A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

24/03/2011 15:35

TJ diz que já presta contas, mas que está disponível para auditoria externa

Marta Ferreira
Sessão do Tribunal Pleno do TJ. (Arquivo)Sessão do Tribunal Pleno do TJ. (Arquivo)

Em resposta à sugestão apresentada pela Rede de Controle da Gestão Pública de realização de auditoria externa nas contas do TJ (Tribunal de Justiça) de Mato Grosso do Sul, o presidente da Corte, desembargador Luiz Carlos Santini, afirmou, em nota divulgada hoje, que já presta, mensalmente, contas detalhadas de todas suas operações e demonstrativos contábeis, fiscais, financeiros, econômicos. A Rede encaminhou ofício pedindo que fosse feita auditoria externa tanto no Judiciário quanto na Assembléia, alvos de denúncias de irregularidades no ano passado.

Em nota divulgada nesta tarde, o presidente do TJ diz que deixa à disposição da Rede de Controle a realização de auditoria externa de todas as operações e demonstrativos do poder judiciário. Porém, enfatiza que que o pagamento de auditoria independente deve ser realizada por outra entidade, para que a contratação não seja considerada viciosa ou tendenciosa.

A nota afirma que, “de forma a tornar pública sua gestão administrativa a toda a sociedade sul-mato-grossense, o Poder Judiciário de MS disponibiliza no portal do TJMS o link Transparência, canal direto de acesso a informações administrativas, financeiras e orçamentárias do órgão”.

O texto prossegue dizendo que, neste local, o Tribunal de Justiça divulga de forma transparente as atividades do judiciário estadual, em cumprimento ao disposto no art. 37, caput e parágrafo 1º, da Constituição Federal; arts 48 e 48-a da Lei Complementar nº 101, de 4 de maio de 2000, com as alterações efetuadas pela Lei Complementar nº 131, de 27 de maio de 2009; e Resolução nº 79, de 09 de junho de 2009 do Conselho Nacional de Justiça. “O link transparência está alicerçado nos princípios inerentes à Administração Pública: legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência”, afirma o texto.

O material distribuído à imprensa lembra, ainda, que no final do ano de 2010, o Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul foi o 18º tribunal do país inspecionado pela Corregedoria do Conselho Nacional de Justiça. A inspeção foi no período de 29 de novembro a 3 de dezembro de 2010, quando magistrados e servidores do CNJ analisaram todas as atividades do judiciário estadual, na área administrativa e de gestão, como salienta o texto.

“Temos todas as operações e movimentações abertas a todos os cidadãos por meio do nosso site. O Poder Judiciário de Mato Grosso do Sul sempre foi exemplo com a transparência de todas as suas ações”, afirmou Santini.

Rede de Controle da Gestão Pública sugere auditoria externa no TJ e Assembleia
A Rede de Controle da Gestão Pública de Mato Grosso do Sul deliberou, em sua 10ª reunião ordinária, na última sexta-feira, o encaminhamento de solici...
Curso de instrutor de trânsito do Detran oferece 50 vagas na Capital
O Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) está com inscrições abertas para o curso de Formação de Instrutor de Trânsito e...


Dr. Luiz Carlos Santini, queremos andamento nas nomeações para área meio urgentemente, qual o motivo de não terem nomeado ninguém área meio??? Precisamos de uma resposta??? Estamos aflitos!!!
 
Maria Antônia em 25/03/2011 08:08:02
Ta na hora de vereficar SIM, sabe quem não deve não teme, então PEÇA A QUEBRA DO SIGILO TELEFÔNICO , COISAS USADAS COM CIDADÃOS COMUNS, TJ DE JUSTIÇA DEVE SER INVESTIGADO, OQ FOI DENUNCIADO DO TJ, SÓ VAI FICAR IMPUNE SE O POVO DO BEM SE CALAR, INVESTIGUEM POIS ONDE HÁ FUMAÇA COM CERTEZA, HÁ FOGO, SE NÃO HOUVER, NESSE CASO ENCOMENDEM PIZZAS PARA TODOS OS SUL MATOGROSSENSES, O POVO AGUARDA RESPOSTAS....
 
Giordana Oliveira em 25/03/2011 06:38:01
Fiquei atônito ao acessar o "canal direto de acesso a informações administrativas, financeiras e orçamentárias do portal do TJMS, site indicado na reportagem (link Transparência) e ler que um desembargador tem remuneração líquida de R$16.254,67 e um juiz substituto R$12.700,92. Foi quando percebi que a referência é de 01/02/2010.

Menos atônito e agora intrigado, fiquei pensando com meus botões: "Com um reajuste de 6%, essas importâncias serão atualizadas para R$17.230,00 e R$13.463, respectivamente. Além da discrepante diferença entre os vencimentos (considerando as carreiras percorridas), deve ser muito difícil manter o padrão de vida dessas autoridades com vencimentos dessa ordem (apenas em IRRF são mais de cinco mil reais). Isso é muito menos do que ganham deputados, empresários, profissionais liberais, muitos advogados, jornalistas..."

Graças à clareza e transparência das informações, posso afirmar com orgulho: esses homens e mulheres são verdadeiros paladinos!
 
Carlos Alberto Cordeiro em 24/03/2011 07:36:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions