A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

17/01/2008 10:01

Polícia nega suspeita contra ex-namorado da mãe de Dudu

Redação

O delegado de Polícia Civil Walmir dos Santos Messa, responsável pela investigação do desaparecimento do menino Luiz Eduardo Martins Gonçalves, de 10 anos, negou nesta manhã que haja alguma suspeita concreta de envolvimento no sumiço do garoto do ex-namorado da mãe de Dudu, José Aparecido Bispo da Silva, de 51 anos, mais conhecido como Cido. Apesar disso, policiais e peritos estão fazendo uma varredura no local, no Jardim das Hortênsias, e quebraram o piso do quarto, recentemente colocado.

Diferente da informação inicial, de que haveria a suspeita de que o corpo de Dudu pudesse estar enterrado no imóvel, o delegado disse que a polícia se mobilizou não para investigar um possível envolvimento de Cido no desaparecimento, mas sim a pedido dele, que alegou temer pela própria segurança, em razão das suspeitas da comunidade contra ele. Ele nega que tenha qualquer relação com o desaparecimento do menino.

A mãe de Dudu, Eliane Aparecida Nascimento Martins, e o pai, Roberto Gonçalves, acompanham o trabalho da polícia, em mais um dia de agonia desde que o garoto sumiu.

Cido disse à reportagem que está com medo e que no fim de semana um carro escuro passou perto de sua casa e um dos ocupantes teria apontado para ele, dizendo apenas "foi esse". Diante da pressão, o aposentado que diz trab alhar com jardinagem decidiu procurar a polícia e pedir a diligência em sua casa. O delegado, por sua vez, afirmou que, diante dos "rumores e das suspeitas", convocou a perícia para a varredura na casa, mesmo sem a investigação policial ter apontado Cido como um suspeito efetivo.

Comportamento estranho - Apesar da negativa do delegado, os pais vêem Cido como um suspeito. O pai sempre revelou essa suspeita e disse hoje que o ex-namorado da mulher nunca lhe inspirou confiança. A mãe, por sua vez, disse que Cido, que é seu vizinho, tem tido comportamentos estranhos, é que ultimamente andou queimando coisas no quintal.

Além de quebrar o piso do quarto, os peritos fizeram uma busca no quintal da casa, sem, contudo, fazer escavação.

Buscas continuam - O delegado disse que a procura por Dudu continua e voltou a pedir apoio da população. De acordo com ele, os conselheiros tutelares de todo o País foram acionados para ajudar na procura.

Desde que o menino desapareceu, no dia 22 de dezembro, a Polícia Civil vem descartando a hipótese de que ela tenha sido morto. A única pista do garoto, os chinelos dados recentemente dados pela mãe, não passaram por perícia. O delegado disse que isso só ocorreria se houvesse alguma sinalização de o menino está morto.

O delegado reiterou que a população pode ajudar ligando para a DPCA (Delegacia de Proteção à Criança e Adolescente), onde o caso é investigado. O número é o 3385-3456.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions