A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

11/06/2015 23:59

Usinas de MS já moeram 9,7 milhões de toneladas de cana em dois meses

Lúcio Borges

As usinas sucroenergéticas de Mato Grosso do Sul já contabilizam uma moagem acumulada de 9,787 milhões de toneladas de cana-de-açúcar no inicío do período 2015/2016. A quantia já foi contabilizada em menos de dois meses após iniciarem a colheita da safra, de acordo com o monitoramento do ciclo divulgado pela Biosul (Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul), nesta quinta-feira (11). A safra atual, que foi iniciada em abril deve seguir até janeiro de 2016. Com este numero a previsão é de um crescimento de 15% em cana até o final.

A comparação do volume processado nesta parcial da safra com o do mesmo período da temporada anterior, 2014/2015, que foi de 6,476 milhões de toneladas, o incremento foi de 51,14%. O índice que mede a qualidade da matéria-prima, o açúcares totais recuperáveis (ATR), também melhorou neste início de safra frente a anterior, subindo 4,56%, de 115,58 quilos por tonelada de cana para 120,85 quilos por tonelada de cana.

O presidente da Biosul, Roberto Hollanda, destacou que essa grande diferença no volume processado entre os dois ciclos é resultado mais de um péssimo início de colheita da safra 2014/2015 do que de evolução da safra 2015/2016.  "Ainda assim, continuamos com a previsão de crescer 15% em cana até o fim da safra. Na quinzena [segunda de maio], a produção poderia ter sido maior, não fosse o excesso de chuvas”, destacou Hollanda.

MIX

O mix de produção nesta “largada” de safra está em 79% da cana colhida sendo destinada ao processamento de etanol e 21% para o de açúcar. Na parcial, o volume de biocombustível fabricado chegou a 552,47 milhões de litros, dos quais 427,58 milhões de litros de hidratado e 124,9 milhões de anidro, enquanto que o processamento do alimento atingiu as 236,01 mil toneladas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions