A notícia da terra a um clique de você.
 
19/08/2018 09:25

Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?

Mário Sérgio Lorenzetto
Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?

Há dois séculos passar dos 40 anos era um milagre. Os que conseguiam eram considerados pouco menos que seres benditos pelos deuses. Mas, graças aos avanços médicos e sociais, a esperança de vida começou a aumentar a um ritmo considerável nos finais do século XIX. Agora, viver até os setenta e poucos anos é o habitual. E tudo aponta que viver até os 100 anos será, dentro de pouco tempo, bastante normal. Esta expectativa é celebrada pelas ciências como uma vitória da humanidade contra a morte. Mas, como viveremos esses novos anos? Podemos nos permitir o luxo de ser mais longevos?
No mundo científico se estudam essas questões tratando de vaticinar como será a velhice me poucos anos e como frear o incremento da desigualdade e da solidão, dois males especialmente associados a essa idade.
Um caso extremo é o Japão. Proporcionalmente é o país com maior número de idosos. Os espanhóis vem logo abaixo dos nipônicos. E é do Japão que vem os fatos mais estarrecedores. Além das dezenas de idosos que morrem a cada ano no verão, vítimas do calor abrasador e do esquecimento, começam a surgir inúmeros casos de idosos que cometem pequenos delitos, como roubar em lojas, para passar uma temporada na prisão. Ali, dizem, se sentem mais cuidados que fora das grades. Onde estavam, antes da prisão, se sentiam extremamente solitários ou o dinheiro não era suficiente para viver um mês.
Deixando de lado esta opção radical nipônica, se viveremos mais anos em razoáveis condições de saúde, poderemos transformar essa larga etapa de velhice em um bom projeto de vida? Os cientistas respondem a essa indagação afirmando que em um número cada vez maior, os indivíduos transformarão sua prolongada velhice em uma época de benefício próprio e não de penosa espera da morte. Os argumentos estão dados com as mudanças alimentares e com os exercícios a que os idosos já estão acorrendo.

Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?
Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?

As mudanças no mundo laboral para os idosos.

Se o século XX foi o da luta pela redistribuição da renda, o XXI será o da redistribuição do trabalho. A jornada poderia ser reduzida durante a criação dos filhos por alguns anos. Seriam recuperadas no futuro. Outra alternativa é de trabalhar quatro dias na semana e postergar a aposentadoria. Pode ser que a vida laboral comece mais tarde e se estenda até os 75 anos. Quando chegasse o momento de retirar-se , o sistema poderia ser mais flexível: trabalhar em tempo parcial ou por conta própria (reduzindo a quantia da pensão temporalmente).

Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?
Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?

Mudanças sociais e políticas para idosos.

Mas além do assunto laboral, é provável que ocorram mudanças sociais nos próximos anos. Por exemplo, que se generalize a ideia de ter várias vidas matrimoniais. Nos países com mais idosos, o casamento entre pessoas com mais de 60 anos foram multiplicados por cinco. Também poderiam ampliar a idade máxima para contraírem empréstimos bancários sem aumento exorbitantes de juros, cobrados a título de seguros bancários.
A questão e fundo é o que fazer com esses 20 a 30 anos de vida que agora seguem com frequência a aposentadoria. Faltam ideias que cubram esse novo período. Não há um manual de instruções. Dispor de mais tempo livre para fazer tudo que o trabalho não permitiu fazer é uma das coisas positivas que vão à cabeça. Viajar, ler, cuidar dos netos, organizar-se para reivindicar melhorias nas condições de vida dos idosos....

Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?
Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?

Os idosos foram às ruas.

As recentes manifestações em alguns países europeus para reclamar pensões mais dignas são um sinal da vontade dos idosos de influir. Tradicionalmente considerados como inexistentes pelos políticos, os idosos exigem mais. Esse grupo de idosos que foi às ruas europeias eram tidos com pouca inclinação para as mudanças. Participavam menos. Isto foi rompido. Não só os "millenials" são diferentes, seus avós europeus também o são. Em sua juventude viveram com os Beatles e Rolling Stones e protagonizaram a transição a um mundo mais libertário. Puderam estudar mais que seus pais e viajaram mais. Deram a seus filhos muito mais comodidades. É, provavelmente, a geração de aposentados melhor preparada da história. E começa a ficar claro que não estão dispostos a renunciar ao compromisso político que marcou sua juventude. Essas sementes estão sendo plantadas no Brasil. Logo florescerão. Basta querer, pois sabem como fazer.
Os mais idosos chegaram às ruas para ficar e seus votos influirão no futuro, com maior intensidade que no passado. Serão os idosos que derrubarão as clássicas e bolorentas ideias de esquerda e direita. Na verdade, o próprio conceito de idade é que muda. Ser idoso não serrá o mesmo, mas tampouco o será ser jovem. Cada vez se verão coisas mais próprias da juventude em idades avançadas. O tempo de duração de uma vida se redistribui. Somos mais tempo jovens e, da mesma forma, começamos a ser velhos mais tarde e durante mais tempo.

Viveremos 100 anos. O que fazer com os 30 anos a mais?


E outra coisa de se pensar: vamos trabalhar aos 22 (depois da faculdade), trabalha 30 anos (ate 52) e depois vive mais 30. Isso quer dizer que enquanto trabalha nada menos que METADE do salario tem que ser poupado para ter uma aposentadoria comparavel com o salario medi que tive. Agora pagamos 11%, não 50...
Aquela conta não fecha. Ou teremos que trabalhar mais, ou pagar mais (inviavel) ou ganhar menos na aposentadoria (em Holanda 70% do salario, já que vai parar de gastar com combustivel, comer em restaurante, filhos na faculdade). Querer trabalhar 30 anos, contribuindo 11% de contribuição, e mesmo assim querer aposentadoria integral é inviavel, aquela conta não fecha nunca mais.
 
Marc em 19/08/2018 11:41:29
imagem transparente

Compartilhe

Classificados


Copyright © 2018 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.