A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 26 de Setembro de 2018

17/08/2018 10:38

Preso pela Lama Asfáltica, servidor ganha promoção do governo

Wilson Roberto Mariano de Oliveira é ex-deputado estadual e foi investigado durante os desdobramentos da operação

Mayara Bueno
Beto Mariano ao chegar para prestar depoimento no MPE, em novembro de 2015. (Foto: Gerson Walber/Arquivo). Beto Mariano ao chegar para prestar depoimento no MPE, em novembro de 2015. (Foto: Gerson Walber/Arquivo).

Servidor da Agesul (Agência de Gestão de Empreendimentos de Mato Grosso do Sul) preso pela Operação Lama Asfáltica, o ex-deputado estadual Roberto Mariano, consta em uma relação de funcionários que foram promovidos pela administração estadual.

Segundo o Diário Oficial do Estado desta sexta-feira (dia 17), os servidores estão recebendo progressão funcional "por antiguidade". Hoje, a remuneração bruta dele gira em torno de R$ 21.221,29, conforme dados do Portal da Transparência.

Outros 11 estão na lista da Agência de Gestão de Empreendimentos, mas ainda há funcionários de outras pastas recebendo promoções no Diário Oficial.

Beto Mariano, como é mais conhecido, é fiscal de obras. Na Lama Asfáltica, que já realizou cinco fases para apurar desvio de dinheiro em obras públicas, o servidor foi preso em duas fases da operação, a mais recente em 2017, a Papiros de Lama.

Na ramificação estadual da operação Lama Asfáltica, o MP/MS (Ministério Público de Mato Grosso do Sul), que apura enriquecimento ilícito de todos os agentes públicos investigados desde 2015 pela Polícia Federal, Wilson também foi alvo. A primeira ação na Justiça Estadual resultou em bloqueio de R$ 3,6 milhões do servidor público.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions