A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

16/10/2013 08:50

Tribunal de Justiça de MS registra produtividade máxima no País

Aline dos Santos
Tribunal de Justiça teve produtividade de 100%. (Foto: Arquivo)Tribunal de Justiça teve produtividade de 100%. (Foto: Arquivo)

O TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) está na lista dos sete que alcançaram resultado máximo de produtividade em 2012. No ranking de melhor desempenho, também estão os tribunais de Justiça do Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro, Acre e Amapá, além dos Tribunais Regionais do Trabalho da 2ª Região e da 8ª Região.

De acordo com o relatório da pesquisa Justiça em Números 2013, divulgado pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça), os tribunais foram capazes de baixar mais processos comparativamente aos demais de mesmo porte e com recursos semelhantes.

No entanto, segundo o Departamento de Pesquisas Judiciárias, não significa que esses tribunais sejam completamente eficientes ou não precisem melhorar.

Novidade do relatório, o IPC-Jus (Índice de Produtividade Comparada) compara a produtividade entre tribunais do mesmo ramo e com estruturas similares (pequeno, médio ou grande porte).

Conforme o site de notícias do CNJ, os cálculos levam em consideração o volume de processos, a força de trabalho, as despesas e os resultados de produtividade obtidos. Na edição de 2013, a metodologia foi aplicada aos tribunais da Justiça Estadual e da Justiça Federal.

Dentre os tribunais de pequeno porte, os tribunais estaduais de Mato Grosso do Sul, Amapá e Acre obtiveram produtividade máxima (100%).



Tanto CNJ quanto o TJ/MS estão preocupados tão somente com "estatísticas". Os servidores do TJ/MS não são valorizados. Os inativos não recebem auxílio-alimentação, mas os magistrados e desembargadores inativos recebem; O valor do "fome-zero" dos servidores é de R$522,00 enquanto o auxílio-alimentação dos juízes e desembargadores é de R$1.200,00. Ademais, existe uma ação ganha pelos servidores até no STF contra o TJ/MS com relação ao Adicional por Tempo de Serviço e o TJ/MS até o momento não pagou, não paga e sequer chama seus servidores para um acordo. Assim, o Poder Judiciário que deveria dar exemplo, quer cobrar da população uma postura de respeito ao Direito que eles próprios não respeitam. E AINDA TEM GENTE INOCENTE QUE ACREDITA NA JUSTIÇA BRASILEIRA!!!!!.
 
João Vitor dos Santos em 16/10/2013 12:27:34
...e está entre os PIORES SALÁRIOS para os servidores no país, ao contrário do que muita gente pensa.
 
Sergio Roberto em 16/10/2013 11:31:08
E o CNJ observou como que alcançado essa meta? Os servidores trabalham muito e não são valorizados. No final "cumpriram a meta". enquanto muitos desses servidores estão se aposentando por invalidez e tratamento médico são muitos. é só o CNJ pedir quantos funcionários estão afastados para tratamento médico que verão como que chegam nessa meta e, quem leva a fama são poucos. Estamos pagando um preço caro, para fazerem essas propaganda de desempenho, o investimento no "humano" é quase "zero".
 
Kamél El kadri em 16/10/2013 10:44:56
Isso significa dizer que definitivamente inexiste proteção ao direito, mas, sim, uma busca constante de resultados de "produtividade". O CNJ exige cumprimento de metas e não aplicação do direito tutelado. É o fim dos tempos!
 
Ricardo Gutierres em 16/10/2013 09:53:50
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions