A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

09/07/2009 13:35

Preso na Capital maior fornecedor de armas para o RJ

Redação

Apontado pela Polícia Civil do Rio de Janeiro como o maior fornecedor de armas para as favelas cariocas, Antônio Jorge Gonçalves dos Santos, foi preso no último domingo (5), em Campo Grande.

Antônio, que é conhecido como Tony, ou "Senhor das Armas", e foi surpreendido quando circulava pelo Shopping Campo Grande. Ele foi preso pela DRAE (Delegacia de Repressão a Armas e Explosivos) do Rio de Janeiro, com o apoio do Garras.

Ele estava na Capital de passagem e seguiria para Corumbá e Porto Soares, cidade boliviana vizinha à sul-mato-grossense, para negociar armas.

De acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Estado fluminense, Antônio adquiria armas do exército boliviano e drogas na Bolívia e em Corumbá, e então encaminhava para o Rio de Janeiro em caminhões.

As cargas dos mais diferentes produtos serviam para despistar a Polícia. Também para não ter material apreendido, ele usava uma rota diferente das que outros traficantes costumam utilizar.

Os caminhões com as armas adquiridas por Antônio saíam da Bolívia e/ou de Corumbá, e de Mato Grosso do Sul, seguiam para o interior de Mato Grosso. Do Estado vizinho, continuava por Caldas Novas, Uberlândia e Juiz de Fora, em Minas Gerais. Após o estado mineiro, ia para a BR-040 até chegar à capital fluminense.

Só em junho, o traficante mandou para as favelas cariocas, em especial à do Complexo do Alemão, 39 fuzis. As armas eram negociadas a altos preços.

Uma metralhadora chegava a custar aos traficantes das favelas R$ 30 mil. As pistolas, negociadas entre US$ 600 e US$ 900 e o fuzil AK 47, até R$ 60 mil, conforme o estado de conservação. Ele também mandava drogas para favelas de Niterói.

Fora de suspeita - O criminoso se estabeleceu na cidade de Caldas Novas, onde vivia com a família como um cidadão comum de classe média, sem qualquer suspeita.

O dinheiro do tráfico era recebido por Tatiana Azevedo Maciel e Paulo Roberto Aquino Junior, que encaminhava ao criminoso. Os dois foram presos na favela do Beltrão, em Niterói.

Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions