A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

31/05/2013 08:35

Após conflito que terminou com índio morto, clima é tranquilo na fazenda Buriti

Francisco Júnior e Viviane Oliveira
Velório de terena morto na Buriti.Velório de terena morto na Buriti.
Área onde aconteceu o conflito. (Foto: João Garrigó)Área onde aconteceu o conflito. (Foto: João Garrigó)

O clima é tranquilo na fazenda Buriti, em Sidrolândia, onde o indígena Oziel Gabriel, de 35 anos, foi morto durante adesocupação da propriedade. A reportagem do Campo Grande News encontrou nesta manhã, no trajeto até a propriedade, apenas um pequeno grupo de indígenas andando pela estrada vicinal.

Na noite de ontem, após a saída da Polícia Federal e Polícia Militar,  um grupo de indígenas retornou ao local e ateou fogo em um galpão que fica próximo à sede da propriedade, que já havia sido destruída pelos terena.

A PM de Sidrolândia informou que não atendeu nenhuma ocorrência naquela região durante à noite de ontem e na madruga de hoje.

De acordo com o vereador de Sidrolândia, Claudinaldo Cotócio, a maioria dos indígenas está concentrada na aldeia Córrego do Meio, onde ocorre o velório de Oziel. O corpo de indígena será enterrado ainda hoje na aldeia.

Foram cerca de 8 horas de conflito na fazenda. Um grupo de indígenas resistiu à reintegração. Primeiro, os terena atearam fogo na sede da fazenda Buriti, ao saberem da chegada de policiais no local. Depois, ainda tentaram ficar espalhados pela propriedade. Também queimaram duas pontes que dão acesso à propriedade. A situação só foi controlada por volta das 15h.

Além de Oziel, outros 5 terena ficaram feridos, 4 homens e uma mulher. A Policia Federal garante que três policiais tiveram escoriações. No total, 15 indígenas foram detidos e encaminhados para a sede da Polícia Federal, em Campo Grande. Todos prestaram depoimento durante a madrugas e já foram liberados.

A disputa entre a família Bacha e os índios terena das aldeias Lagoinha e Corrego do Meio começou na década de 90. Em 2003 os índios entraram pela primeira vez na fazenda e saíram pacificamente após decisão judicial.



A nossa sociedade e mesmo sem nenhum tipo de senso critico para casos como estes, não consegue opinar em situação de tamanha gravidade como esta. Acho absurdo o que aconteceu, agora vão demarcar essa área depois de um confronto com morte, tomara que agora, puna os responsáveis, fazendeiro ou policiais e que sobre também p/ esse juiz capacha de fazendeiro.
 
jose oliveira em 31/05/2013 13:13:54
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions