A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

14/09/2011 11:03

UFMS terá de renomear 27 prédios que homenageiam pessoas vivas

Marta Ferreira
MPF pediu urgência na mudança do nome da Biblioteca Central, em Campo GrandeMPF pediu urgência na mudança do nome da Biblioteca Central, em Campo Grande

A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) vai ter de renomear prédios que receberam nomes de pessoas vivas, em atendimento a recomendação expedida pelo MPF (Ministério Público Federal). De acordo com o órgão, foram identificados 27 imóveis

Conforme o órgão, a universidade se comprometeu a regularizar a situação em até 90 dias. O assunto deve ser levado ao Conselho Universitário.

A recomendação leva em conta a lei 6.454/77, que proíbe atribuir nome de pessoa viva a bem público.

Com isso, a UFMS vai ter de mudar o nome de nome de clínicas, bibliotecas, anfiteatros, pró-reitorias, faculdades, museu e outros prédios que integram as unidades de Campo Grande, Pantanal, Três Lagoas, Chapadão do Sul, Coxim e Paranaíba.

Em Campo Grande, o MPF pede que a Biblioteca Central da UFMS seja renomeada imediatamente. O local, reinagurado em 2008, homenageia a primeira bibliotecária do Estado, Hilda de Oliveira Lima.

A mudança com urgência, segundo o MPF, “se explica sobretudo pelo que representa, um verdadeiro espaço do saber”.

Outras recomendações - A regularização dos nomes dos imóveis faz parte de uma série de recomendações encaminhadas pelo MPF à UFMS.

Entre elas, está uma que detrmina a implantação de sistema de controle eletrônico de carga horária para os servidores - principalmente os profissionais médicos -“a fim de garantir o real cumprimento da jornada de trabalho pela qual são devidamente remunerados pelos cofres públicos”.

O HU informou que instituiu comissão multidisciplinar, formada por médicos, enfermeiros, assistentes sociais, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, técnicos de laboratórios, assistentes administrativos, representantes do sindicato da categoria e de vários segmentos do hospital. O controle de ponto deve estar implementado em 60 dias.



Lembro que no dia que votaram o nome da biblioteca no último do Coun (Conselho Universitário) do ano, e o último do professor Manoel Catarino Paes Peró como reitor, em um determinado momento ele foi agraciado com nome da Bilioteca Central. Votamos contra a indicação por ser inscontitucional, sobre represárias até ameaça de morte neste dia.
 
Ítalo MIlhomem Santos Zikemura em 14/09/2011 03:11:45
Muito legal ver que o MPF atua realmente, infelizmente cada processo demora anos para ser executado. Recentemente recebi do procurador Ramiro a decisão deste processo, antes da oficilialização desta recomendação.

 
Ítalo MIlhomem Santos Zikemura em 14/09/2011 03:10:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions