A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 19 de Dezembro de 2018


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


01/10/2014 08:21

Quem casa quer casa?Não é boa ideia para jovens casais!

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Diz o ditado que quem casa quer casa, mas essa pode não ser a melhor saída para o bolso de jovens pombinhos.A decisão de comprar a casa própria (e boa parte das decisões envolvendo finanças) costuma ser influenciada pelas opiniões e exemplos de pessoas próximas, como familiares e amigos.O problema: falta planejamento. "Não é que ter a casa própria seja uma coisa ruim, mas a forma de comprar esse imóvel tem que ser melhor planejada", diz.Segundo Rojo, há um forte apelo emocional ligado à compra da casa própria, mas, na ponta do lápis, o sonho pode sair caro e virar um pesadelo."Na nossa cultura, é bem sucedido quem tem um imóvel próprio e carro na garagem, mas a pessoa pode morar de aluguel e ter um patrimônio enorme no banco e ser bem sucedida", diz. "O ideal é medir o sucesso não pelos bens, mas pela qualidade de vida."O que o jovem casal deve considerar antes de comprar a casa própria.

1 - Quando você está financiando um imóvel, o imóvel é do banco até você terminar de pagar: Se o contrato for feito seguindo as regras do SFH (Sistema Financeiro de Habitação), a partir da 3ª prestação atrasada o imóvel pode ir a leilão. Se o contrato foi feito seguindo as regras do SFI (Sistema Financeiro Imobiliário), se o cliente atrasar uma prestação, é notificado por cartório e tem um prazo para fazer o pagamento, que varia de acordo com o banco. Se não pagar, o imóvel vai a leilão.

2 - Começo de carreira + poupança pequena = entrada baixa + parcelas altas: Em geral, o jovem casal está no começo da carreira e, por isso, ainda não conseguiu juntar uma boa reserva financeira. Desse modo, tendem a contratar um financiamento imobiliário dando uma entrada muito pequena. Isso faz o financiamento ser de longo prazo, coisa de 30 anos, e joga o valor das parcelas lá para cima.

3 - Os juros do financiamento podem fazer o imóvel custar até o dobro: É preciso fazer as contas e comparar o valor final com o valor inicial do imóvel. Basta multiplicar o número de prestações pelo valor da prestação. No final do financiamento, o casal pode acabar pagando mais que o dobro do valor original do imóvel. "Para a maioria dos jovens casais, a conta não fecha", diz o planejador financeiro Janser Rojo.

4 - Os juros são baixos, mas incidem sobre um montante alto e por muito tempo: Os juros da compra imobiliária são os menores do país se comparados com o de financiamento de carro ou crédito pessoal, por exemplo. Porém, eles incidem sobre um valor muito alto e por um período mais longo.

5 - Ficar comprometido com o sonho do longo prazo ou ser feliz no presente?Antes de financiar um imóvel, o jovem casal também precisa avaliar se a parcela do financiamento cabe no seu orçamento e ainda deixa uma reserva para emergências, como consertar o carro, e também para o lazer, como fazer uma viagem. "Se não, o casal fica infeliz porque não consegue se divertir no dia a dia", diz o planejador financeiro Janser Rojo.

6 - Vocês estão prontos para ficar presos àquele local e àquele tamanho do imóvel?O casal pode ter filhos e o imóvel que era bom para dois não será suficiente para a família toda. Ou, então, um dos dois é transferido ou arruma um trabalho melhor que fica do outro lado da cidade. "Se você tem um imóvel na zona Norte e começa a trabalhar em outra região de São Paulo, por exemplo, isso pode reduzir muito sua qualidade de vida", diz o planejador financeiro Janser Rojo.

7 - Qual o momento certo de se fixar em um lugar?Para a família que não está totalmente constituída ou está no início de carreira, a compra de um imóvel pode tirar flexibilidade. O momento adequado para se fixar em um lugar, segundo o consultor Janser Rojo, é quando o casal não planeja mais ter filhos, a carreira já está bem consolidada, os dois já se sentem satisfeitos em suas profissões.

8 - Pagar aluguel e investir a diferença pode ser a melhor saída: "Se você paga um aluguel, com certeza sai mais barato que o valor da prestação do financiamento", diz Janser Rojo. Ele aconselha pegar essa diferença e investir. O valor vai render e poderá ser usado, no futuro, para dar uma entrada maior num imóvel, reduzindo o valor das parcelas e dos juros. Provavelmente, o casal conseguirá comprar seu imóvel mais rápido do que financiar.

Fonte: Janser Rojo, planejador financeiro e sócio da Soma Invest.
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas conseqüências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen – Criador do portal www.mayel.com.br

Nunca coloque todos os ovos na mesma cesta, inclusive na vida!
Você já deve ter ouvido muitas vezes aquela frase das finanças que diz que não se deve colocar todos os ovos na mesma cesta. Quando se trata de inves...
13º salário: 6 dicas para usar de forma sábia o dinheiro
Esta época do ano é uma das preferidas dos comerciantes e também de quem ganha o 13º salário. Fica fácil, inclusive, perceber a alegria estampada nos...
12 decisões financeiras para 2019
Em breve começa dezembro e todos aqueles artigos falando sobre metas, sonhos, e o que conseguimos ou não fazer ao longo do ano que passou, não é verd...
O outro lado do consumismo e as maravilhas do capitalismo
Ser contra o comércio é ser contra a própria vida. A importância da poupança, da frugalidade e da prudência é inquestionável, pois estes são alguns d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions