A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

16/10/2013 18:51

Médica nega erro e atribui problemas ao tabagismo e conduta de paciente

Vinícius Squinelo
Empresária garante que erro médico causou mutilação no umbigoEmpresária garante que erro médico causou mutilação no umbigo

A médica Andrea Ribeiro Aleixo Gorski, acusada por uma empresária de 33 anos de erro médico, rebateu as acusações da paciente, e revelou que possíveis erros no pós-operatório e o tabagismo da empresária podem ter resultado em sequelas da cirurgia.

Em matéria publicada ontem pelo Campo Grande News, a empresária acusou a médica Andrea de erros em dois procedimentos cirúrgicos estéticos, realizados em 2009. Segundo a paciente, após uma abdominoplastia (que remove excesso de gordura e pele da barriga), ela percebeu que algo estava errado e precisou passar por outro procedimento, que foi avaliado como normal pela cirurgiã. Sete meses depois da segunda cirurgia, a paciente chegou a conclusão que foi vítima de erro médico e decidiu procurar a Justiça.

Em nota enviada ao Campo Grande News na tarde desta quarta-feira (16), por meio da advogada Célia Kikumi Hirokawa Higa, a médica Andrea rebate “ponto por ponto” as acusações da empresária.

Segundo o documento, a cirurgiã não realizou a abdominoplastia na paciente, por opção da empresária, embora a recomendação era a realização do procedimento.

“Com a recusa da paciente em realizar a abdominoplastia tradicional, foi proposta outra cirurgia em que se substituiriam as marcas de estria por tratamento que deixaria somente uma cicatriz periumbilical”, afirma a médica. Ainda segundo ela, todos os riscos foram informados à paciente, que aceitou a realização do procedimento.

Vanguarda – Sobre a técnica utilizada na paciente, conhecida como “Smith”, a médica defende que é largamente utilizada para tratamento de queimaduras, e para casos como o da empresária.

“Essa técnica pode não ser conhecida do perito, mas é de vanguarda, enfrentando, como toda cirurgia, complicadores naturais como o tipo de pele da paciente, agravamento da região afetada e alterações de microcirculação que costumam acompanhar os usuários do cigarro”, diz a nota.

Ainda segundo a médica, diferente do que foi afirmado pela paciente, a perícia não concluiu que houve erro médico, e teria confirmado, inclusive, que a paciente não realizou abdominoplastia. A advogada de Andrea ainda afirma que antes de decisão judicial, não se pode afirmar se houve ou não erro médico.

Pós-operatório – Ainda segundo a nota da médica, a paciente descumpriu procedimentos pós-operatórios. Ela não teria, por exemplo, deixado de fumar, conforme foi orientada.

Outro ponto levantada pela cirurgiã Andrea é a reutilização de cinta conhecida como “Macaquinho”, por parte da paciente, para economizar, outro ponto negativo do pós-operatório. A empresária ainda teria faltado em diversas consultas com a médica.

Todo esse conjunto de fatores, segundo a nota enviada pela médica Andrea, pode ter colaborado com as supostas sequelas indesejadas.

Por fim, a nota ressalta que a empresária passou por outros dois procedimentos com a médica, de implantação de próteses de silicone mamária e lipoaspiração, ambas com sucesso.

Visão da empresária – Insatisfeita com o tamanho da barriga, no dia 27 de novembro de 2008, a empresária, então com 28 anos, decidiu passar por uma cirurgia para diminuir o tamanho da circunferência abdominal. Em contato com a cirurgiã plástica Andrea Gorski, as duas fecharam um preço de R$ 5.250,00 pela realização da abdominoplastia.

De acordo com o advogado da paciente, Fernando Martinez Ludvig, a empresária realizou os exames cardíacos, de sangue e outros requeridos pela médica antes da cirurgia. Todos atestavam que a empresária estava saudável e poderia passar por uma intervenção plástica.

No dia 22 de janeiro de 2009 a paciente foi internada no Hospital São Julião para passar fazer a plástica. No pós-operatório, ela afirma que tomou os cuidados necessários. Mesmo assim, 15 dias após o procedimento, notou que a cicatriz que havia ficado em seu umbigo não era compatível com o resultado prometido pela médica.

Depois de passar pela segunda operação, a médica recomendou que a empresária fizesse o uso de uma cinta de alta compressão, conhecida como macaquinho, para ajudar na modelagem da cintura. No entanto, após sete meses, a paciente percebeu que o resultado não foi alcançado e decidiu recorrer a Justiça.

Resultado pericial aponta cirurgia errada – O parecer do médico César Aníbal Aguiar Benavides, que avaliou a cirurgia plástica da empresária, concluiu que a paciente foi vítima de erro médico. No documento elaborado por ele e anexado no processo, consta que Andrea não realizou uma abdominoplastia na paciente, mas sim uma técnica conhecida Smith, que é utilizada para tratamento de queimaduras.

“O resultado cicatricial do abdômen foi ruim e está até hoje com sequelas estéticas”, escreveu o médico. Para ele, percebe-se a “presença de cicatriz umbilical e pele umbilical com sinais de hipertrofia e retração cicatricial em sua porção central de forma radial e ovalada, medindo 2,5 centímetros em seu maior ponto e entre 1,6 e 3,4 centímetros de elevação”.

O perito concluiu que a área apresenta sequelas estéticas que ultrapassam os limites do umbigo. Ele considerou que a cicatriz decorreu dos procedimentos cirúrgicos realizados pela médica Andrea Gorski.

Andrea Ribeiro Aleixo Gorski – A cirurgiã plástica Andrea Gorski é graduada pela UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) e é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...


SR. FRED FERRARI, PELO JEITO VC NÃO TEM DINHEIRO PRA FAZER UMA CIRURGIA PLASTICA E FICA CRITICANDO QUEM TEM, ELA FEZ PORQUE TINHA DINHEIRO E O FATO DE TER FEITO NÃO FAZ DELA UMA PESSOA ACOMODADA COMO VOCE MESMO DIZ...O ERRO É DA MÉDICA QUE USA UM DIPLOMA SEM CONDIÇOES DE FAZER UM PROCEDIMENTO CORRETO, E NO MÍNIMO VOCE É PARENTE DESSA MÉDICA OU UM INVEJOSO POR TER A VONTADE DE FAZER QUALQUER PEOCEDIMENTO DE ESTETICA E NÃO TEMCONDIÇÕES FINANCEIRAS PARA BANCAR... SE NÃO TEM O QUE FAZER NÃO, NÃO FAÇ COMENTARIOS MALDOSOSPOIS SE ELA RECORREU POR UMA INTERVENÇÃO PROVAVELMENTE JÁ DEVERIA TER TENTADO OUTROS PROCEDIMENTOS...
 
Danielle Vieira em 17/10/2013 13:02:56
Basta olhar o resultado e se vê que foi pura imperícia. Entendo a defesa da médica, desespero de causa.
 
Carlos da Silva em 17/10/2013 10:59:44
Li a reportagem e quero deixar minha opinião, não sou amiga da médica, mas foi a partir dela q comecei um tratamento de obesidade, fiz todos os exames e ela não deixou eu iniciar o tratamento, pois em um dos exames deu problema que eu nem sabia q tinha. Após o tratamento refiz o exame para poder dar início. Em uma das consultas com Dr. Perguntei sobre cirurgias e tudo relacionado e ela pacientemente me explicou tudo. Para fazer consulta paciente preenche uma ficha frente e verso e assina. Essa ficha e um histórico seu e familiar. Não creio que dr. Sujaria seu nome por um erro médico conheço várias pessoas operadas por ela. Passa muita confiança aos seus pacientes e segura no que faz, fala e acompanha o pre e pós operatório ligando todos os dias para saber e indo na clínica toda semana.
 
carla zurutuza em 17/10/2013 10:45:06
Fiz uma depilação a laser com esta tal doutora e em parte da minha pele tive queimadura ........
 
Ana Vitoria em 17/10/2013 10:31:56
eSTA MEDICA PODE SRE MUITO FAMOSA...MAS NÃO FOI TABAGISMO E FALTA DE MACAQUINHO MESMO, QUEM COMEU O UMBIGO DA MULHER, ISSO FOI ERRO GROSSEIRO DESTA MÉDICA..NOSSA UMA CIRURGIÃO PLASTICA DEIXAR A BARRIGA DA COITADA QUE PAGOU CARO FICOU IGUAL UM CHAFARIZ...
 
Danielle Vieira em 17/10/2013 10:10:03
Geanne Gomes, se ela eh considerada a melhor do ramo, imagina a pior. A paciente usou esse tal macaquinho e se portou da maneira correta no pós operatório. Essas desculpas da médica não convencem, porquanto outro médico nomeado perito constatou erro médico.
 
Gabriel Alcantara em 17/10/2013 09:39:59
No caso dessa empresaria a médica nega o erro e atribui problema ao tabagismo pra se safa... e o segundo caso de erro médico que cai sobre ela?? qual é a justificativa?? incompetência mudou de nome!!!!!
 
cris. alves em 17/10/2013 09:08:31
O uso do "macaquinho" é ESSENCIAL, assim como deixar o cigarro tb, nem que seja temporariamente, até cicatrizar... as recomendações médicas são claras, e se não forem obedecidas fica até difícil afirmar com certeza que houve erro médico. A Dra. Andrea é apontada como uma das melhores no ramo, e se aparecerem mais casos como o dessa paciente, aí sim, pode-se duvidar da competência da profissional.
 
Geanne Gomes em 17/10/2013 09:06:42
Não devemos pré julgar a conduta da médica, embora os todos os fatos estarem contra ela. E essa desculpa do tabaco aí não colou também não.
 
Vitório Rezende em 17/10/2013 09:01:27
É nisso que dá...Se Deus te fez com tal corpo, de tal tamanho é pq ele achou que seria o suficiente pra vc. O problema é que hoje em dia ninguém é satisfeito com nada e se pudesse seriam outra pessoa. Deveriam agradecer a Deus por ter nascido e ser como são. Aceitar o natural dói menos!! Fica a dica...
 
Priscila Avanci em 17/10/2013 08:56:35
O que mais vejo nessa categoria...é a quantidade de médicos (as) psicopatas que surgem por aí...querem cada vez mais $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$...como não sentem dó de ninguém, que se danem os pacientes com sequelas ou mesmo óbitos.
 
Jeanne Couto em 17/10/2013 08:45:19
esses são os médicos do Brasil que compram diploma e depois não querem que vem médico de outros paises
 
angelica miranda em 17/10/2013 08:39:35
O melhor mesmo é evitar qualquer intervenção cirúrgica.
Preferir uns pneuzinhos a passar pro procedimentos que necessariamente expõe a riscos, por menores que sejam.
 
Romeu Luitz em 17/10/2013 07:26:42
28 anos na época?.tao jovem e optou por procedimentos cirúrgicos para diminuir a barriga?Insatisfeita com o tamanho da barriga,pagou preço alto pelo comodismo,ao invés de fazer reeducação alimentar e exercícios físicos,agora amarga com essa estrela no umbigo..q horror!!!!!!,contente-se e agradeça por estar viva..o q parece ser uma intervenção simples,e não e,tem todos os riscos como uma cirurgia qualquer,,pense nisso!!
 
fred ferrari em 17/10/2013 07:18:11
É difícil acreditar na tese de defesa da médica, uma vez que a foto publicada deixa claro o erro médico. No mínimo, imperícia.
 
REINALDO MANDETTA em 17/10/2013 05:51:37
sera?como assim?
uma pessoa procura uma medica famosa na cidade,marca sua cirugia,e claro, paga pelo procedimento o valor cobrado pela dra. E agora depois de ser acusada de não deixar a paciente satisfeita,vem dizer que a pessoa não usou o modelador indicado, no minimo estranho né pessoal?
Acho que isso é mais tecnica de defesa da acusada do que realidade,as fotos falam por si Dra,sem apelaçao né?Quem acredita ou acreditaria que uma paciente não poderia comprar um modelador.A Dr mesmo aqui afirma que teve outros procedimento na mesma moça,ou seja o valor ultrapassou o colocado na materia.
Todo esse aspecto horrivel é culpa do modelador,e nao da medica?
Ah tá,to pasma!
acreditem se quiser,cada coisa que a gente ve!
 
mariana ortega em 16/10/2013 23:17:35
Então doutora....se fizermos um levantamento dos fumantes que se submetam à cirurgia plástica iremos constatar que esse lixo que a senhora produziu na paciente é exxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxtremamente comum????É isso GALVÃO???????Que absurdo....mais ético assumir o erro e propor um reparo, nem que seja com outro médico cirurgião..pq se fosse comigo, eu nunca mais deixaria uma médica dessa colocar as mãos em mim....
 
Carol Scarpa em 16/10/2013 22:39:52
As pessoas não sabem mais resolver seus problemas sem se expor na imprensa ou nas redes sociais?
Levando ao pré-julgamento da sociedade, sem sequer o julgamento dos órgãos competentes?
Com o PT, respeito virou ofensa natural!!!
 
Henrique Carvalho Souto em 16/10/2013 21:40:54
Essa medica é brasileira ou Cubana, fez ou não fez o revalida? vou responder: é brasileira e não fez o revalida que ela quer que os outros façam. Faz me rir.
 
valdir marini em 16/10/2013 20:29:45
Se não houve erro, por que a Dra Andreia parou de clinicar? E os outros dois processos que o jornal informou ontem, a que se referem? Não foi apenas esse caso!
Teria sido muito melhor se ela devolvesse o dinheiro e prestasse ajuda à paciente. Que vergonha! Revolta ler esse blá, blá, blá dela!
 
Ana Velloso em 16/10/2013 19:28:10
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions