A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

31/05/2013 10:11

PM tinha munição letal; “Mas ninguém sai para matar”, diz chefe da Cigcoe

Aline dos Santos
Corpo de índio morto em Sidrolândia. (Foto: Simão Nogueira)Corpo de índio morto em Sidrolândia. (Foto: Simão Nogueira)

O comandante da Cigcoe (Companhia de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais), major Marcos Paulo Gimenez, afirma que a Tropa de Choque levou munição letal para a ação de reintegração de posse da fazenda Buriti, em Sidrolândia. “Não vou falar que utilizou. Não posso dizer se utilizou ou não. Os próprios índios estavam armados, pode ter sido fogo amigo. Quem define isso é a perícia”, afirma.

Ele explica que a atuação da Tropa de Choque segue padronização internacional. “Ninguém sai daqui para matar um, dois, três. Claro que não. A atuação da Tropa de Choque é dispersar para não confrontar”, salienta.

Conforme o major, a tropa se divide em escudeiros, lançadores (responsáveis por disparar granadas e bombas de gás lacrimogêneo) e seguranças (que levam arma letal). A Cigcoe atuou em apoio à PF (Polícia Federal), escalada para cumprir a ordem de reintegração determinada pelo juiz Ronaldo José da Silva.

Em nota divulgada ontem, o governo do Estado informou que as tropas da PM não utilizaram munição letal, somente balas de borracha. A ação, que foi das 6h às 15h de ontem, acabou em confronto. Do lado dos terenas, uma morte e quatro feridos. Do lado dos policiais, a PF e a PM divulgaram que também houve feridos.

O clima ficou mais tenso com a morte de Oziel Gabriel, de 35 anos. Conforme o laudo do legista, ele foi atingido por um tiro no abdômen, a bala passou pelo fígado e o projétil saiu pelas costas. Desta forma, sem a bala, a identificação de qual arma partiu o projétil fica prejudicada.

Em nota divulgada pelo Cimi (Conselho Indigenista Missionário), Otoniel Terena, irmão da vítima, afirma que o tiro que matou Oziel partiu de um grupo de policiais federais. “Meu irmão levou o tiro do lado em que a PF estava. Os policiais se dividiram em três grupos. Eu estava com outros indígenas no lado dos policiais militares; meu irmão do lado da PF. Ouvimos tiros vindos de lá, do lado da PF. Depois vieram carregando o Oziel, para levá-lo ao hospital”, relata. 

Os terenas atearam fogo a ponte e casas na fazenda Buriti. A PF apreendeu armas artesanais, facões e duas espingardas. A fazenda foi invadida pelos terenas em 15 de maio. No mesmo dia, saiu uma decisão para que os índios deixassem o local. Mas a reintegração não foi cumprida e no dia 18 a decisão acabou suspensa até quarta-feira, quando foi realizada audiência na Justiça Federal.



Depois dessa nota do governo, tirando "o seu" da reta, cheguei a uma única conclusão:O Índio se "suicidou"..
 
Anderson Roque em 31/05/2013 23:01:54
tive oportunidade de conhecer o major marcos paulo um cara sério profissional fiz um curso de capacitação com ele confio em suas palavras a sociedade deve muito a esses homem que defende a sociedade com honra e determinaçâo que não abre mão de defender cidaaõs de bem. a desapropriaçâo foi uma tragedia anunciada não existe politcas concretas para esses conflitos a FUNAI GENTE É UM CABIDE DE E,PREGO não resolve nada de interesses dos índios ao não ser que exista interesse próprio para favorecimentos alheios nunca o Brasil sera uma nação de primeiro mundo nos confinas desse país há muita injustiça abandono do poder público ----- a felicidade do brasileiro é a ignorancia e sua artimanha é esses jeitinho bom um pais merece sim o presidente,gestor,rei,parlamentar ou seja por que nós votamos nele
 
carlos alexandre em 31/05/2013 22:21:44
Sr. Renato Shinayder, o senhor com certeza também tem parente indígena. Não estou defendendo ninguém, nem cigcoe, nem policia federal, nem índios. Afirmar quem é o culpado em uma briga que já dura mais de dez anos é muito complicado. Falar em tirar o comando de quem for é muito fácil, difícil é apresentar uma solução. E se tivesse dado certo, o mérito seria de quem? O senhor tem alguma solução? Apresenta, pois os índios voltaram para lá. Vão queimar o que agora? A casa? o trator? o gado que já está morto? Infelizmente precisamos da cigcoe sim em certas ocasiões, e felizmente temos eles para fazerem isso. Pois alguém tem que fazer. Assim como policiais correm o risco da profissão, índios também assumem o risco com esse tipo de comportamento. Seja quem for, tem sempre uma família.
 
Lilian Silva em 31/05/2013 19:22:21
Isso na verdade é culpa do JUIZ que deu esta ordem.
Tava na cara que isso ia acabar desse modo mesmo assim ordena reintegração de posse, quero ver agora se ele vai mandar a PF lá. o caso agora e de nivel nacional.
por que o juiz nao aparece lá pra requerer a terra Juizes no "Brasil" pensam que estão acima de todos e podem tudo
 
joao brites em 31/05/2013 18:36:42
Parabéns a policia. Excelente trabalho! Pena que nao matou mais vagabundos e vândalos. Índio nao agrega nada ao Brasil. Nao trabalha, nao produz. É um parasita que só serve para viver de bolsa família e bolsas assistenciais. Olhem as outras aldeias evejam oque produzem. Gostam de arrendar terras pra tomar álcool e usar droga.
 
alfedro pedro da silva em 31/05/2013 18:28:10
Bem Dona Lilian, a senhora deve ter algum parente na CIGCOE né, porque está defendendo esse pessoal, a culpa é com certeza do comandante da operação que não orientou os policiais a fazerem o correto. Agora eu quero ver se tudo vai acabar em pizza, FORAA COMANDANTE DA CIGCOE, EXONERA ELE GOVERNADOR!!!!
 
Renato Shinayder em 31/05/2013 17:32:30
se morre o policial nao fazer esse barulho todo,agora os indios ficam como vitima da coisa,mas na hora de pegar o facao e outras coisas mais e ir pra cima dos policial que tambem sao gente e tambem tem familia,aa isso eles sabem indios bonzinhos.....
 
roger andrade em 31/05/2013 17:02:17
A CigCoe fez apenas o seu trabalho. Ordem Judicial é pra ser cumprida, por bem ou por mal. Esperamos que haja bom senso por parte das lideranças indígenas no sentido de instruir os índios para acatarem as determinações judiciais, para que mais vidas não se percam e não tenham mais feridos. Governantes, deem especial atenção a esse problema, pois a situação é crítica.
 
FÁBIO BRAZILIO VITORINO DA ROSA em 31/05/2013 16:12:29
Olha concordo eu anbem acho que a FUNAI e a principal culpada disso se colocar o indio no seu lugar,certo e colocar lei invadiu perde o direito mais pra isso a funai tem mudar e muito,nao concordo terras produtivas empregando jente.dando boa safra serem invadidas fico triste de ir p/ponta pora e passar pela itamarati onde vc ve pessoa na rua bebada trajetando sem capacete e propiedades que nao tem hum pe de abacate.sendo que ali era terra produtiva td mal distribuido.funai muda a direçao que resolve o problema.
 
francisco rivanor dos santos em 31/05/2013 15:52:10
-O Melhor-

A reintegração de posse teria sido pacifica sim se os indigenas tivessem acatado as ordens da justiça, pois eles tem que se lembrar que não estão acima das leis
A policia federal, militar, cigcoe são bem treinados para essas situações, estão ali tambem correndo riscos,entre os policiais estão homens que são pais, filhos e tem suas familias, que tambem morrem durante seu trabalho
Nos conflitos pela terra ninguem merece morrer seja policial ou indigena
A funai deveria era conter essa onda de invasões, depredações e cobrar do governo de uma forma justa as terras para seu povo
Justo=é lutar e tomar posse do que é seu pela justiça e não pela força, lutar pelo que é seu sem depredar as coisas alheias
Senhores coloquem na funai uma administração séria e competente e tudo isso terá fim
 
Jorge Félix dos Santos em 31/05/2013 15:10:49
Essa briga já é uma questão cultural, imposta por antepassados que acreditavam naquela época ser a solução. A questão nem tanto é com quem a terra vai ficar e sim quem vai ganhar essa guerra dividida em várias batalhas que se arrastam a anos, e hoje assumida por grupos com necessidades reais diferentes daquela época. Se os índios ganharem, as terras serão arrendadas ( se duvidar pelo próprio proprietário da fazenda) e com o lucro irão comprar, celulares, bons carros, entre outras necessidades em que os ditos "homens brancos" também necessitam. Se perderem, novas batalhas virão para que as próximas gerações continuem a guerra. E a cultura??? Onde se encaixa nessa história.
 
Lilian Silva em 31/05/2013 14:44:58
Chega de criticar pessoas que dão a cara a tapa para tentar solucionar um problemas que é da união. Quero ver se fosse qualquer um que tivesse uma espingarda apontada pra cara, se ia pensar em negociar a saída desses índios. A mídia oferta noticias de que índios se defenderam com pedras e pedaços de pau, mas o que significa então policiais feridos com arma letal?? ( coisa que a mídia parece evitar a divulgação). Qual a razão de afirmar que o tiro partiu da polícia militar?? Acham que os policias federais foram pra lá só com um papel de mandado judicial de desocupação nas mãos. A sociedade se coloca numa posição ingênua diante da aceitação do que é colocado pelas mídias. E assim a guerra se firma, se correr o bicho pega, se ficar o bicho come.
 
Lilian Silva em 31/05/2013 14:35:24
no brasil já passou da hora de índio ter responsabilidade arrumar emprego ficam somente sugando nos trabalhadores querendo terra e passa o dia bebendo com verba do governo
 
carlos mantovani em 31/05/2013 14:15:20
Realmente a lei deve ser para todos, para TODOS, mesmo para quem não tem capacidade de coordenar ou agir em situações como estas.. Se houve excesso ou abuso por parte de algum índio, que também seja processado e julgado... Mas o pior, o mais grave, o mais absurdo, é o Estado não ter o mínimo de preparo e de técnica para agir em situação de confronto... A função do Estado e da polícia não é essa, não é a de cumprir ordem judicial como se estivesse em uma guerra...!, e sempre contra os mais vulneráveis (sem terra, indio, preso, pobre etc..)
 
Roberto Ferreira em 31/05/2013 13:51:37
Ouvindo e lendo algumas opiniões verifico, infelizmente, que ainda estamos na idade da "pedra lascada"... Dão mais valor a um latifúndio que a vida de um ser humano, e deixam de lado a discussão sobre a incompetência e "trapalhada" da ação do Estado....E fingem, ou não sabem mesmo, a realidade que impomos, covardemente, a nossa população indígena, que são massacrados em sua cultura e vivem como indigentes...
 
Roberto Ferreira Filho em 31/05/2013 13:39:28
Polícia, Estado de MS e União...ASSASSINOS..!
 
Carlos Alberto em 31/05/2013 13:15:06
A verdade é que estes povos indígenas sempre foram tratados sem respeito algum... a justiça dá uma sentença favorável e anos depois dá outra desfavorável aos Índios, então instigam eles e depois dá nisso. Agora, a nossa justiça é muito complicada. A propósito vejam este vídeo que vi no Youtube e se que esta senhora diz não for verdade por que tem tantos vídeos de denúnica dela lá?

https://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=P6E3rUeNThY
 
Luis Acordado em 31/05/2013 13:02:21
Isso ficou Eldorado dos Carajás, esse comandante da CIGCOE é um irresponsável, o governador tem que exonera-lo do cargo, ele é incapaz de comandar esse grupo. Em São Paulo a tropa de choque é empregada muito mais do que aqui e isso não acontece,
 
Renato Shinayder em 31/05/2013 12:54:59
E se fosse morto um PM, POLICIAL FEDERAL ou BOMBEIRO, sabe o que iria acontecer? nada, mais nada mesmo com toda a certeza, agora os indios vem dizer que não fizeram nada, e só olhar as imagens e elas diram tudo. Não que eu seja a favor de brigas/violência, sou a favor da justiça, e deve ser respeitada, a lei é tanto para os indios assim como é para nós também.
 
ruy da costa em 31/05/2013 12:32:42
Prezado Sr. Roberto Ferreira Filho, preste atenção na matéria pois a mesma relata o comentário da própria irmã da vítima, "(...) Otoniel Terena, irmão da vítima, afirma que o tiro que matou Oziel partiu de um grupo de policiais federais. “Meu irmão levou o tiro do lado em que a PF estava.(...)", então não podemos tirar conclusões precipitadas contra a ação dos nossos PMs da CIGCOE. As Leis devem ser cumpridas, não importa a raça ou credo, ela prevalece para todos. Os responsáveis pela invasão também deveriam ser julgados, pois se não houvesse a invasão não teria esta fatalidade. A FUNAI por não cumprir sua responsabilidade de dar manutenção do índio no que diz respeito a saúde, educação e manutenção das áreas demarcadas para o índio...
 
Antonio Costa em 31/05/2013 12:30:54
Precisa usar balas d everdaqde, sim.
Vejam as caras de coitados que esses safados fazem e continuam a invadir e descumprir as leis. Abaixo a Funai.
Lugar de Indio é no mato (Amazônia) e não invadindo fazendas produtivas.
 
ricardo rodrigues em 31/05/2013 12:20:12
Ué, o governador mentiu? E a nota publicada ontem, em rede estadual, de que a PM não usa, nestes casos, armas letais? Absurdo não é a ação da Funai e da CIMI que cumpre seu papel, lutam por uma causa nobre. Absurdo é não ter capacidade de ação, de negociação, de cuidados defensivos, não ofensivos, no cumprimento de uma ordem judicial.
 
Roberto Ferreira Filho em 31/05/2013 11:16:16
A reintegração de posse teria sido pacifica sim se os indigenas tivessem acatado as ordens da justiça, pois eles tem que se lembrar que não estão acima das leis
A policia federal, militar, cigcoe são bem treinados para essas situações, estão ali tambem correndo riscos,entre os policiais estão homens que são pais, filhos e tem suas familias, que tambem morrem durante seu trabalho
Nos conflitos pela terra ninguem merece morrer seja policial ou indigena
A funai deveria era conter essa onda de invasões, depredações e cobrar do governo de uma forma justa as terras para seu povo
Justo=é lutar e tomar posse do que é seu pela justiça e não pela força, lutar pelo que é seu sem depredar as coisas alheias
Senhores coloquem na funai uma administração séria e competente e tudo isso terá fim
 
andre henrique em 31/05/2013 11:03:34
Minha indignação a Funai e ao Cimi!

Essas 2 instituições ficam incentivando os Indios a não cumprirem a Lei, badernar, invadir propriedades privadas escrituradas pela união!

Está aí o resultado: MORTOS E FERIDOS
 
Lucas Lemos Monteiro em 31/05/2013 10:25:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions