A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

30/05/2013 16:59

Índios falam de “justiça com próprias mãos” e avisam: "alguém vai morrer"

Ângela Kempfer e Viviane de Oliveira, de Sidrolândia
Amigos e parentes emocionados em velório de Oziel Gabriel, na aldeia Buriti.Amigos e parentes emocionados em velório de Oziel Gabriel, na aldeia Buriti.
Corpo é velado em casa.Corpo é velado em casa.

Pelo tom de voz e ameaças dos índios que acompanham o velório do terena Oziel Gabriel, morto hoje em confronto com a Polícia, a tensão deve aumentar em Sidrolândia nos próximos dias.

O grupo despejado na manhã desta quinta-feira da fazenda Buriti fala em “justiça com as próprias mãos” e garante que um policial ou o fazendeiro Ricardo Bacha será morto para pagar pelo “assassinato do guerreiro Oziel”.

O corpo do terena chegou no meio da tarde para velório na aldeia Córrego do Meio. Amigos receberam Oziel como palmas, gritos e muito choro. “Se eu estivesse lá não tinha deixado que isso acontecesse”, lamentava a mãe dele.

Entre os terena, nenhum divulga o nome. Todos pedem para ser identificados apenas como “guerreiros”. O irmão de Oziel, de 32 anos, avisa. “Mataram um dos nossos, vai morrer gente de lá”.

A ameaça é reproduzida por vários índios. O cunhado do terena morto é mais específico em relação aos “alvos”. “Ou a gente mata um policial ou o fazendeiro. O Ricardo Bacha vai pagar, vamos vingar a morte. Alguém vai morrer”.

Oziel era auxiliar de serviços gerais na prefeitura de Sidrolândia e uma das lideranças no movimento que busca a retomada de terras que os terena consideram tradicionais em Sidrolândia.

Eles brigam desde a década de 90 por 17 mil hectares onde hoje está a fazenda Buriti. “Somos 5 mil índios em 2.5 mil hectares. Não queremos um palmo a mais do que é nosso”, diz o cunhado, de 34 anos.

O terena garante que não havia qualquer arma de fogo com os índios “apenas armas artesanais”. Ele acusa a Polícia Militar de “proteger o Ricardo Bacha”. “Por isso ele é o maior culpado e vai pagar”, ameaça.

Em protesto, índios terenas atearam fogo na seda da fazenda Buriti. (Foto: Marcos Tomé/ Região News)Em protesto, índios terenas atearam fogo na seda da fazenda Buriti. (Foto: Marcos Tomé/ Região News)

Outro cunhado de Oziel, de 57 anos, reclama da falta de solução para a questão fundiária em Mato Grosso do Sul. “Isso só aconteceu por causa da morosidade da Justiça”.

As famílias já preparam o funeral de Oziel, que será amanhã, com rituais e danças indígenas. O terena será enterrado no cemitério da aldeia Córrego do Meio, que fica ao lado da Fazenda Buriti.

Tensão - Durante 8 horas o grupo resistiu à reintegração de posse. Primeiro, os terena atearam fogo na sede da fazenda Buriti, ao saberem da chegada de policiais no local. Depois, ainda tentaram ficar espallhados pela propriedade. Também queimaram duas pontes que dão acesso à propriedade. A situação só foi controlada por volta das 15h.

O ex-deputado Ricardo Bacha tentou chegar à fazenda por voltada das 8h30, mas foi orientado a não se aproximar e voltar para a cidade. Ele lamentou a morte e culpou o CIMI pelo confronto. "Eles ficam estimulando as invasões. Avisei que   uma tragédia ia acontecer".

Além de Oziel, outros 5 terena ficaram feridos, 4 homens e uma mulher. A Policia Federal garante que três policiais tiveram escoriações.

A disputa entre a família Bacha e os índios terena das aldeias Lagoinha e Corrego do Meio começou na década de 90. Em 2003 os índios entraram pela primeira vez na fazenda e saíram pacificamente após decisão judicial.

Em 2010, estudos antropológicos identificaram o território como tradicionalmente indígena. Mas Ricardo Bacha recorreu aso Tribunal Regional Federal e conseguiu anular o processo de demarcação. Em seguida, Funai e Ministério Público Federal recorreram ao STF (Supremos Tribunal Federal), sem decisão até agora.



Irmão matando irmão em nome da "cobiça"!!!
 
Hilário Milagres em 31/05/2013 16:13:58
Sou filha de negros,meus ancestrais foram humilhados,escravizados,vendidos,comiam restos de comidas em senzalas,foram chicoteados,torturados,mulheres tiveram filhos arrancados dos braços e vendidos,foram violentadas,até hoje somos discriminados,recebemos apelidinhos"engraçados",somos avaliados por nossa cor,nem por isso cobramos dos brancos com violencia as injustiças cometidas a nós,não invadimos propriedades,não usamos da violencia,a terra pertence a todos nós,quando eu me sinto ludibriada cobro com "justiça" meus direitos,a história de brancos,negros,indios são repleta de injustiça,revejam o conceito de luta pela "terra"ou luta pela "ganancia"
Quando a funai tiver a sua frente uma equipe competente,as invasões,mortes e intolerancia irão cessar,quem tem direitos tambem tem deveres
 
brunna santos em 31/05/2013 12:09:26
É muito triste ver notícias como esta. Infelizmente sempre que sai alguma coisa na mídia sobre o MS já esperamos alguma coisa negativa. Que coisa!!! Um estado novo, cheio de riquezas e desmandos. A política é podre. Os políticos fazem parte do que há de pior no País. Não é querer generalizar, mas se salvarem alguns dos nossos representantes são pouquíssimos.
Agora é a vez dos índios, que aliás já fazem parte há muito tempo das notícias negativas que marcam o MS.
O pior de tudo isso, é ver as manifestações de alguns membros da nossa imprensa. Hipocrisia total. Será que eles pensam assim mesmo? Ou será que é somente encenação? Será mesmo que eles defendem a invasão de terras, o descumprimento de uma decisão judicial? Em que lugar do planeta se prega que diante de um confronto entre policiais e pessoas armadas, os policiais não devem reagir? E se de repente a vítima fosse um dos policiais? Será que essas manifestações hipócritas teriam repercussão ? Em um país legalista, as decisões judiciais são cumpridas, e quem enfrenta a polícia armado, deve saber das conseqüências. Daqui pra frente todos poderemos contestar armados?
 
Valdir Camargo em 31/05/2013 08:54:14
Estava escrito que isso iria acontecer, essa é a justiça do homem branco, de vai e vem, "judicialização de tudo que é ato", mesmo que seja atos de reiteração legal, ou rejulgamentos de mesmas causas, dá nisso, é uma lição anunciada e convicta daqueles que decidiram que isso acontecesse, deram o direito aos índios nas sub-linhas, nada explícito, daí da nisso, culpa de nossos, tendenciosos e confusos sistemas político e judiciário.
 
Jair Terra em 31/05/2013 06:08:50
Toda essa muvuca responsabilizem a FUNAI, que não sabem conduzir as negociações de fazendeiros e índios, mais eles preferem deixar levar e instigar os índios contra os fazendeiros, antes de dar razão as partes o governo federal teriam que entrar nas negociações de desapropriação das terras e pagarem aos fazendeiros para desocupação e depois sim efetivarem os índios para ocuparem as terras. Mas vcs já sabem o que vai acontecer se eles(índios) receberem essas terras né? ou vão arrendar ou as terras vai ficar ai sem produção nenhuma e o pais vai retroceder na produção. EITA PAIS DO ATRASO.
 
Gilmar Marques em 31/05/2013 06:04:22
Prá quê indio quer 17 mil hectares?
Prá caçar? Caçar o quê?
Prá plantar? Indio plantando ou não é indio ou tá louco da cuca!
De quem o Ricardo Bacha comprou o latifúndio?
Quem vendeu pro Ricardo, adquiriu de quem?
A terra não é de ninguém... são dos passarinhos e animais!
 
Elviria Santos Ferreira em 31/05/2013 02:31:35
Quando da primeira vez, o invasor de terras Bacha se apresentou escoltados por jagunços de arma em punho, agora que perdeu tudo diz se lamentar pela morte do nosso índio. Quanta falsidade! E a situação já está caminhando pra guerra armada contra fazendeiro e PMs. Sabemos que o momento de comoção faz com que guerreiros índios pensem assim, mas não se pode duvidar. A comunidade terena é muito organizada e com certeza a situação não acabou, somente piorou. Bom. A ordem Judicial já foi cumprida.Ponto. Agora,será que vão precisar de mais outras ordens judicial? Todos os indígenas do MS estão solidário e triste com os irmãos de Buriti. Lagrimas que não serão em vão.
 
samuel gomes-campo grande em 30/05/2013 22:06:29
Vai virar outro el dorado dos carajas. A justica manda desocupar a PM cumpre a ordem e depois leva a culpa por agir com truculencia, como se tivesse outra maneira de tirar os indios de la.
 
Alex Andre De Souza em 30/05/2013 20:48:20
Ordem da justiça é para ser cumprida, do contrário vira bagunça. Os índios atualmente são bem esclarecidos e deve sempre pagar pelos erros como ser humano que são. Não há dois tipos de ser humanos; antigamente os índios não entendiam nada de Lei, nesse caso era diferente. Hoje sabem invadir, destruir e causar danos.
 
luiz alves em 30/05/2013 20:31:39
Meu DEUS, que isso jamais vá enfrente, pois caso venha ocorrer realmente, vai acabar em guerra, e muito mais índios podem morrer, que pensem em suas famílias, quantas crianças podem ficar sem pai, e também quantas mães podem ficar sem os seus filhos.....só DEUS mesmo agora para segurar eles.
 
Girlane Bucker em 30/05/2013 20:28:57
Todos já haviam sidos avisados sobre o pior, e agora quem vai assumir este assassinato? Polícia Militar, Federal ou o próprio Governo que junto da maior cúpula de Políticos interessados ou melhor desinteressados naquilo que além de direito é do índio ou de seus descendentes" este ocorrido deixa uma grande tristeza e o sentimento de uma grande frieza relacionada à aqueles ao qual escolhemos para representar o povo; que povo? O povo nativo, o povo brasileiro. Meus mais profundos sentimentos a etnia terena e em especial a seus familiares. Força não desistam!!!
 
geraldoaugusto em 30/05/2013 20:10:50
A funai deveria dar apoio aos indígenas, recursos para que eles possam cultivar as terras que eles já tem, acabar com essas invasões, pois muitas vidas irão se perder, a ganancia pela terra é tão grande que vidas se perdem, os índios querem o direito a terra, mas também tem a obrigação de cuidar da terra e produzir, ao invés de cuidarem das benfeitorias que lá tinha fizeram foi depredar, matar gado, lutem pelos seus direitos, mas com honestidade
Se brancos, negros e amarelos decidirem lutar por algo que "julgam"lhes pertencer dessa forma o BRASIL vai ser palco de uma carnificina
Funai onde está o erro?
 
yuri soares em 30/05/2013 19:19:14
Que vergonha para o povo Brasileiro ver o que sobrou dos verdadeiros donos destas terras serem dizimados como aconteceu em países destruídos ( digo desenvolvidos).Nossos Índios abandonados deixados a mercê da sorte por todos os governos que ate hoje passaram pelo comando do País e Estado , não haveria necessidade de tanta luta de Índios e produtores rurais se os governos levassem dignidade com um mínimo de qualidade de vida aos Índios que padecem com falta de tudo em seus acampamentos, porque não se pode chamar de moradia e nem de aldeia que é coisa sagrada para qualquer ser onde estes pobres coitados passam o seu tempo a sua vida !
 
necime peres em 30/05/2013 19:10:10
Lamentável! Em pleno século 21 presenciamos horrores da época do coronelismo, onde se matavam índios para roubarem suas terras, infelizmente estamos vivendo isso, uma injustiça, pois os indígenas além de terem perdido a identidade também perderam suas terras, o que mais precisam perder, hoje presenciamos um deles perdendo a vida, quantos mais precisarão morrer simplesmente para garantir o direito a dignidade, o direito a terra o direito de ser ÍNDIO? Cadê o respeito que lhes são devidos? Isso tudo está acontecendo porque tem político envolvido, tem grandão! É cruel, os indígenas tem direito de lutar por suas terras, cadê as terras deles garantida pela constituição? 10% das terras são de direito indígenas, se olharmos eles não tem nem 1%, tudo lhes é tirado! Lamentável...
 
maria lina em 30/05/2013 18:42:18
Culpa da FUNAI e da nossa, sempre, lerda e morosa "justiça"! O pior é que isso está muito longe de acabar...
 
Marcos Figueiredo em 30/05/2013 18:31:36
Nessa guerra só restarão vítimas e perdedores . O BURACO É BEM MAIS EM CIMA.
tão apertando botão errado uai..... tá faltando personagens na história ou seria estória ????.
 
Suzi Costa em 30/05/2013 18:29:19
É, vai morrer mais alguém mesmo, aliás, muitos outros irão morrer se não forem conscientizados que a lei precisa ser cumprida, em que pese este senhor Ricardo Bacha e muitos outros fazendeiros terem ou não a propriedade/posse legal da terra, as ordens judiciais precisam ser cumpridas. O mais correto a ser feito pelos indígenas é retornarem às suas casas (como vimos na foto não são mais ócas) e tocarem suas vidas pois a polícia não pode afrouxar e deixar de cumprir o mandado de desocupação, portanto "guerreiros", coloquem voltem para suas casas enquanto ainda podem.
 
Luiz Caxeiro em 30/05/2013 17:53:36
Se é deles não sabemos,o certo é que invadiram uma propriedade particular,não acataram ordem judicial,não são imunes à lei e ainda continuam a ameaçar pessoas de morte.Outra coisa que nos revolta é ver uma justiça morosa que não resolve e define de uma vez por todas,ou é deles ou não?Quem sabe agora,depois de tudo se faça algo.O respeito às leis deve prevalecer acima de tudo e de todos.
 
nilson franco de oliveira em 30/05/2013 17:41:19
A falta de seriedade do Governo Federal, no trato com as desavenças entre índios e Produtores, faz com que a cada dia apareçam mais vítimas. Alguns espertalhões colocaram na cabeça dos nativos, que eles são donos de toda aquela área, acabando por gerar todo o conflito. São vítimas da inércia do Governo: os produtores rurais, os índios e finalmente à própria polícia, encarregada de por ordem, onde quem deveria, não agiu. Hoje foi aberta mais uma cova...... não será a última. A incompetência.......essa não morre, anda de mãos dadas com à corrupção.
 
Valter Antunes de Oliveira em 30/05/2013 17:37:47
Se fosse um filho meu, ou meu marido, ou um dos meus, também falaria assim e não seria recriminada, seria consolada, acalmada...
 
marcia scherer em 30/05/2013 17:23:32
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions