ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SEGUNDA  04    CAMPO GRANDE 24º

Cidades

Na mão da iniciativa privada, BR-163 terá pedágio de até R$ 7,90

Gabriel Neris e Nícholas Vasconcelos | 23/01/2013 15:49
Audiência está sendo realizada no hotel Jandaia, na  região central de Campo Grande (Foto: Luciano Muta)
Audiência está sendo realizada no hotel Jandaia, na região central de Campo Grande (Foto: Luciano Muta)

Audiência pública na tarde desta quarta-feira (23) no hotel Jandaia, em Campo Grande, debate a privatização das rodovias federais em Mato Grosso do Sul. Serão 16 praças de pedágio e o valor deve variar entre R$ 4,80 e R$ 7,90.

As privatizações serão em toda a BR-163 e trechos das rodovias 267 e 262 que irão atingir 29 municípios. Conforme a superintendente de Exploração de Insfraestrutura Rodoviária da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Viviane Esse, os trechos somam 1.423,3 km de rodovias.

A audiência colherá informações e ouvirá a população e representantes das classes envolvidas. Sugestões serão encaminhadas até sexta-feira (25). Viviane explica que a concessionária vencedora, primeiramente, entregará a obra pronta para depois efetuar a cobrança, o que deve acelerar a implantação do serviço. O edital será lançado no mês de março e o leilão acontecerá na Bovespa, Bolsa de Valores de São Paulo, no mês seguinte.

“Quem ganhar já deve anunciar as obras a partir de 30 dias depois da assinatura do contrato que será no segundo semestre deste ano. A cobrança da tarifa tem que começar um ano e meio após a concessão e quanto for concedido 10% da rodovia tem que estar duplicada”, explicou. A superintendente explicou ainda que a implantação já deve funcionar com o serviço de monitoramento por câmeras, socorro médico e socorro mecânico.

Viviane afirmou que no quinto ano da privatização a concessionária terá que entregar a rodovia 100% privatizada. A distância entre uma praça e outra de pedágio deve variar conforme o tráfego de veículos. O aumento ou redução no valor da tarifa será possível após a divulgação do cálculo da redução de acidentes com a chamada faixa de desobstrução. O comparativo será feito em relação ao ano anterior.

“O principal objetivo é o desenvolvimento regional desses sete lotes, que serão privatizados em todo o País, e para o desenvolvimento, integração e deslocamento da produção dessas regiões”, explicou. As privatizações serão focadas nas regiões Centro-Oeste e no Tocantins.

Superintendente afirma que serão 16 praças de pedágio em rodovias federais de MS (Foto: Luciano Muta)
Superintendente afirma que serão 16 praças de pedágio em rodovias federais de MS (Foto: Luciano Muta)

Os trechos mais barato custarão R$ 4,80. Serão 60 km da praça que sai de Mundo Novo e 67 km de Nova Andradina.

O inspetor da PRF (Polícia Rodoviária Federal), Tércio Baggio, acompanha a audiência na Capital. Baggio acredita que a privatização reduzirá o número de acidentes, porém mostra preocupação. Segundo ele, com pista duplicada a tendência é que os motoristas abusem da velocidade. “O ideal é que a rodovia tivesse equipamento e a PRF pudesse administrar”, disse.

Uma das expectativas é a instalação de painéis de administração, semelhantes a rodovias importantes que cortam São Paulo e Rio de Janeiro. Baggio afirmou que os pontos críticos são os trechos de rodovias federais que passam por trechos urbanos e municípios. “Mistura trânsito da rodovia com o da cidade”.

Baggio disse ainda que a BR-163 é a mais crítica das rodovias federais que cortam Mato Grosso do Sul. “Não que seja mais perigosa, mas tem o maior fluxo de veículos e maior número de acidentes”.

Nos siga no Google Notícias