A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

12/01/2008 10:45

Ministério esclarece dúvidas sobre febre amarela

Redação

O site do Ministério da Saúde disponibiliza informações importantes para a população sobre a febre amarela. Pela internet no endereço http://portal.saude.gov.br/saude, são disponibilizados detalhes, baseados em perguntas mais freqüentes encaminhadas ao órgão. O site esclarece, por exemplo, quais pessoas não devem tomar a vacina antes de procurar o médico.

Pode haver reação em pessoas com alergia a ovo, por causa da composição da vacina. Gestantes, portadores do HIV e de câncer também devem adotar esse tipo de precaução e só optar pela vacina em caso de extrema necessidade, após avaliação médica. A vacina não é recomendável para pessoas que estão com baixa imunidade, que estiveram ou estão doentes. Não há nenhum problema para quem toma remédios controlados, ou qualquer outro tipo de medicamento, desde que não estejam em tratamento agressivos, como o caso da quimioterapia.

Crianças menores de nove meses não devem ser vacinadas, a única exceção estabelecida pelo Ministério da Saúde é para quem vive em Goiás e no Distrito Federal, onde um homem morreu, vítima da febre amarela. Quem esqueceu se fez a imunização há mais de dez anos, deve reforçar a dose. Não existe reação adversa nesses casos.

Os sintomas da febre amarela são muito parecidos com da dengue. O aedes aegypti é mosquito transmissor de ambas. Quem tiver febre, dor de cabeça, dor no corpo, dor abdominal, deve procurar o serviço de saúde. O exame de sorologia, para confirmar ou não a doença, fica pronto em 48 horas.

A vacina assegura 100% de imunização, mas somente após o décimo dia de aplicação. Isso significa que quem pretende passar o carnaval em alguma das regiões consideradas de risco deve procurar a vacina no máximo até a próxima semana.

Em Mato Grosso do Sul a vacinação contra febre amarela é feita apenas em postos de saúde. Hospitais e clínicas particulares não prestam esse tipo de atendimento. Em outros locais do país a situação é diferenciada, estabelecida de acordo com decisão dos governos estaduais e municipais.

Situação da Febre Amarela no país

Áreas de Risco (Mantém circulação do vírus na natureza)

Toda a Região Norte

Toda Região Centro Oeste

Maranhão

Minas Gerais

Áreas de Transição

Oeste dos seguintes estados: Piauí, São Paulo, Paraná e Santa Catarina

* Risco Potencial

Sul dos seguintes estados: Bahia e Espírito Santo

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions