A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

31/08/2009 13:31

Liberação de corpo em Lisboa aumenta dor de família

Redação

Por e-mail, familiares da sul-mato-grossense Patrícia Nerino Penha, 23 anos, receberam a informação de que o corpo da jovem foi liberado hoje para o enterro em Mato Grosso do Sul.

No entanto, a notícia não conforta a família, pelo contrário, aumenta a angústia porque começa a corrida contra o tempo. "Temos uma semana para conseguir o dinheiro para o translado", revela a irmã, Maraisa Nerino Penha.

Segundo Maraisa, caso os familiares não tenham angariado o valor necessário, Patrícia será enterrada como indigente em Lisboa, Portugal, onde faleceu na madrugada de 10 de agosto. Maraisa conta que a família está longe de conseguir o montante, que era de R$ 30 mil e conseguiram reduzir para aproximadamente R$ 20 mil.

A irmã explica que já foi realizada a autópsia no corpo de Patrícia, no entanto, os familiares ainda não tiveram acesso ao resultado. Para o irmão delas, Alexsander Nerino Penha, 28 anos, houve erro médico no atendimento à Patrícia.

Ele foi a Lisboa visitar a irmã quando Patrícia ainda estava viva.

Com a passagem de volta ao Brasil marcada para o dia 15 de setembro, ela teve uma crise depressiva. A sul-mato-grossense foi internada em Lisboa e passou por três hospitais.

Na véspera da morte, Alexsander se encontrou com a jovem e afirma que ela estava bem. Durante o tempo em que esteve internada, ele garante que ela foi submetida a 29 exames, entre eles uma tomografia.

O jovem diz ainda que os médicos não sabem explicar a causa da morte, portanto, foi solicitada autópsia. Internada com febre e problemas psicológicos, a jovem passou pelo hospital público Curry Cabral, foi levada para o Júlio de Matos e transferida para o Santa Maria.

De lá, foi mandada novamente para o Júlio de Matos, onde morreu. No IML (Instituto Médico Legal) de Portugal, Alexsander foi informado de que já foram retirados pedaços das vísceras da garota para exame. Ele diz ter apurado, junto ao IML, que ela pode ter morrido por excesso de medicação.

STF tem maioria a favor de delação negociada pela Polícia Federal
O Supremo Tribunal Federal (STF) formou hoje (13) maioria para manter a autorização legal para que a Polícia Federal (PF) possa negociar delações pre...
UFGD oferece vagas em 36 cursos de graduação pelo Sisu
A UFGD (Universidade da Grande Dourados) está ofertando 944 vagas em 36 cursos de graduação para o Sisu (Sistema de Seleção Unificada). As inscrições...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions