A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

29/06/2010 09:24

Réu diz que matou ao tentar pôr fim a relacionamento

Redação

Réu confesso, o pintor Marcelo de Oliveira Vargas, de 28 anos, afirmou que matou o empresário Marcelo Zanardo, de 47 anos, em uma briga após tentar acabar com o relacionamento. Ele é julgado nesta terça-feira na 2ª Vara do Tribunal do Júri, em Campo Grande.

Ao ser preso, Vargas, que é casado e tem uma filha, relatou apenas que houve uma discussão, sem explicar o motivo do assassinato. Hoje, detalhou que conheceu Zanardo há cerca de seis meses.

O réu relatou que o empresário pediu uma informação na rua e, ao saber que ele era pintor, pediu o telefone para que ele pintasse kitinets de sua propriedade. Conforme Vargas, Marcelo Zanardo se apresentou como Eduardo e disse ser advogado. Zanardo era dono da rotisseria La Buona Cucina.

Em seguida, houve envolvimento afetivo e uma série de encontros. O último foi na pequena casa na rua Conselheiro Furtado, bairro Vila Vitória, em que o corpo de Zanardo foi encontrado no dia 22 de setembro do ano passado. O imóvel foi alugado por Zanardo uma semana antes de sua morte.

Ao ser interrogado, Vargas contou que chegou ao local, onde foi por outras duas vezes, em companhia de Zanardo. Eles estavam no veículo do empresário, um Pálio. Vargas conta que Zanardo tinha ciúmes e se mostrou incomodado em saber que ele foi a um show.

A discussão teve início no carro. Na casa, eles ficaram juntos, mas, conforme relato do réu, a briga recomeçou quando ele tentou ir embora. "Queria sair do relacionamento, ele não queria. Atrapalhava a minha vida, rondava a minha casa. Nesse dia, fui para terminar e dizer que não dava mais", afirma.

Durante a discussão, onde teria sido ameaçado pelo empresário, ele pegou a faca na cozinha. Vargas conta que entraram em luta corporal e chegaram ao quarto, onde o empresário foi morto. Zanardo levou 14 facadas.

Em seguida, o réu fugiu com o carro do empresário e levou o celular. "O celulat tocou e eu lembrei que tinha ligação dele para mim e do meu celular para o dele. Tentei tirar o chip, mas não consegui". O pintor confessou que vendeu o aparelho, mas disse não se lembrar por quanto.

Ele ainda conta que só descobriu a verdadeira identidade de Marcelo Zanardo quando entrou no carro e abriu sua carteira. Vargas, que também é acusado de furtar R$ 213 da vítima, disse que jogou a carteira em uma boca de lobo e desconhece o dinheiro. "Não queria que terminasse assim. Ele era uma pessoa muito bacana, pessoa boa".

Marcelo Vargas foi denunciado pelo MPE (Ministério Público Estadual) por homicídio duplamente qualificado: o crime ocorreu por motivo fútil e com recurso que dificultou a defesa da vítima. O pintor está preso desde 16 de outubro de 2009.

O júri é formado por sete jurados

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions