A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

09/02/2010 08:47

Mochileiros vão gastar R$ 560 para rodar quase 9 mil km

Redação

O fim da universidade é um período de muitas definições para a maioria dos jovens e dois amigos decidiram fazer uma aventura, antes de entrar para "a vida adulta". Eles vão percorrer quase 9 mil quilômetros, em uma viagem internacional, com o investimento de R$ 560,00. O destino: Machu Picchu.

Para os estudantes, somente a chuva poderá atrapalhar os planos de André Medeiros, 24 anos, e Léo Griffo, 23 anos.

O governo peruano interditou Machu Picchu e o acesso ficou interrompido aos turistas devido às intensas chuvas que caíram no sul do País.

Mas para os amigos, a viagem continua. André é estudante do último ano do curso de Geografia, na UFV (Universidade Federal de Viçosa), em Minas Gerais, e Léo se prepara para em um ano ser engenheiro civil.

Eles estudam na mesma universidade e sempre tiveram vontade de fazer esta viagem, no entanto, o dinheiro é curto para dois estudantes que contam apenas com bolsas de iniciação científica.

Os jovens analisaram o mapa e chegaram à conclusão de que não é tão longe. Desta maneira, eles resolveram seguir viagem de carona, em todo o território nacional.

Já quando cruzarem a fronteira, com a Bolívia, continuarão o trajeto em ônibus e o conhecido "Trem da Morte" não poderia ficar de fora da aventura.

André conta que convencer os pais de que tudo daria certo foi um pouco difícil no começo. Contudo, eles logo cederam. "Nos deram apoio", conta o estudante.

André, o mais falante dos dois, conta que cada passo foi planejado criteriosamente. Eles estão munidos de sacos de dormir, fogão portátil, ebulidor, seis camisetas, duas bermudas de tactel e roupas para os Andes, que protegem do frio e são leves. "Temos repelente", lembra Léo.

A alimentação também precisa ser prática e barata, portanto, eles compraram sardinha, macarrão instantâneo, suco e dois sacos de doce de amendoim, que, segundo os jovens, tem o mesmo valor energético que barras de cereais e custam menos. "Cada pacote de um quilo, com 50 doces, foi R$ 3,59", observa André.

Percurso

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions