A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

21/06/2015 14:35

Sociedade de Ortopedia lança campanha sobre perigos dos fogos de artifício

Agência Brasil

A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) lança hoje (21), em todo o país, a campanha de conscientização Fogos de Artifício - um Espetáculo Perigoso.

Levantamento feito pela entidade revela que o número de acidentes provocados por fogos de artifício triplica no mês de junho, com a proximidade da festa de São João (23) e o aumento dos festejos juninos em todas as regiões do país. “Nos momentos de festa, as pessoas bebem, perdem um pouco o senso do perigo e começam a transgredir algumas regras básicas de segurança” , disse à Agência Brasil o presidente da entidade, Marco Antônio Percope. Segundo ele, as pessoas deixam de ler e respeitar o que a fábrica ou o local de venda desses produtos recomenda aumentando as probabilidades de acidentes.

O resultado, segundeo ele, é o aumento de traumas ortopédicos registrados nas emergências dos hospitais nesse período do ano. A amputação de membros é o mais grave desses traumas.

Há ainda riscos de queimaduras nos olhos, inclusive com perda de visão, e problemas auditivos gerados por estampidos. Queimaduras também são frequentes. Mais da metade dos casos de queimadura de mão são em decorrência do uso de fogos de artifício. Cerca de 10% desses casos registram ainda amputação de dedo ou da própria mão. “É um problema de saúde pública sério porque ocorre em todo o país”, destacou Percone.

O estado que apresenta o maior número de acidentes com queimas de fogos é a Bahia (296 registros de hospitalização em quatro anos), seguido por São Paulo (289 casos), Minas Gerais (165), Rio de Janeiro (97), Paraíba e Paraná (61 casos cada), Ceará e Goiás (45 casos cada), Santa Catarina (44 casos) e Pará (37 casos), segundo levantamento da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia.

O estudo aponta ainda 122 mortes decorrentes de queima de fogos, nos últimos 20 anos, sendo 48 no Nordeste, 41 no Sudeste, 21 no Sul e 12 nas regiões Norte e Centro-Oeste. “A maior causa de óbito são as queimaduras maiores, que envolvem grande parte do corpo”, disse Marco Antônio Percope.

O levantamento mostra ainda que, apesar de ser proibido o manuseio de fogos de artifício por menores de 18 anos, 23,8% dos acidentes ocorrem com pessoas dessa faixa etária. Outros 45,2% dos acidentados estão entre 19 e 59 anos e 28,8% têm mais de 60 anos.

A recomendação da entidade é que crianças e adolescentes não brinquem com fogos de artifício. “Esse é um dos motes da nossa campanha: orientar os pais sobre como manusear fogos de artifício e não deixar que crianças e adolescentes mexam com esses artefatos”, lembrou.

Durante todo o mês de junho, as regionais da sociedade vão distribuir folhetos educativos nas capitais e principais cidades brasileiras com orientações didáticas.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions