A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

09/04/2013 16:29

Quadrilha presa em MT e MS vendia carteira de motorista para analfabetos

Nadyenka Castro e Viviane Oliveira
Promotor Marcos Alex, responsável pela operação. (Foto: Marcos Ermínio)Promotor Marcos Alex, responsável pela operação. (Foto: Marcos Ermínio)
Ivan Costa, apontado como chefe do bando, foi trazido de Cuiabá em helicóptero. (Foto: Vanderlei Aparecido)Ivan Costa, apontado como chefe do bando, foi trazido de Cuiabá em helicóptero. (Foto: Vanderlei Aparecido)

A quadrilha desarticulada nesta terça-feira vendia CNH (Carteira Nacional de Habilitação) até para analfabetos. Sem ter os requisitos básicos para tentar autorização para dirigir, essas pessoas pagavam de R$ 1,5 mil a R$ 3 mil para conduzirem veículos ‘legalmente’. Há suspeitas de envolvimento de funcionários do Detran (Departamento Estadual de Trânsito) na fraude.

De acordo com o promotor de Justiça do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), responsável pela operação Risco Duplo, as sete pessoas presas fraudavam CNHs e certificados de cursos. Os documentos eram feitos de acordo com pedidos, que, na maioria das vezes saíam de moradores de 12 municípios do Estado, entre elas: Nioaque, Bonito, Jardim, Vicentina, Dourados, Fátima do Sul, Campo Grande e Rio Brilhante.

Esses documentos eram feitos em papéis moedas originais que saíam de Cuiabá, Mato Grosso, onde foi preso o advogado e ex-dono de autoescola Ivan Costa dos Reis. O promotor ressalta que as folhas não foram furtadas do Detran mato-grossense e sim “desviadas”.

De Cuiabá, as habilitações já vinham para Mato Grosso do Sul praticamente prontas: com dados corretos dos ‘compradores’ e numeração falsa. Aqui, era colocada a foto. Se o dono da CNH tivesse que apresentar à fiscalização, a fraude era descoberta.

Em Mato Grosso do Sul eram falsificados também os certificados de cursos como de transporte de cargas perigosas e de passageiros. Só em Nioaque foram encontrados 15 motoristas de uma usina em situação irregular. Esses documentos eram vendidos a R$ 400.

Os sete presos já foram ouvidos e os depoimentos deles indicam o envolvimento de funcionários do Detran. Para o Gaeco, “é impossível” que não haja participação de servidores públicos. Um dos presos declarou ainda que a maioria das CNHs foi vendida a sitiantes analfabetos.

500 documentosO Gaeco começou a investigar o grupo no fim de outubro do ano passado e a próxima fase do trabalho é identificar os funcionários públicos envolvidos no esquema que, em menos de três meses, póde ter comercializado 500 documentos falsos, sendo já confirmados 50 CNHs.

Entre os sete presos, três são advogados e cinco são donos de centros de formação de condutores credenciados pelo Detran.

Foram presos Ednaldo Francisco de Lima, de 43 anos, em Nioaque; os irmãos Elcilande Serafim de Souza, 46 anos, Elcimar Serafim de Souza, 37 anos, e Elcivar Serafim de Souza, 58 anos, em Anastácio; Gilmar Rabelo Ferreira, 40 anos, em Jateí; Adélio Paulino, de 63 anos, em Sidrolândia.

É apontado como chefe da organização criminosa, o advogado Ivan Costa. Ele foi trazido de helicóptero para Campo Grande, onde vai ficar preso. As prisões são temporárias e os mandados foram expedidos pela Justiça de Fátima do Sul.

Todos os presos serão indiciados por falsidade ideológica e uso de documento falso. Os condutores que compraram ‘autorizações’ serão identificados e terão os documentos recolhidos.

A ação envolveu promotores de Justiça, a PRF (Polícia Rodoviária Federal) e a PM (Polícia Militar). Foram empregadas 26 viaturas e uma aeronave.



A Justiça pode ser cega... mas tem outros sentidos avulsados... A "farinha" é terra de gente simples e de homens honestos. Eles não foram nascidos e muito menos criados ali. Apenas vieram para aplicar golpes.
 
Roberto Paiva em 10/04/2013 07:30:35
Nossa , ta resolvido o problema de criminalidade no estado, acabaram com o pcc, nao tem mais assaltante e nem assaltante. quem sera que vai pagar por essa operaçao qque teve ate helicoptero. sera que precisava de tudo issso.
vai sobrar a conta pro contribuinte, mais uma vez
 
marina monteiro em 09/04/2013 23:34:28
Quem diria daqui de Anastácio os irmãos Serafim de Souza,gente conceituada aqui na cidade ,orgulhosos,arrogantes ,prepotentes,metidos ,envolvidos nessas artes de fazer falcatruas,esta ai um dia a casa cai..pegaram vocês .Tem que fazer esses indivíduos pagar pelos seus crimes .....Cadeia neles
 
joão vicente h. de amorim em 09/04/2013 19:09:28
Gostaria se possível, a reportagem informar como identificar estas CNH falsas, para que as autoridades competente tire de circulação estes maus condutores.
 
Ademir Cristaldo em 09/04/2013 17:35:21
que pena que as pessoas se tornam gananciosas...estudou com tanto sacrificio,a mãe batalhando e agora ver seu filho preso.Ivan foi meu amigo de adolecencia,grupo jovem;que decpeção pra nossa terra Jatei.
 
fatima ardaia em 09/04/2013 17:15:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions