A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

22/08/2013 11:27

Total de presos cresce 16% e polícia vê “boom” de mulheres no tráfico

Graziela Rezende
Número de mulheres aumentou no tráfico de drogas. Foto: Marcos ErmínioNúmero de mulheres aumentou no tráfico de drogas. Foto: Marcos Ermínio
Tráfico de drogas já aumento 16,3% este ano. Foto: Marcos ErmínioTráfico de drogas já aumento 16,3% este ano. Foto: Marcos Ermínio

Aliciadas pelo tráfico, para dar continuidade ao “negócio” do companheiro, muitas vezes já preso por vender entorpecente, o aumento de mulheres neste crime chama a atenção da Polícia. E a participação feminina é um dos fatores que contribui com o aumento de 16% no número de presos por tráfico na Capital este ano.

Segundo o delegado Rodrigo Yassaka, em todas as ações recentes da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), a maioria dos flagrantes foi de pessoas do sexo feminino. A última operação do dia 09/08, por exemplo, teve 12 prisões, sendo oito mulheres.

“Temos algumas vertentes, principalmente de que o homem vai para a cadeia e lá recebe ordens do crime organizado ou até mesmo é ameaçado para dar continuidade no tráfico de drogas, aliciando para isso a sua mulher e familiares. Com isso, elas assumem a comercialização da droga”, afirma o delegado Yassaka.

Além da venda, muitas vezes a mulher colabora mantendo a droga “estocada” em sua residência, principalmente como entreposto para levar para outros Estados.

“Essa pode ser a explicação para esse “boom” de mulheres, que já representam um número significativo das prisões este ano. Outra motivação é que, apesar de ser um crime hediondo, cuja pena varia de cinco a 15 anos de reclusão, é uma ação sem violência, na qual dificilmente essa autora irá entrar em confronto com a polícia”, explica o delegado Yassaka.

Em junho deste ano, no conjunto Aero Rancho, a maior fornecedora de drogas, uma jovem de 24 anos, foi detida. Ela fornecia ao menos um quilo de cocaína por dia para ser distribuída por “boqueiros” da Capital.

“Nós combatemos o crime e não o criminosos, por isso não fazemos distinção entre homens, mulheres ou até mesmo jovens infratores, por isso a mulher responde pelo crime da mesma forma”, comenta o delegado.

Estatísticas: Segundo dados da Sejusp/MS (Secretaria de Justiça e Segurança Pública de Mato Grosso do Sul), do início deste ano até ontem (21), 533 pessoas foram presas por tráfico de drogas em Campo Grande. No mesmo período, em 2012, 458 pessoas foram para a cadeia, culminando no aumento de 13,3% no número de prisões.

Na última ação, 24 policiais da Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico), 5ª Delegacia, Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) e Garras (Delegacia Especializada de Repressão a Roubo a Banco, Assaltos e Sequestros) vistoriaram casas nos bairros Jardim Carioca, Jardim Talismã, São Conrado, Portal Caiobá e José Abrão.



Antonio Marcos creio eu que não adianta investir na segurança e sim nas leis! Não adianta termos 1000 policiais nestes mês, prenderem 2000 criminosos e nos mês seguinte aparecerem mais 2000 criminosos e a justiças soltar 1000 do mês anterior! Com isso teriamos 3000 criminosos nas ruas para somente 1000 policiais e viraria uma bola de neve, sempre aumentando o numero de criminosos e policiais sem diminuir a criminalidade! Pena de morte além de intimidar os crimes violentos diminuiria o numeros de detentos, consequentemente os gastos com os mesmos. Prisão perpétua para reincidadentes iria inibir a volta ao crime. Simples, mas que prejudicaria os grandes criminosos no governo!
 
Alexandre de Souza em 22/08/2013 17:53:49
Combater a droga é o mesmo que secar gelo! Infelizmente... O nosso atual Governo deveria investir mais na segurança pública. Seus atuais investimentos estão longe de serem bons para o Estado. Viaturas sucateadas, escalas de plantões cansativas, etc, etc, etc...
 
Antonio Marcos em 22/08/2013 15:01:56
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions