. É a Medicina como boi de piranha. Ridículo.
 
Douglas Britez Godoy em 18/10/2013 11:44:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions