A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Setembro de 2017

10/09/2017 19:56

Três casos no dia de alerta confirmam: MS precisa falar de suicídio

No dia de conscientização e prevenção ao suicídio, MS tem 3 casos que engrossam estatística preocupante

Richelieu de Carlo e Helio de Freitas, de Dourados
Sempre sorridente, parentes e amigos tentam entender por que Ana Valeria tirou a própria vida. (Foto: Reprodução/Facebook)"Sempre sorridente", parentes e amigos tentam entender por que Ana Valeria tirou a própria vida. (Foto: Reprodução/Facebook)

Neste dia 10 de setembro é celebrado o Dia Mundial de Combate ao Suicídio, criado para as pessoas refletirem sobre o problema. Nesta data, os casos de pessoas que tiram a própria vida acabam tendo um efeito simbólico e chamam a atenção. Em Mato Grosso do Sul, foram três casos que vieram a público.

Este domingo amanheceu triste para parentes e amigos de Ana Valeria Pio da Silva, 18 anos. Um primo que havia combinado de sair com ela, estranhando não ter respondidas suas ligações, foi até a casa de Ana para saber o que aconteceu.

Sem resposta também ao chegar na casa, no Jardim Imá, em Campo Grande, Ricardo Vieira pulou o muro da residência e foi até a edícula onde a prima vivia. Ao chegar ao local, encontrou Ana da Silva sem vida, com indícios de que havia cometido suicídio.

Segundo relatos de parentes registrados em Boletim de Ocorrência, Ana não apresentava nenhum indício de que poderia cometer tal ato, até mesmo porque, horas antes, ela animara uma festa em família tocando violão. E não apresentava sinais de depressão.

Uma vizinha de Ana, que prefere não ser identificada, também relata ter ficado perplexa diante do que aconteceu, pois Ana sempre foi “animada, jovem, cheia de vida”. “Não consigo colocar na minha cabeça que isso aconteceu”, diz a vizinha incrédula, que chegou a falar com Ana há alguns dias. “Sempre foi sorridente e alegre, a gente não consegue entender o por quê”.

Deodápolis, a 252 km da Capital, também amanheceu de luto. Ex-primeira dama da cidade, Cirene Passarini Martins, cometeu suicídio, de acordo com o site Fatima News. Cirene foi casada por anos com o ex-prefeito Manoel Martins, o ‘Manezinho’.

Segundo informações do portal, o corpo foi encontrado por uma irmã que chegou à casa na manhã de hoje acompanhada de amigos.

Cirene era coordenadora do EJA (Educação de Jovens e Adultos) na rede municipal de ensino de Deodápolis. Professora, sempre participou das causas sociais. Nos últimos anos ela vinha lutando contra um câncer.

No fim da tarde deste dia de combate ao suicídio, o indígena Cleiton Ramires, 16 anos, foi atropelado por um caminhão na MS 156, entre os municípios de Itaporã e Dourados, aproximadamente 233 km de Campo Grande.

Morador da aldeira Bororó, no norte de Dourados, uma das lideranças do local informou que o rapaz tinha ideias suicidas e que já tinha planejado como alcançaria esse objetivo. Com isso, a principal suspeita é de que o atropelamento não foi um acidente qualquer.

Tanto Ana Valeria Pio da Silva, quanto Cleiton Ramires fazem parte de grupos com maior incidência de casos de suicídio: jovens e indígenas.

Pessoas no local onde Cleiton Ramires foi atropelado. (Foto: Adilson Domingos)Pessoas no local onde Cleiton Ramires foi atropelado. (Foto: Adilson Domingos)

Para a OMS (Organização Mundial da Saúde), o suicídio é, hoje, uma epidemia e uma das principais causas de morte em todo o mundo, especialmente entre os jovens. Um suicídio acontece no mundo a cada 40 segundos, quase 800 mil vítimas por ano, e desse total de casos, segundo a OMS, 90% poderiam ser evitados.

Em Mato Grosso do Sul, outra particularidade é a questão indígena. O segundo Estado com a maior população de índios de todo o Brasil ainda engatinha quando o assunto é a prevenção do suicídio entre as comunidades. O relatório Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil – Dados de 2015, publicado pelo Cimi (Conselho Indigenista Missionário) em 2016, mostrou que metade dos suicídios entre indígenas ocorridos em 2015 no Brasil aconteceram no Estado.

Prevenção

Durante todo o mês é celebrado o “Setembro Amarelo” - campanha criada em 2014 para simbolizar a prevenção ao suicídio. Em Mato Grosso do Sul, no entanto, até o momento não houve agenda oficial da Prefeitura e do governo do Estado para abordar o tema.

A Prefeitura, conforme explicação da assessoria de imprensa, faz o lançamento oficial da campanha somente daqui alguns dias, em local e horário ainda indefinidos. A SES (Secretaria Estadual de Saúde), por outro lado, não terá nenhuma ação, segundo a assessoria de imprensa da pasta.

Novo canal - Mato Grosso do Sul terá um novo canal para prevenção. A partir do dia 30 de setembro o CVV (Centro de Valorização da Vida) passará a atender gratuitamente pelo 188 em Mato Grosso do Sul e mais 7 estados brasileiros.

Setembro Amarelo alerta para a prevenção ao suicídio
Assunto complexo, o suicídio, que espelha fatores biológicos, genéticos, psicológicos, sociais e também culturais, tem sido desvendado, nos últimos q...
Governo quer nova política de saúde mental; especialistas criticam manicômios
Em todo o Brasil, 18,6 milhões de pessoas (9,3% da população) sofrem com distúrbios relacionados à ansiedade. Já 11,5 milhões (5,8% do total) são afe...
Mês de prevenção ao suicídio começa sem agenda oficial em MS
O setembro amarelo - campanha criada em 2014 para simbolizar a prevenção ao suicídio - começa em Mato Grosso do Sul sem agenda oficial da Prefeitura ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions