ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 20º

Manoel Afonso

O potencial e desafios dos seis pré-candidatos

Por Manoel Afonso | 03/06/2022 07:26

FALAR & FAZER: Do festejado livro ‘Sem Data Vênia: Um olhar sobre o Brasil e o Mundo”, de autoria do ministro Luiz Fernando Barroso (STF) selecionei para registro as suas últimas três linhas: “Não importa o que esteja acontecendo a sua volta: faça o melhor papel que puder. E seja bom e correto, mesmo quando ninguém estiver olhando. ”

DESAFIOS: Denominados ainda como pré-candidatos, os futuros postulantes ao Governo Estadual já estão a caça de votos. Paralelamente vão negociando apoiamentos para viabilizar chapas competitivas e pinçando nomes para vice-governador, Senado e suplências. Mas cada qual com seu estilo e potencial para tentar superar os desafios na  campanha.

ANDRÉ PUCCINELLI: Currículo com mandatos no Legislativo Estadual e Câmara Federal, prefeito de Campo Grande e governador também por 2 mandatos. Seu discurso centrado no binômio competência e experiência. Mesmo absolvido na justiça terá que dar explicações convincentes de sua prisão por denúncia de corrupção. Outro desafio: agregar novas lideranças ao envelhecido MDB.

CAPITÃO CONTAR: Aceitou o risco de trocar sua reeleição praticamente assegurada para a Assembleia Legislativa por um embate contra nomes experientes e conhecidos. O desafio é justificado pela sua lealdade ímpar ao presidente Bolsonaro e para viabilizar o projeto trocou o PSL pelo PRTB. Sem grupo, não deu pistas dos nomes que irão acompanhá-lo. Homem de coragem.

EDUARDO RIEDEL: Vitorioso na iniciativa privada, inclusive na Famassul, é tido como responsável pelo bom desempenho do Governo do Estado através de sua secretaria. Com discurso técnico promete dar às questões sociais o mesmo olhar voltado ao setor econômico/produtivo. Tem o aval do governador Reinaldo e o seu PSDB governa a maioria dos municípios, onde reside sua maior força.

DEPUTADOS & AÇÕES: Paulo Corrêa (PSDB) aprovado seu projeto (em parceria com Amarildo Cruz) criando a Comenda Asa Branca para homenagear pessoas nascidas no nordeste ou seus filhos com serviços relevantes prestados. Zé Teixeira (PSDB) seu projeto declara de utilidade pública estadual a Associação Paradesporto de Alto Rendimento Monte Sião, em Dourados. Lucas de Lima (PDT) aprovado em 2ª votação projeto ‘Julho Sem Plástico’ que foi à sanção do Governo; é seu projeto que institui e inclui no Calendário de Eventos do Estado o ‘Dia do Vacinador’. Gerson Claro (PP) comemora os investimentos de R$ 6.159.625,53 que pediu para recuperar 40,5 km de estradas vicinais em Sidrolândia; R$ 6.681.652,98 para recuperação de 95,9 km de estradas em Nova A. do Sul e R$ 6.043.199,36 de 45,2 km de  estradas vicinais em Costa Rica. Neno Razuk (PP) esteve em Bodoquena onde destinou R$ 50 mil para a educação; visitou Rio Verde que recebeu emenda de R$ 120 mil para a saúde; solicitou ao Governo envio de cobertores e agasalhos para a população carente de Coxim.

GISELLE MARQUES: Sairia (em tese) do patamar de 10,26% que o PT obteve em 2018 com Humberto Amaducci. A missão seria garantir o palanque local do PT ao pré-candidato Lula ao Planalto e viabilizar as bancadas estaduais e federais. Se o clima nacional for favorável ao PT, a previsão é que seja beneficiada. Mas falta-lhe pegada e carisma.

MARCOS TRAD: Passou pela Câmara de Vereadores, Assembleia Legislativa, eleito por duas vezes prefeito de Campo Grande. Contrariou as previsões renunciando ao cargo para disputar o Governo. O fato deverá constar na agenda de debates ao longo da campanha como ele vem abordando nas entrevistas. É a grande aposta do PSD em nível de Brasil. Tem o DNA da política.

ROSE MODESTO: Uma estrela em contínua ascensão por mérito pessoal. Mesmo na adversidade das urnas ela acabou colhendo dividendos e se firmando na liderança. Quem imaginou que ela estaria blefando perdeu. Pré-candidata, percorre as cidades do interior e já tem nomes interessantes para acompanha-la na empreitada. Garra e simpatia.

VOLTA POR CIMA: Do fundo do poço após a gravação com Joesley Batista, Aécio Neves se elegeu, com dificuldades, deputado federal. Após fritar João Dória, virou protagonista ao responder as críticas de Lula – segundo as quais o ‘PSDB acabou’. Aécio vai comendo pelas beiradas e pelos números da ‘Paraná Pesquisas’ já seria o líder para o Senado em Minas Gerais.

LUTO & POLÍTICA: As mortes do ex-vereador Fausto Mato Grosso e da ex-primeira dama da capital Ruth Martins (Plínio B. Martins) atraíram personalidades e políticos de todas as matizes ao Cemitério Parque das Primaveras. Apesar das máscaras anti-Covid era possível ouvir referências a fatos e nomes envolvidos nas eleições. Aliás, velório em ano eleitoral tem essa característica.

AÇÕES & DEPUTADOS: Mara Caseiro (PSDB) solicita a reforma do prédio da sede da AGRAER em Mundo Novo; requer a instalação de posto policial no local  conhecido como Recanto dos Pintados em Corguinho; pede ao Estado a reforma das cabeceiras das pontes do Córrego dos Macacos e Mimoso em Paraíso das Águas. Capitão Contar (PRTB) já destinou R$ 240 mil  em emendas para a saúde de Coxim, viabilizando compra de veículo para o Hemosul e medicamentos de alto custo; atento a aplicação de recursos públicos para a população carente. Antonio Vaz (REP) Comemora o sucesso da campanha ‘Driblando a Fome’ que arrecadou 60 toneladas de alimentos entregues aos carentes do Estado; atento as campanhas de vacinas imunizatórias no Estado. Marçal Filho (PP) está na CCJR seu projeto criando a reeducação do autor de violência doméstica; criticou aumento do pedágio na BR-163; critica ritmo das obras de duplicação da BR-463 entre o Trevo da Bandeira e o Hospital Regional de Dourados. Pedro Kemp (PT) na tribuna abordou o episódio  de violência envolvendo PRFs em Sergipe divulgado na mídia e deu ênfase ao comportamento racista daquelas autoridades federais. Defende as minorias.

TRAIÇÕES: Olhe nos carros e perceba que o festival de traições já começou. O eleitor não usa o adesivo com os nomes dos candidatos aos cargos majoritários e proporcional do mesmo partido. Na maioria dos veículos só tem o nome do candidato a deputado estadual ou do candidato a governador. Ambos candidatos no mesmo adesivo é raridade.

BRIZOLA dizia que ‘a política gosta de traição, mas odeia o traidor’. Nem mesmo as fortunas à disposição dos partidos evitarão que candidatos sejam abandonados. É certo que a cláusula de barreira e o fim das coligações proporcionais devam contribuir para infidelidade a candidaturas nacionais, principalmente. Ninguém é de ninguém!

MIRANTE: Vereadores do interior e da capital surfando na onda midiática das eleições. De Campo Grande seis deles vão tentar a Câmara Federal e outros 16 postularão uma cadeira na Assembleia Legislativa. Independentemente do sucesso da tentativa, eles serão beneficiados pela divulgação de seus nomes para futuras disputas. Sem dúvida.

FOGO DUPLO: A pré-candidata Rose Modesto (União Brasil) deverá contar com 2 postulantes ao Senado: Sergio Harfouche (Avante) e Luiz H. Mandetta (União Brasil). Com isso vão tentar minar as bases eleitorais da ex-ministra Tereza Cristina, declarada pré-candidata ao Senado. Como se diz: o jogo é bruto, mas não deixa de ser interessante.

DEPUTADOS & AÇÕES: José C. Barbosa (PP) em Angélica iniciadas obras na Av. Franscico Marcolino a seu pedido; repudiou o anúncio de que haverá majoração do pedágio na BR-163; pediu instalação de Corpo de Bombeiros em Itaporã. Paulo Duarte (PSB) autor de moção de congratulações ao ‘Grupo Pantera’ idealizado pelo Instituto Homem Pantaneiro de Corumbá – pelo combate aos incêndios na Serra do Amolar e adjacências; ativo nas sessões e reunião da CCJR.  Amarildo Cruz (PT) aprovado seu projeto reconhecendo as feiras livres como atividade essencial em tempos de crises por moléstias diversas; repudiou a política de preços dos combustíveis. Lídio Lopes (Patri) como presidente nacional da UNALE esteve no Ministério da Cidadania assinando termo de acordo de cooperação técnica que abrange vários setores da sociedade. Evander Vendramini (PP) pede a Sanesul viabilização técnica de levar água à várias famílias de Porto Murtinho, próximas a BR 267; seu projeto denomina ‘Silvio Sanchez Melhado’, a MS-438 entre o entroncamento da BR-060 e a MS-351 em Ribas do Rio Pardo.

NO PALCO: Ao criticar os governadores por não reduzir o ICMS dos combustíveis, ao culpar a Petrobras na política de preços, Bolsonaro quer mostrar aos pobres que ao menos tenta conter a inflação. Na prática é outra história! Mas bobagem mesmo foi ele sair em defesa dos Policiais Rodoviários Federais e dos cantores ‘breganejos’ que faturam em shows com grana das emendas secretas do Congresso através das prefeituras.

PROBLEMAS: Não faltam à pré-candidata ao Planalto Simone Tebet. Encontrar um companheiro que efetivamente acrescente algo mais e vencer os coronéis do MDB são tarefas complicadas. Aqui as manifestações de apoio são tímidas, inclusive dentro de seu partido.  Um observador de Três Lagoas – por exemplo – jura de pés juntos de que ela teria remotas chances de vencer naquele torrão.

ZUMBIS: Eles são ignorados pelos políticos. O motivo é simples: eles não votam! Perderam a própria identidade existencial, os laços familiares e sociais. Estão morando em nossas ruas (perto do Mercadão) e nas marquises de prédios comerciais. Ações paliativas existem, mas o número de moradores de rua na capital vem aumentando. Até quando?

FERIDAS: Algumas delas previsíveis na campanha eleitoral. Com tantos pré-candidatos – impossível que alguns assuntos não aflorem nos debates. A construção do Aquário do Pantanal seria um deles. A propósito, em suas andanças pelo interior, o pré-candidato Marquinhos Trad foi perguntado se ele seria contra ou a favor da obra do aquário. Comedidamente respondeu: “Não sou contra, mas não era prioridade. E só os peixes ficaram presos no Aquário”.

Nos siga no Google Notícias