A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

12/02/2010 14:40

Repórter é absolvido de processo movido por delegada

Redação

O Juizado Especial Criminal considerou improcedente a queixa da delegada de Polícia Civil Maria Rita do Nascimento que acusou o repórter Jeferson da Luz Silva pelo crime de injúria após matéria publicada no Campo Grande News que dizia que ela já havia sido condenada por tortura.

A matéria de 17 de outubro de 2008 dizia que a delegada havia sido condenada a dois anos e quatro meses de prisão pela Justiça Federal por tortura, mas que ela poderia responder em liberdade.

O juiz de Direito Alexandre Branco Pucci entendeu que não existiu abuso no exercício da profissão e que os fatos não protegidos por segredo de justiça se tornaram públicos por órgão do próprio Poder Judiciário.

Em sua decisão, ele também afirma que o jornalista não teceu críticas ou juízo de valor e que agiu pautado pela liberdade de informação.

Autorização para psicólogos aplicarem terapia de reorientação sexual é mantida
O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília, decidiu hoje (15) tornar definitiva a decisão liminar (provisória) que havia pr...
Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions