A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

30/10/2013 10:01

Sob risco de nova epidemia, morador não vê combate a dengue nos bairros

Viviane Oliveira
Débora  diz não ter visto a equipe do fumacê no bairro Noroeste. (Foto: Marcos Ermínio) Débora diz não ter visto a equipe do fumacê no bairro Noroeste. (Foto: Marcos Ermínio)

Sob o risco de uma nova epidemia de dengue, desta vez do tipo 4, o combate a doença nos bairros de Campo Grande ainda é tímido. Moradores de vários bairros reclamam que não vêem a aplicação do fumacê nem as operações de limpeza. Outra preocupação é a sujeira nos terrenos baldios espalhados por todo lado da cidade, que com a falta de cuidado dos donos e vizinhos, ajuda na proliferação do mosquito.

Só neste ano foram registrados mais de 43 mil casos e 12 mortes, na Capital. Em todo Estado este número chega a 100 mil notificações, com 31 mortes. No bairro Guanandi, a dona de casa Ângela de Leon, 64 anos, diz que faz tempo que não vê o carro do fumacê passando na região. “Eles passaram no começo do ano, porém desde que começou a temporada de chuva, não vi mais a equipe fazendo os trabalhos de borrifação”, diz.

Moradora do mesmo bairro, Alice Rodrigues dos Anjos, 73, também relata que não tem visto o fumacê. “Peguei dengue há quatro anos e tenho medo de contrair a forma mais grave da doença”, reclama.

Longe do bairro Guanandi, do outro lado da cidade, no Jardim Noroeste, a dona de casa Débora de Jesus, 26, também diz não ter visto a equipe do fumacê na região. “Tenho a consciência que cada um tem que fazer a sua parte para evitar uma nova epidemia, mas aqui no bairro tem muita sujeira e terreno baldio, por isso, é necessária uma campanha maior”, destaca.

A Prefeitura anunciou no último dia 16, que as ações de combate à dengue com uso do fumacê foram intensificadas pelo CCZ (Centro de Controle de Zoonoses). Segundo o órgão, foram 20 veículos montados com bombas para borrifação e mais 95 novos agentes chamados para fazer os trabalhos nos bairros.

Basta dar uma volta na cidade para encontrar lixo em terrenos vazios. (Foto: Marcos Ermínio) Basta dar uma volta na cidade para encontrar lixo em terrenos vazios. (Foto: Marcos Ermínio)

A média do último Lira (Levantamento do Indice Rápido do Aedes aegipti, concluído no mês de setembro deste ano, foi de 0,2%, sendo que três localidades apresentaram índices acima de 1%: os bairro Planalto e São Francisco (1,1%) e o distrito de Anhanduí (1,5%). O próximo Lira deverá ser divulgado em novembro.

Neste ano os indicadores apresentados no Plano de Contingência para avaliar o alerta ou emergência para a dengue são: sorologia positiva para dengue, presença do sorotipo e monitoramento dos tipos presentes 1,2 e 4, monitoramento dos exames, casos graves em época não prevista e aumento da infestação predial.

Em todo País a doença aparece com quatro sorotipos, o que representa 4 chances de uma mesma pessoa contrair a doença, por mais que o tipo três ainda não tenha sido encontrado neste ano em Mato Grosso do Sul.

A classificação não é de gravidade, mas respeita a ordem que os vírus foram descobertos. O avanço do tipo 4 da dengue é uma ameaça a saúde publica, pois poucas pessoas foram infectadas com este tipo da doença no Estado.



O problema que as ´pessoas ficam esperando o fumaçê passar...ao inves de deixar seus quintais limpos e parar de jogar lixo em terrenos baldios....98% é falta de higienne da população ...... se cada pessoa pegasse aquela lata de refrigerante ou cerveja que toma ou ate mesmo uma tampa de garrafa...jogasse no lixo..a cidade não ficaria tão suja....
 
Maria oliveira em 30/10/2013 17:15:43
Limpeza dos terrenos? Isso não é obrigação da Prefeitura, não! Cada um tem que fazer sua parte!
 
João Dias em 30/10/2013 15:46:06
O combate a Dengue começa em nossas próprias casas, tampando bem a caixa d!água, cuidando para que n/se acumule água até em pequenos vasilhames, ñ/ jogando lixo nos terrenos baldios, não jogar descartáveis como: garrafas pet, latinhas, copinhos nas ruas, ñ/ varrer o lixo das calçadas e meio-fio para dentro do bueiro, enfim todo mundo tá cansado de saber e ser informado como combater a Dengue. Nas construções tbém são encontrados muitos focos. Se vc é consciente e já faz tudo isso e vir pessoas relaxadas praticando atos que podem prejudicar a saúde da população denuncie, fotografe! Liga p/a prefeitura, CCZ. Se cada um fizer seu papel, adeus dengue, leishimaniose e outras doenças só depende de consciência e educação. O ACS ñ/ é onipresente e só vai 1 vez no mês, 29 dias é por nossa conta.
 
MARIA DE FATIMA COSTA em 30/10/2013 14:59:16
éeeee é muito mais fácil reclamarem dos serviços prestados do que cuidarem das suas casas e não sujarem o terreno alheio por ai... onde moro tenho constante visita dos agentes! AGENTES não diaristas! Se todos fizessem sua parte não haveria novos riscos de epidemia.
 
Mariane Ortiz em 30/10/2013 13:36:18
O Poder publico não vai se mexer. Quando começar os casos e for noticiado em rede nacional a epidemia, ai sim todo mundo começa a trabalhar para mostrar serviço á população
 
Alex andré de souza em 30/10/2013 12:43:17
Hoje visitou a minha casa a agente sanitária da dengue e disse que encontrou muitos focos no meu bairro (Jardim Anahy). Vizinhança e povo de Campo Grande vamos cooperar, se não, não vai ter hospital que dá conta numa epidemia. Pior que mata.
 
Raul Martins em 30/10/2013 12:28:34
meu deus eu peguei dengue tenho muito medo de pegar denovo sempre cuido da minha casa mais nao sei as outras pessoas vamos combater a dengue pessoal
 
cristina santos em 30/10/2013 10:26:38
As pessoas em primeiro lugar.
 
NOEDI LEITE LARANJEIRA em 30/10/2013 10:11:13
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions