ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SEXTA  23    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Ministério lança sistema que integra dados sobre segurança pública no país

Andreia Verdélio, da Agência Brasil | 11/12/2013 16:31

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, lançou hoje (11) o Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública, Prisionais e sobre Drogas (Sinesp). Segundo ele, já foram investidos R$ 75 milhões em equipamentos, por meio de convênios, para estados e municípios informatizarem delegacias e contribuírem com a alimentação de dados. Mais R$ 11 milhões foram destinados ao Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), para o desenvolvimento do sistema.

Também participaram da cerimônia a secretária nacional de Segurança Pública, Regina Miki, o diretor-presidente do Serpro, Marcus Vinicius Ferreira Manzoni, e o secretário de Segurança Pública do Espírito Santo, André Garcia.

O portal público do Sinesp tem como foco a divulgação transparente de dados estatísticos unificados e a emissão de relatórios detalhados sobre o mapa da criminalidade no Brasil. Até 2008, a segurança pública trabalhava com dados do Datasus, do Sistema Único de Saúde (SUS). “É impossível se pensar em políticas de segurança pública sem informações. Se não se sabe onde acontece a criminalidade, essas políticas são feitas aleatoriamente, baseadas em relações políticas, ou seja, sem gestão”, disse o ministro da Justiça.

Em uma segunda etapa, será disponibilizado um portal restrito a profissionais da segurança pública, com informações integradas das polícias. “Todo esse sistema ajudará no planejamento de ações e prevenções, além de democratizar a distribuição de recursos de segurança”, explicou Cardozo.

Segundo o ministro, foi necessária a criação de uma lei específica para incentivar a adesão dos estados e não violar o princípio federativo. “Tivemos o apoio do Congresso Nacional e os estados que não se adequarem ao sistema não receberão orçamento para segurança. Todos já aderiram e agora serão capacitados”, disse Cardozo, explicando que, se for dado continuidade e aprofundamento nas ferramentas do sistema, até o final de 2015 ele estará em completo funcionamento.

De acordo com a secretária nacional de Segurança Pública, apenas Mato Grosso do Sul está totalmente informatizado e, principalmente em estados do Norte e Nordeste, ainda será preciso superar alguns entraves tecnológicos. Ainda assim, ela garante a segurança do sistema. “Tivemos todos os cuidados para evitar violações e a blindagem do sistema é total”, disse, ao relatar que, no mês de junho, durante o pré-teste, houve 6,4 milhões de tentativas de violações e o site não foi invadido, nem tirado do ar.

O sistema também conta com o Sinesp Cidadão, que disponibiliza, em sua primeira versão, um aplicativo para consulta de veículos registrados na base de dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran). A ferramenta permite verificar se há registros de furtos, roubos ou se o veículo é clonado.

Esse aplicativo já está disponível para downloads em dispositivos Android e, em breve, estará também para sistemas iOS e Windows Phone. Outros módulos também serão implantados, como para identificação de mandados de prisão e dicas de segurança.

O ministro da Justiça enfatizou a importância e dimensão da participação dos cidadãos, uma vez que, mesmo antes do lançamento, já haviam sido feitos mais de 17 mil downloads do aplicativo. “Já tivemos carros recuperados pelo sistema. Mas é importante que as pessoas não façam abordagens a veículos irregulares no Sinesp Cidadão”, acrescentou Cardozo, explicando que o sistema orienta o cidadão a acionar a Polícia Militar pelo 190.

Nos siga no Google Notícias