A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

10/05/2010 10:46

Reunião em Brasília discute gravação ilegal em presídio

Redação

Durante encontro na última sexta-feira sobre escutas ilegais no Presídio Federal de Campo Grande ficou decido que o presidente da Ordem dos Advogados em Mato Grosso do Sul, Leonardo Duarte, e o relator do processo no Conselho Nacional do Ministério Público, Almino Alfonso Fernandes, levarão o assunto até o Conselho Federal da OAB, em Brasília.

A nova reunião acontecerá na próxima segunda-feira, às 9h.

A entidade quer saber se está havendo escuta só no Presídio de Campo Grande ou se em outras unidades federais do País o mesmo procedimento é adotado.

Outras perguntas que ainda não foram respondidas é para quem foi deferida a quebra de sigilo da conversa reservada, porque e quais foram os advogados que tiveram a conversa gravada.

O teor da conversa realizada em campo grande no dia 7, com representantes do Ministério Público Federal, não foi revelado, apesar da OAB/MS e do próprio relator já terem informado que as gravações foram comprovadas e pedidas pelo MPF em Campo Grande.

Segundo o presidente da OAB/MS, durante a reunião em Brasília, eles também vão reafirmar a posição de que são "contra a simples instalação do equipamento de escutas no parlatório e na sala de visita íntima. Somos contra gravações, mesmo quando há ordem judicial, porque a lei prevê o direito a conversa reservada entre cliente e advogado", protesta.

Autorização para psicólogos aplicarem terapia de reorientação sexual é mantida
O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília, decidiu hoje (15) tornar definitiva a decisão liminar (provisória) que havia pr...
Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions