A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Março de 2019

26/04/2018 14:22

Pilotos presos em “treinamento” para traficar cocaína voariam até MS

Aeronave apreendida em SP seria de integrante do PCC; droga saía do Estado com destino a São Paulo e Santos, segundo apurou a Polícia Civil paulista

Geisy Garnes
Helicóptero é apreendido pela polícia em Arujá (Foto: Divulgação/Polícia Civil)Helicóptero é apreendido pela polícia em Arujá (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A Polícia Civil apreendeu nesta quarta-feira (25) um helicóptero usado para o transporte de cocaína em um hangar na cidade de Arujá, na Grande São Paulo. Segundo as investigações, a droga saía do Paraguai em caminhões, era carregada na aeronave em Mato Grosso do Sul e então distribuída para São Paulo e Santos.

O flagrante resultou na prisão de três pilotos: Rogério Almeida Antunes, o irmão Leonardo Almeida Antunes e Luiz Paulo Mattar Ferreira. Segundo informações repassadas pela polícia, o uso do helicóptero de prefixo PP-MAU para o tráfico de drogas era investigada desde janeiro desde ano.

Nesta quarta-feira, policiais da Dise (Delegacia de Investigação sobre Entorpecentes) encontraram a aeronave passando por manutenção em uma oficina. Os investigadores acharam vestígios de cocaína no interior da aeronave, que estava sem os bancos traseiros e tinha duas bombas elétricas ligadas ao tanque, para facilitar o abastecimento com galões de combustível durante as viagens.

Para a polícia, marcas de choque com aves e insetos na frente do helicóptero indicam que os pilotos voavam baixo, rente ao solo, para evitar que fossem localizado por radares. “Isso é típico de aeronave usada para o tráfico", detalhou o delegado Aldo Galiano, da Seccional de São Bernardo do Campo, em entrevista ao G1.

Conforme as investigações, dois dos pilotos presos estavam em “treinamento” e se preparavam para viajar até Mato Grosso Sul. De acordo com o delegado Galiano, Leonardo e Luiz Paulo iriam aprender a rota do tráfico para o Paraguai e para Parnaíba - município a 422 de Campo Grande.

“Com as operações da Polícia Federal na fronteira, a droga saí em caminhões do Paraguai para Mato Grosso do Sul, de lá eles carregam a aeronave”, detalhou o delegado ao Globo News. Segundo as investigações, a carga de cocaína deixa o Estado com destino a São Paulo e também ao Porto de Santos.

O tráfico de drogas - De acordo com a polícia, o helicóptero de prefixo PP-MAU está no nome de Fábio Pinheiro de Andrade Alvania, mas a suspeita é que o comerciantes seja apenas o laranja de um esquema de tráfico de drogas envolvendo integrantes do PCC (Primeiro Comando da Capital).

O verdadeiro dono da aeronave seria Felipe Ramos Moraes - principal suspeito de assassinar Rogério Jeremias de Simone, o Gegê do Mangue, e Fabiano Alves de Souza, o Paca, apontados como as maiores lideranças soltas da facção no Ceará.

As investigações apontaram que Felipe passou de piloto a coordenador de rota na facção. Ao assumir o controle do “negócio”, o suspeito deixou o setor operacional sob comando de Rogério, que já havia sido preso em 2013, no Espírito Santo, com mais de 400 quilos de cocaína em um helicóptero.

O caso segue em investigação. A polícia tenta agora comprovar a ligação de Felipe com os três pilotos presos através do cruzamento de ligações.

Força Nacional é mantida em Mato Grosso do Sul por mais 90 dias
Agentes da Força Nacional de Segurança Pública que estão em Mato Grosso do Sul desde junho de 2016 vão continuar na região por, pelo menos, mais 90 d...
Enquete mostra que 84% das pessoas conhecem alguma vítima de violência doméstica
A maioria dos participantes da enquete desta semana conhece alguma pessoa que tenha sido vítima de violência doméstica. O assunto foi abordado em dec...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions