ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SÁBADO  20    CAMPO GRANDE 30º

Manoel Afonso

As definições políticas dividem as cidades

Por Manoel Afonso | 30/03/2024 10:15

NUNCA MAIS! Os 373.712 mil eleitores que elegeram Soraya Thronicke (Podemos) tem novo motivo para se indignarem. A senadora destinou R$ 8 milhões para uma (pasmem!) ONG carioca voltada a agricultura familiar. Nestas eleições Soraya é persona non grata nos 78 municípios. Daí ela deve-se manter distante dos palanques. Só atrapalharia.

‘RENOVAÇÃO’:  Sob a influência desse discurso e bandeira o eleitor deste Brasil já cometeu bobagens sem tamanho e que custaram caro a cada um de nós - nas Câmaras, Prefeituras, Câmara Federal, Senado e no Planalto. O caso da Soraya é emblemático no combate as temidas decepções e surpresas. Como se diz: Ela não!!!!

AGEPREV:  São quase 80 mil servidores e pensionistas, A previsão de gasto superior a R$ 4 bilhões em 2024 e com déficit de quase R$ 12 bilhões. Para evitar rombo maior, o Estado injeta perto de R$3 bilhões por ano a mais de sua cota obrigacional. Conclusão: reduzir hoje a cota de 14% dos aposentados seria inviável segundo o Governo.

JUÍZO:  Pés no chão, o presidente da Alems – deputado Gerson Claro (PSDB) lembra que a iniciativa para reduzir a contribuição previdenciária é exclusiva do Executivo. Pelo PL a ser proposto, será pago abono de R$300,00 para quem ganha até o teto do INSS. Quem fatura 3 salários (4.236,00) e recolhe R$593,00 para a Previdência terá a compensação de quase 50%.

‘AMIGOS DO...’: Veículos já circulam com adesivos de pretensos candidatos a vereança na tentativa até ingênua de propagar nomes. Na maioria das vezes trata-se de pessoas de condições aquém que o cargo exige. Mas a pratica faz parte do jogo onde os ‘pretendentes’ não percebem que estão sendo usados pelos seus incentivadores.

CORUMBÁ-DOURADOS:  Nem ‘Mãe Diná’ advinharia. Dr. Gabriel A. Oliveira sai do MDB, ingressa no PSB do deputado Paulo Duarte com aval do PSDB e é candidato a prefeito tendo como vice a ex-deputada federal Bia Cavassa (PSDB). Em Dourados o vice governador Barbozinha volta ao cenário pelo PSD e é candidato a prefeito.

LUCIMAR PIONEIRO:  Hoje temos mais de duzentos sites de notícias. Mas tudo começou com jornalista visionário Lucimar do Couto ao criar o Campo Grande News, onde nossa coluna é publicada há mais de 20 anos. Nesta semana o site mudou para casa nova.  O Campo Grande News inaugurou uma nova fase do jornalismo de MS.

CAMINHO-1: Tenho ouvido políticos, colegas e assessores sobre a posição do PT nas eleições da capital. O deputado federal Vander Loubet (PT) defende o protagonismo da  sigla na capital e em Dourados – de olho em 2026. Ele critica a gula do PSDB e deixa a fresta para caminhar com com Rose Modesto, (União Brasil), que é da base do Governo.

CAMINHO-2:  O PT trabalha com vários institutos de pesquisas avaliando a aceitação e a rejeição de todos nomes possíveis. Pelos números sabe-se das dificuldades da   deputada Camila Jara (PT) num eventual 2º turno devido ao eleitorado conservador da capital. Esse parece ser o xis da questão. O próprio Vander reconhece isso.

CAMINHO-3: É questão resolvida de que o PT não aceita conversa com o MDB de Puccinelli por questões históricas. Aliás, os petistas tem a avaliação do potencial e da rejeição oceânica do MDB nas pesquisas qualitativas. Quanto as chances de acerto com o PSDB não há clima para estender a parceria que o PT tem na administração Riedel.

CAMINHO-4: Vander olha na eleição ao Senado em 2026 e quer construir bases  em Campo Grande e Dourados principalmente. Tentará usufruir  das obras do Governo Lula e sabe que a aproximação do senador Nelsinho (PSD) com  o Governo Estadual e ao PSDB reforçará a concorrência. Nelsinho deve ser parceiro de Reinaldo (PSDB) para o Senado.

SENADO:  No sexto mandato na Câmara, Vander mira o Senado. Sabe -  terá que mostrar serviço. É sabedor das dificuldades devido a postura conservadora de outros protagonistas do cenário político. Dependerá do ‘padrinho Lula’ para conquistar uma cadeira também disputada por Azambuja e Nelsinho. Como diria Napoleão Bonaparte: ‘très compliqué’.

REPRISE: Como é de hábito nestes meses que antecedem os pleitos municipais, vereadores, prefeitos e candidatos transitam pela Assembleia Legislativa. Com seus deputados eles tratam de detalhes sobre o quadro eleitoral de suas cidades. No papo com eles ouvi aquela velha reclamação: o alto custo da campanha.

SEM HIPOCRISIA: Político experiente nas narrativas políticas de sua cidade com menos de 6 mil habitantes lembrava: ‘quanto menor o colégio eleitoral, maiores as   chances do voto custar mais caro’. Precavidos, os candidatos priorizam os votos mais baratos no início da campanha. Os mais caros, de eleitores indecisos, ficam para o final da campanha. É assim.

DIVIDIDAS: Basta a confirmação das candidaturas a prefeito para que a divisão social das cidades ocorra. Não se compra no supermercado e farmácia do adversário; até ao abastecer o carro se prestigia o companheiro - assim por diante. Convidar um adversário para ser padrinho de casamento da filha? Nem pensar. Até nos velórios é visível os efeitos da opção política.

JANELA PARTIDÁRIA: Ela vem sendo aproveitada na capital e interior. Ela termina no dia 5 e até agora 16 vereadores de Campo Grande já mudaram de partido. PP e PSDB, com 8 e 7 edis respectivamente, seguidos pelo MDB com 3 - devem ter as maiores bancadas. Evidente que em nenhum dos casos o eleitor não foi consultado.

ANÁLISE: Partido político virou lenço de papel: após ser usado ele é simplesmente descartado. A legislação muda para satisfazer os interesses questionáveis sem a preocupação de transmitir à sociedade organizada a devida cultura. Eu pergunto: será que os políticos já leram o estatuto de suas respectivas siglas partidárias? Duvido.

VACAS MAGRAS: Hoje o PSDB tem apenas um senador e 13 deputados federais. Em 2020  disputou em 12 capitais e venceu em apenas 4 delas. Neste pleito o partido deverá ser cabeça de chapa entre 8 e 10 capitais. O alvo é se fortalecer para a disputa nacional em 2026, embora esteja perdendo nomes para o bolsonarismo.

RENATO DE FARIA: “ ( )...A ignorância, em si, não é lá um grande problema. Há quem diga que os ignorantes são até mais felizes (particularmente, às vezes até penso  que sim...( )...O problema mesmo  é o ignorante com iniciativa, o burro convicto. E geralmente é esse o problema em relação a ignorância: seu potencial destrutivo...( )”. (Estado de Minas)

PILULAS DIGITAIS:

Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo. (Lucas 23:34)

O pior do alpinismo é a volta. (Leon Eliachar)

Emmanuel Macron e Nicolas Sarkozy; diferentes até nas mulheres. (internet)

58% dos brasileiros contra o fim da reeleição, ou seja, gostam de sofrer a longo prazo. (internet)

A maldade é uma carta que sempre volta para o remetente. (facebook)

Construímos muros demais e pontes de menos. (Isac Newton)

O que mais sinto falta é de banca de revista... Sem ela me sinto tecnicamente morto. (jornalista Laureano Secundo)

Nos siga no Google Notícias