A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

22/05/2013 16:41

Na estrutura da Polícia Militar falta o básico, de fardas a viaturas

Nadyenka Castro e Helton Verão
Na casa de Erissom, a porta arrombada por ladrões em plena luz do dia. (Foto: João Garrigó)Na casa de Erissom, a porta arrombada por ladrões em plena luz do dia. (Foto: João Garrigó)

Os dias de negociações salariais entre PMs e governo trouxeram às rodas de conversas com policiais militares de Mato Grosso do Sul as velhas reclamações das condições de trabalho. Nas ruas, junto à população, também não faltam críticas a atuação dos homens responsáveis pelo policiamento preventivo.

Policiais e população enxergam a situação de ângulos diferentes, mas ambos vêem que falta estrutura. Para a Associação de Cabos e Soldados e Bombeiro Militar, o problema é resultado da falta de administração. “Não é culpa do comandante [da PM], é ingerência da Sejusp [Secretaria de Justiça e Segurança Pública]”, fala o presidente da Associação, Edmar Soares da Silva.

Enquanto moradores reclamam que não há rondas nos bairros e que ladrões se aproveitam dessa situação, os homens de farda justificam dizendo que faltam viaturas e efetivo. “Eles entregam mil e tantas viaturas, mas, onde estão?”, questiona o sindicalista, afirmando que “se tiver 20 viaturas na cidade é muito. Há também as motos”.

“Aqui a gente só vê a Polícia passando quando acontece alguma coisa, antes de acontecer não vê”, diz uma moradora do Jardim Petrópolis que prefere não se identificar. No outro canto da cidade, no Residencial Flores, a crítica é a mesma, com agravante de que quem lá mora, tem medo de sair de casa para não ter surpresa na volta.

O professor Erisson Rodrigues Sanches saiu para trabalhar e ao retornar, encontrou o portão de elevação da residência arrombado, a janela lateral também, o interior do imóvel revirado e viu que havia sido mais uma vítima da violência urbana. Da casa dele foram levados eletrônicos e, para evitar que ladrões entrassem novamente, Erisson afirmou que iria investir em câmeras e alarmes. “Tudo para me proteger”, disse.

Para a Associação de Cabos e Soldados, se tivesse mais viaturas e mais efetivo relatos como estes seriam bem menos freqüentes. Sobre os carros oficiais, Edmar Soares declara que “o que tem está deficiente. Uma não tem extintor de incêndio, outra não tem freio”, exemplifica, culpando também a burocracia como causa de muitos estarem parados. “Para trocar uma pastilha, por exemplo, são 45 dias”.

A PM tem atualmente 1.500 viaturas, 20%, ou 300, paradas para a manutenção. Uma alternativa seria a locação de carro, vetada pelo governo do Estado. Com a locação, advoga policiais, a empresa seria obrigada a substituir os carros estragados em até 24 horas. “É uma proposta maravilhosa”, avalia o presidente da Associação.

No interior, um exemplo da situação crítica é em Coxim, cujo batalhão é responsável também pelo policiamento de Sonora e São Gabriel do Oeste. São quatro viaturas, fabricadas em 2008. Agora, elas passaram a apresentar problemas mais graves: duas estão com motor fundido, mas, uma ainda roda. “A gente faz o atendimento dentro do possível”, afirma um policial que preferiu não se identificar para evitar retaliações.

 

Viatura abandonada oficina na avenida Filinto Muller, em Campo Grande.Viatura abandonada oficina na avenida Filinto Muller, em Campo Grande.

Efetivo – Enquanto em 2012 havia cerca de 6,1 mil policiais militares em Mato Grosso do Sul, atualmente são 600 a menos. A média de pedidos para reserva é de cinco por dia, sendo um por tempo de serviço. Os demais saem em busca de emprego melhor. “O policial vai ficando desacochado”, diz Edmar Soares.

Ele acrescenta que o efetivo fica comprometido não só pelas saídas de policiais, mas também devido aos afastamentos. “O policial tem tido problemas psicológicos. Ele reclama do salário, das condições de trabalho”.

Coxim, também é um exemplo da falta de pessoal para trabalhar. “Há quatro anos não entra ninguém aqui. Já saíram 60”, diz outro militar que também preferiu não se identificar.

Enquanto falta gente para trabalhar diretamente em prol da população, Dionathan Celestrino tem diariamente quatro policiais só para ele. Apreendido após matar três pessoas em outubro de 2008, em Rio Brilhante, ele ficou três anos internado legalmente e, desde 2011, protagoniza um impasse: a Justiça determinou internação psiquiátrica, o Estado procura local adequado e, desde 3 e maio, o Maníaco da Cruz está na Santa Casa, em um quarto só para ele, com escolta, que já seria uma guarnição a mais nas ruas.

Fardas e armas – “Se o policial está bem fardado é porque está comprando com dinheiro do próprio bolso”, resume o presidente da Associação de Cabos e Soldados. Segundo Edmar Soares, o governo não dá o uniforme “há mais de três anos”, sendo que, de acordo com ele, “por lei deveriam ser entregue fardas duas vezes por ano”.

Sobre as armas e munições, Edmar declara que há policiais que, cansados de esperar a burocracia, tiram dinheiro do próprio bolso para comprar os equipamentos de trabalho.

Prédios – De acordo com Edmar Soares, “tem prédio caindo, que é um lixo”, resume as condições de vários imóveis onde funcionam unidades da PM no Estado. “Isso é uma obrigação da Sejusp, mas, eu mesmo [sindicato] já reformei alojamento inteiro, com dinheiro do associado”.

O sindicalista cita como exemplos de prédios que precisam de reformas o do 1º Batalhão, na Vila Sobrinho, o posto de Anhanduí e o de Jardim. No interior, mais uma vez o exemplo vem de Coxim: lá, os policiais podem ficar ‘sem endereço’ a qualquer momento. É que o imóvel foi leiloado e para os donos tomarem posse, só falta a ordem judicial de despejo.

A unidade funcionava em outro local, nas proximidades do rio, quando, há 24 anos, houve uma enchente e ‘levou’ o imóvel. Desde então, a sede do 5º Batalhão da PM está no prédio da antiga Santa Casa. Como o hospital tinha cerca de R$ 1 milhão em dívidas – trabalhistas e fiscais -, o imóvel foi a leilão.

Agora, os policiais podem ser despejados a qualquer momento. No entanto, não têm para onde ir. A Prefeitura de Coxim já doou uma área para construção, o projeto já existe no papel. Nenhum tijolo foi erguido.



Quem é o FISCAL DA LEI???
 
Cesar Castro em 23/05/2013 11:09:27
Renato de Oliveira, faço minhas as suas palavras. Parabéns pelo seu comentário!
 
Nicoli Curci em 23/05/2013 10:55:11
foram vcs que o elegeram
 
rafaela mendes em 23/05/2013 10:49:37
Enquanto a gente fica aqui discutindo falta de viaturas e efetivo, os Senhores Deputados e Senadores devem estar rindo da nossa cara. Eles também têm uma parcela de culpa nisso tudo. Já passou da hora de criarem leis mais rígidas contra essa cambada de vagabundo que fica o dia inteiro nas ruas fazendo correrias... Há casos em que um mesmo vagabundo foi preso pela Polícia Militar 10,15,20 vezes praticando o mesmo delito. Aí eu pergunto: Precisa de mais viaturas ou leis mais rígidas?
 
Elton Ferreira em 23/05/2013 09:50:28
Quero ver se a opinião do Sr Ado Filho de que funcionário publico toca o F.... nos veículos oficiais qdo o Sr precisar de atendimento com urgência e houver demora.Ai vai procurar um jeito de processar o Estado.Criticar e fácil difícil e fazer oq os servidores estaduais fazem com tantas dificuldades e descaso por partes dos administradores.
 
fabio zardo em 23/05/2013 09:33:33
NÃO EXISTE MAIS DINHEIRO PARA A POPULAÇÃO, ANTIGAMENTE QUANDO OS GOVERNOS ERAM MENOS CORRUPTOS, TINHA NO PODER MENOS QUADRILHAS, SOBRAVA MAIS DINHEIRO PARA IVESTIMENTOS EM SAUDE, EDUCAÇÃO,SEGURANÇA, HOJE SE MONTOU UMA SÓ QUADRILHA QUE COMEÇA DESDE O PRESIDENTE DA REPUBLICA DESCE PARA GOVERNADORES, DEPUTADO FEDERAIS, SENADORES, PREFEITOS E VEREADORES, NÃO SE SOBRA DINHEIRO PARA O BASICO NO BRASIL, A GENTE SÓ TEM QUE PAGAR OS IMPOSTOS, SENDO OBRIGADO A VOTAR NOS BANDIDOS QUE ELES LANÇAM A CANDIDATOS, CRIAM LEIS QUE OS BENEFICIAM NÃO PODEM SER PUNIDOS, QUANDO A MIDIA DESCOBRE ALGO, SE CRIAM UMA "CPI" NÃO PARA PUNIR MAS SIM PARA LIVRAR OS AMIGOS DO BANDO E TUDO CONTINUA A MESMA MERDA. JA SE VAI 12 ANOS PERDIDOS COM ESTE GOVERNO PT, O BRASIL PERDEU, O POVO PERDEU SOMENTE ELES ESTÃO BEM.







 
JOSÉ CARLOS MARANI em 23/05/2013 09:32:17
E como pode se pensar na PEC 37?????
 
ricardo rodrigues em 23/05/2013 09:10:00
governo que não valoriza a segurança publica apoia a criminalidade
 
marcelo aparecido rodrigues de oliveira em 23/05/2013 00:31:38
isto é uma vergonha quando precisamos da policia sempre pronta e atendendo no possível mais o governo acha que é só o baixo salário uma vergonha apoio os policiais os salario de prefeito vereador governador é um absurdo e .......... não faz nada e e os salários dos professores também é uma pouca vergonha affs nem falo nada
 
waldiney costa bernardo em 22/05/2013 21:26:19
Como o Robson já falou da falta de combustível, quero fazer uma pergunta ao jornalismo deste site e ver se voces são isentos mesmos: Quantos policiais estão a disposição da Assemblèia Legislativa? Será que eles voltando a ativa, não minorava um pouco a falta de homens? E como pode um governo que trata a Segurança desta maneira ter aprovação popular? Me engana que eu gosto!
 
paulo neres carvalho em 22/05/2013 20:27:22
Talvez se o estado não carregasse este monte de aposentados , que trabalham dois mandato e arrastam milhões, daria para pagar quem realmente trabalha
e contratar mecânicos para dar manutenção nos equipamentos .
 
Edson Luiz Magalhães em 22/05/2013 20:02:17
Renato em parte vc tem razão , pque sem manutenção NÃO tem jeito, o povo vê que a frota não é velha , só que falta zelo ,e tudo que é do Gov. o servidor toca o FODA-SE(não todos), porém não generalizando a população vê viaturas tanto da PM quanto PC(não só policia mas carros do serviço público) em serviços particulares, ora em garagem de casas particulares, ora levando ou trazendo filho na escola ,superiores, em fim, em beneficio próprio...Pra quem trabalha e produz para um governo arrecadar é bravo isso, é duro vc ver uma amontoeira de viatura daquela encostada; é dinheiro do povo , que é mal atendido. Frota é capricho, se fosse assim as empresas de ônibus teriam que jogar tudo fora a cada 5anos, pois os mesmos rodam o dia inteiro nesta buraqueiras todos os dias , só desligam de noite.
 
Ado Filho em 22/05/2013 18:23:04
Na atual administração fica evidente que a policia militar e policia civil estão totalmente sucateadas. E se continuar desse jeito a tendencia é só piorar. Furtos em residencia ja esta se tornando corriqueiro, pois o policiamento ostensivo preventivo esta totalmente comprometido com o atual chefe do executivo.
 
osmar sousa em 22/05/2013 18:05:47
Você cidadão que teceu reclamações nessa noticia quanto ao nosso serviço, digo-te que tem razões...no entanto é culpa unica e exclusiva da política e seus represantantes eleitos por você. A PM não consegue estar em todos os lugares...a falta de efetivo e a falta de viaturas é clara. Perguntaram cade as viaturas? Ora, vá até a Oficina Oficial da PM em Campo Grande que é próximo a UFMS e verá...várias paradas...fora aquelas péssimas em todo o Estado que rodam por força da comunidade e dos próprios policiais que sempre fizeram de tudo para não deixar a cidade sem policiamento. O Estado não dá a manutenção devida, coloque seu veículo para andar 24 horas por dia e veja se ele conseguirá aguentar o trampo sem manutenção. Isso sem falar na questão do combustível...
 
Renato de Oliveira em 22/05/2013 17:34:47
Viaturas da PM o governador tem que entender que não dura mais de 02 anos, pois as viaturas rodam 24 horas, muitas vezes com combustivel na reserva, nessas nossas ruas todas buracadas, com presos chutando e danificando as viaturas; sem falar que falta do estado as revisões priodicas nelas.
 
robson de souza em 22/05/2013 17:28:40
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions