A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

17/09/2013 12:15

MPF instaura inquérito civil para investigar irregularidades no Coren-MS

Bruno Chaves

O MPF-MS (Ministério Público Federal em Mato Grosso do Sul) instaurou inquérito civil para apurar possíveis irregularidades perpetradas pela atual gestão do Coren-MS (Conselho Regional de Enfermagem em Mato Grosso do Sul), comandado pela enfermeira Amarílis Pereira Amaral Scudellari.

Sob a gestão, pesam acusações de supostas fraudes em procedimentos licitatórios e pagamento indevido de passagens e diárias aos conselheiros de Mato Grosso do Sul. O MPF ainda investiga se a presidente do conselho, que também é servidora pública municipal, recebe, indevidamente, verba acumulada de representação e diárias à serviços prestados pelo Coren.

“Estou fazendo meu trabalho da melhor maneira possível e sabendo que tudo está correto. Eu não faço menor ideia de onde tenham vindo essas denúncias. Sei que tenho comprado algumas brigas, na [UPA] Vila Almeida, com médicos que não cumprem plantões e também que tem alguns funcionários antigos do conselho que estão desgostosos”, afirmou Amarílis.

Segundo a presidente, modificações na gestão do conselho, como implementação do relógio de ponto e cartão de horário, podem ter motivado as denúncias. “Também compro briga com alguns médicos da prefeitura, que não cumprem plantão de 12 horas e deixam o paciente sem assistência. Eu coloco o nome deles no meu relatório”, explica.

Amarílis ainda lembrou que não é a primeira vez que sua gestão é denunciada. “O MPE (Ministério Público Estadual) já arquivou três denúncias contra o conselho. Eles pedem documentos, analisam e verificam que está tudo em dia”, garante.

A presidente do Coren-MS contou que assumiu o conselho em maio de 2010 e que trabalha na prefeitura desde 1995. Ela afirmou que cumpre o expediente da prefeitura e se dedica ao Coren nos horários vagos, como fim de semana, feriados e horário de almoço.

“Quando assumi a presidência, tinham várias bagunças no conselho. Comecei a implantar várias coisas que não tinham. Como exemplo, antes de eu assumir, existiam 30 processos durante o ano. Atualmente, existem mais de mil”, diz sobre processos internos e de licitações.

O Inquérito Civil que apura as possíveis irregularidades foi aberto no dia 21 de agosto deste ano e foi determinado pelo procurador da república Rodrigo Timoteo da Costa e Silva.

Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...
Município de Itaporã comemora 64 anos de emancipação neste domingo
Conhecido como Cidade do Peixe, Itaporã, distante 227 km de Campo Grande, comemora 64 anos de emancipação neste domingo (10). A prefeitura municipal ...


e por isso que nao sai as 30 horas da enfermagem tem alguem segurando.
 
Olga Magalhaes Marin em 17/09/2013 13:22:04
Por gentileza MPF faça também uma grande varredura no Sindicato dos Vigilantes,onde o seu Presidente Celso Adriano da Rocha usa o Dinheiro do Sindicato para se beneficiar,comprar carro,terrenos,Casas,e ainda torrar a verba em festinhas no Interior do estado...Já e hora de saberem que as Notas apresentadas são frias como as do Tabosa,os dois são carne e unha e por isso ele largou a CUT e migrou para a UGT porque sabia que poderia usar as falcatruas do Tabosa,por gentileza MPF já e hora de agir e urgente,os VIGILANTES lhe serão gratos...
 
Carlos Alberto em 17/09/2013 13:16:38
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions