A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

15/09/2010 08:58

MPE denuncia Artuzi e mais 60 pessoas por propinas

Redação

O MPE (Ministério Público Estadual) denunciou o prefeito eleito de Dourados, Ari Artuzi (sem partido), e mais 60 pessoas citadas na Operação Uragano (furacão em italiano), realizada no dia primeiro de setembro pela PF (Polícia Federal).

A denúncia apresentada à justiça tem mais de 120 páginas, sendo quatro destinadas somente à tipificação dos crimes. De acordo com o promotor Paulo César Zeni, a extensa lista inclui corrupção ativa, corrupção passiva, fraude à licitação, formação de quadrilha e falsidade ideológica.

O furacão político que atingiu Dourados desmontou a prefeitura e a Câmara Municipal de Dourados, segunda maior cidade de Mato Grosso do Sul.

Ao todo, foram presas 28 pessoas. Atualmente, sete permanecem na prisão: Ari Artuzi, o vice-prefeito Carlinhos Cantor (DEM), a primeira-dama Maria Artuzi, os vereadores Sidlei Alves (DEM), Humberto Teixeira Júnior (PDT) e Edvaldo Moreira (PDT), além do vereador licenciado e secretário de Serviços Urbanos Cláudio Marcel Hall.

Preso há 15 dias na 3ª delegacia de Campo Grande, Ari Artuzi foi expulso do PDT, partido ao qual estava filiado desde 2007. A operação revelou esquema, coordenado por Artuzi, para fraudes em licitações públicas. Nove dos 12 vereadores foram presos pelo recebimento de mensalinho, propina paga mensalmente. Ao todo, 11 vereadores foram indiciados pela polícia.

A pedido do MPE, a justiça determinou a posse do juiz Eduardo Machado Rocha como prefeito-interino.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions