A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

01/03/2011 16:33

Queda de braço entre plano de saúde e médico deixa paciente sem consulta

Marta Ferreira
A partir de hoje, Proncor não atende plano de saúde após as 18h30.A partir de hoje, Proncor não atende plano de saúde após as 18h30.

A restrição de atendimento imposta a partir de hoje pelo hospital Proncor, em Campo Grande, aos pacientes de planos de saúde trouxe à tona um problema que muitos segurados vivem no dia-a-dia já há algum tempo: a insegurança na hora de procurar atendimento por profissionais.

É crescente o número de médicos que deixam de atender por planos de saúde. Nessa queda de braço, quem mais se sente prejudicado é o cliente do plano de saúde. A jornalista Nanci Silva, de 43 anos, descobriu no mês passado ao marcar uma consulta de rotina com sua ginecologista há 20 anos, que ela não atende mais pelo plano de saúde. Resultado: pagou pela consulta e agora precisa autorizar cada exame médico, que antes só precisava levar à clínica onde faria o procedimento.

Nanci teve a mesma surpresa desagradável ao tentar marcar pediatra para os dois filhos. O profissional que acompanha os meninos desde pequenos também não atende mais pelo plano de saúde.

“O que faço diante disso? Minha médica me acompanha há 21 anos. Tenho histórico de nódulos mamários que precisam ser acompanhados. Ela tem o meu prontuário. Os meus filhos também tem uma relação de confiança com o pediatraque os acompanha desde os 3 anos de vida”, indigna-se a jornalista.

Diante desse quadro, as regras estabelecidas indicam que resta ao usuário de plano de saúde confiar e esperar em uma negociação que traga de volta para o quadro dos planos profissionais que decidiram abandonar o barco.

É que, conforme explica o superintendente do Procon,Lamartine Ribeiro, só existe obrigação de o profissional atender pelo plano quando está credenciado a ele. “Fora isso, a única obrigação, como é com qualquer fornecedor, é atender se a pessoa chegar com dinheiro na mão

Presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul, Marcos Leite.Presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul, Marcos Leite.

Insatisfação- O motivo maior para o descredenciamento é financeiro, segundo confirma o presidente do Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul, Marcos Leite.

De acordo com ele, profissionais que já tem clientela feita e independência suficiente para se manter sem o plano de saúde estão optando pelo descredenciamento.

A entidade não tem um levantamento a respeito, mas esse dado está sendo buscado, para subsidiar um movimento de renegociação das bases de relacionamento entre os médicos e os planos de saúde que prevê, uma paralisação nacional no dia 7 de abril no atendimento dos profissionais da Medicina pelas seguradoras.

Em carta aberta à população, divulgada ontem, três entidades que congregam os médicos - (Conselho Federal de Medicina), AMB (Associação de Medicina Brasileira) e Fenam (Federação Nacional dos Médicos), - explicam que no dia 7 de abril, “os médicos não realizarão consultas e outros procedimentos”. Segundo o texto, os pacientes previamente agendados serão atendidos em nova data e todos os casos de urgência e emergência receberão a devida assistência.

A explicação do documento para o dia de paralisação resume as dificuldades que, segundo o presidente do Sindicato dos Médicos de MS, os profissionais têm enfrentado.

Além de reclamar dos valores recebidos por uma consulta, próximos de R$ 40 em média, as entidades afirmam que o trabalho dos profissionais junto aos pacientes é afetado pelas diretrizes dos planos, sempre com a preocupação financeira.

“Os planos de saúde interferem diretamente no trabalho do médico: criam obstáculos para a solicitação de exames e internações, fazem pressão para a redução de procedimentos, a antecipação de altas e a transferência de pacientes”, afirma o texto.

Marcos Leite afirma, ainda, que os valores pagos aos médicos tiveram reajustes “irrisórios” nos últimos anos, enquanto é sabido que os preços pagos pelos segurados sempre sobem mais que a inflação.

Curso de instrutor de trânsito do Detran oferece 50 vagas na Capital
O Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) está com inscrições abertas para o curso de Formação de Instrutor de Trânsito e...
Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...


Aos que não sabem, para se manter um consultório funcionando, com funcionários, despesas gerais e IMPOSTOS, temos que fazer em média 60 a 80 consultas mensais por planos de saúde, sem lucro nenhum.....
 
Leandro de Azevedo Carvalho em 02/03/2011 11:31:43
Médico não fez juramento de pobreza!! Todos tem contas, filhos etc... e estão sendo explorados pelos planos de saúde que arrecadam uma fortuna e dão migalhas para quem na verdade faz o serviço junto à população.
Ao invéz de meter o pau nos médicos , pq o povo não se revolta com os políticos que na hora do voto pormetem mundos e fundos e vejam só a situação dos postos: sem médicos pois a prefeitura quer pagar uma miséria para um profissional atender centenas de pessoas com a responsabilidade da vida humana.

O povo brasileiro é manobrado pelos políticos que enriquecem a olhos vistos.
temos dezenas de medicos políticos. Cobrem deles! Temos um deputado federal eleito medico. Exijam!!! senão ele vai passar em brancas nuvens só enriquecendo no poder e todos aqui so reclamando, chorando em tumulo errado!! Basta!!
Senão esse país não vai pra frente nunca!
 
marcos almeida em 02/03/2011 10:03:44
Os medicos so atende consulta particular, por receberem mais. Porque tem o juramento no fim da faculdade. VIDA em primeiro lugar.
 
mateus yoshio em 02/03/2011 09:54:19
Todos "batem" e jogam a culpa pelo caos da saúde nos planos de saúde que deveriam ser apenas opcionais.

A raiz de todos os problemas está no poder público que arrecada impostos cada vez mais extorsivos para manter uma máquina pública cara e ineficiente.

Porque, ao invés de cobrar dos planos de saúde, dos quais a Unimed é a mais notória representante, a população não cobra do poder público (municípios, estados, união), que preste os serviços (saúde, segurança, educação, infraestrutura, ...) ???
 
Paulo Sérgio Franco do Amaral em 02/03/2011 08:05:42
Vou deixar esta briga entre os planos de saude e o medicos para eles resolverem, quero comentar aqui sobre o atendimento do medico particular, eles cobram pela consulta, vc paga e marca a hora, vc chega ao consultorio a secretaria diz, o medico esta atrazado tantas horas, pois vejam os medicos nao tem nenhum respeito pelos clientes, eles atende quando querem e os erros medicos quem resolve ?
 
MARCO ANTONIO NOGUEIRA em 02/03/2011 07:57:06
De tudo, só nos resta concluir o seguinte: De hora em diante, a "Academia" deverá excluir do protocolo das festas de formatura, a parte em que os doutores fazem o "Juramento de Hipócrates ", ou recomendar que o façam com os dedos cruzados, evitando assim - sutilmente - o constrangimento da quebra da promessa feita...
 
Augusto Malheiros em 02/03/2011 07:51:46
O que nos dá impressão é que os médicos já largaram seu empenho pela profissão e estão cada vez mais mercenários, talvez um termo de fidelidade por parte dos planos de saúde poderia amarrar esses profissionais pelo menos com seus clientes antigos.
 
Sandro Lima em 02/03/2011 07:32:26
Infelismente esse é o retrato de nosso país, antes éram só os coitados que não podiam pagar um plano médico que sofriam com o SUS,que é um SUSto mesmo.
Agora mesmo quem tem condições de pagar um plano de saude, vai sofrer também.
no meio dessa briga de medicos e planos quem perde somos nós os pascientes.......
haja pasciencia..............Que Deus nos ajude,só orando mesmo...........
 
Lauro Ferrari em 01/03/2011 09:24:25
Não dá para entender? Se os planos de saúde pagam para eles R$ 40,00 por consulta, poderia pelo menos aceitar receber menos que R$ 100 reais na consulta particular. O que não acontece. Eles pedem no mínimo R$ 200 reais. E preferem ficar sem receber nada, do que receber um valor de consulta mas de acordo com o poder aquisitivo de um cidadão normal. Eu sou uma pessoa que tenho rendimento superior a 6 mil reais. E não tenho condições de ficar pagando uma consulta, sempre, de R$ 250,00 reais. Tem que ter uma coerência na coisa. É uma questão de usar a cabeça, melhor receber R$ 100,00, ou receber R$ 40,00 do plano de saúde, ou prefere não receber nada, se considerar o valor absurdo de R4 250,00.
 
Pedro cardoso em 01/03/2011 06:50:57
O que faremos diante desta situação?pagamos plano de saúde e é muito difícil ter o atendimento...marcar consulta?dependendo do medico só depois de 2 ou 3 meses.consulta particular?a media é de R$: 250,00 á 300.00 reias.O SUS é um "susto".e ai o que faremos???pereceremos? morreremos??
 
Edna Maria em 01/03/2011 06:42:12
Olha, o que eu posso dizer é que estamos no meio do fogo cruzado de uma briga de gigantes (eles pensam que são). O pior ou o melhor (ainda não sei) é que quem os mantém são os nossos "bolsos". Mas, o pior mesmo é saber que a nossa saúde é o que menos importa para essas duas categorias. De um lado os médicos que restringem seus atendimentos e os que nos fazem esperar horas e horas e nos atendem em 10 minutos, já que abarrotam seus consultórios com milhares de pacientes por dia, para compensar o baixo valor pago pelos planos de saúde. E do outro, os planos de saúde que dificultam e/ou impendem a liberação de alguns procedimentos para terem menos gastos.
Pessoal, nós conveniados, temos que exigir mais, cobrar pela melhoria nos atendimentos. E não ficar apáticos diante de uma situação dessas. Somos meros expectadores da palhaçada que estão fazendo com o nosso dinheiro E PRINCIPALMENTE COM A NOSSA SAÚDE, OU DOENÇA... Vamos AGIR enquanto há tempo.
 
Tina Pereira em 01/03/2011 05:45:03
Juramento de Hipócrates ,a maioria da população não sabe deste juramento:

Eu, solenemente, juro consagrar minha vida a serviço da Humanidade. Darei como reconhecimento a meus mestres, meu respeito e minha gratidão. Praticarei a minha profissão com consciência e dignidade. A saúde dos meus pacientes será a minha primeira preocupação. Respeitarei os segredos a mim confiados. Manterei, a todo custo, no máximo possível, a honra e a tradição da profissão médica. Meus colegas serão meus irmãos. Não permitirei que concepções religiosas, nacionais, raciais, partidárias ou sociais intervenham entre meu dever e meus pacientes. Manterei o mais alto respeito pela vida humana, desde sua concepção. Mesmo sob ameaça, não usarei meu conhecimento médico em princípios contrários às leis da natureza.
-Pagamos plano de saúde e não temos atendimento, vamos para o SUS outro Deus nos acuda.
QUE PAIS É ESTE?Um pais capitalista ao extremo.....TUDO PELO DINHEIRO, você tem dinheiro , então eu atendo , se não tiver, vai orando e para o santo certo.
Estamos a merce da sorte,
 
Francisco de Araujo em 01/03/2011 05:38:53
Sem falar da dificuldade que o usuario de plano de saude tem para marcar consulta em consultório né...a Secretária sempre pergunta " Qual o seu plano de saude?" se vc falar q é o plano tal ela te marca para o fim do ano, agora se falar que é particular ela responde" pode vir agora"...´parece brincadeira né, mas não é não façam o teste!!!!
 
Daniela Fialho em 01/03/2011 05:16:14
Esses planos de saúde massacram medicos, pronto socorros e recebem uma fortuna dos associados. Porém ao repassar uma consulta a um médico de 42 reias bruto que tirando descontos cae para bem menos, não sobra nada.

Como que um profissional ou um pronto atendimento 24 horas vai sobreviver com essa miséria? Infelizmente p unico caminho é o dscredenciamento mesmo

Daqui ha seculos quando esse país for civilizado talvez as coisas fluam melhor. amém...
 
marcos almeida guimaraes em 01/03/2011 05:04:54
nao pagam melhor os médicos porque ao inves de cumprirem a função para o qual foram criados, alguns planos de saúde desviam a finalidade e investem o dinheiros dos segurados em times de futebol, alguns mediocres em campo e que devem verdadeiras fortunas ao inss. onde está a ANS que não fiscaliza a aplicaçao dos recursoe dos planos de saúde?.
 
jose fernando em 01/03/2011 04:47:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions