A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Março de 2019

12/03/2019 08:30

Com segurança total, Beneprev garante acesso aos benefícios previdenciários

A empresa de consultoria e assessoria previdenciária tem equipe especializada que pode, inclusive, ir até sua residência.

Post Patrocinado
(Foto: Divulgação)(Foto: Divulgação)

A burocracia e as dificuldades para conseguir aquele benefício previdenciário estão com os dias contados. A  Beneprev - Consultoria e Assessoria Previdenciária tem equipe especializada para resolver todas as pendências para que você consiga obter seu benefício com segurança jurídica, mesmo que tenha sido negado, suspenso ou cancelado.

Com equipe especializada em direito previdenciário, os profissionais atuam de forma ostensiva desde a avaliação das condições de cada cliente, levantamento de documentação e laudos e entrada de processos junto ao INSS.

A Beneprev atua na obtenção de benefícios previdenciários de todas as espécies, como aposentadoria, aposentadoria por invalidez, Loas (Lei Orgânica de Assistência Social), auxílio doença, auxílio reclusão, salário maternidade, pensão por morte, além de ações trabalhistas, como reintegração de mães que foram desligadas das empresas enquanto gestantes.

Localizada no centro de Campo Grande, a Beneprev tem o diferencial de ter um local acessível para seus clientes. Mas, para aqueles que têm dificuldade de locomoção, os profissionais também fazem visitas domiciliares. “Pretendemos levar comodidade e conforto, porque nós entendemos a necessidade de locomoção das pessoas”, explica Alexandro Alves, proprietário da empresa.

“A partir do momento que avaliamos a possibilidade do benefício, nossos consultores se deslocam até a residência do requerente e então procedem com o levantamento da documentação e o requerimento dos processos. Quando há concessão, a parte mais difícil para o cliente é só receber”, garante. Ainda, os profissionais da Beneprev também se deslocam para outras cidades, atendendo clientes no interior do Estado.

Há mais de 4 anos atuando na área, Alexandro avalia que os problemas mais recorrentes em relação a benefícios negados ou suspensos são a falta de informações e documentos, como informações de cadastro ou vínculo de emprego que não foi transmitido pela empresa em que o requerente trabalhou.

“Nós identificamos isso no momento da abertura do processo. Havendo a necessidade, temos uma equipe que vai até a empresa para obter informações para que possamos vincular os dados cadastrais para que haja concessão legítima do direito daquele requerente”, explica Alexandro.

Mesmo para quem já deu entrada com o pedido de algum tipo de benefício que foi negado, ou após receber, aconteceu a suspensão ou cancelamento renda, a Beneprev tem a solução. “A gente entende essas questões. Nós fazemos um estudo em relação a aplicação do processo e qual a maior viabilidade em relação a isso”, esclarece o profissional.

Alexandro Alves, proprietário da empresa. (Foto: Kísie Ainoã)Alexandro Alves, proprietário da empresa. (Foto: Kísie Ainoã)
 Anália Pereira dos Santos, após tentar diversas vezes, hoje conseguiu seu benefício com a ajuda da Beneprev. (Foto: Kísie Ainoã) Anália Pereira dos Santos, após tentar diversas vezes, hoje conseguiu seu benefício com a ajuda da Beneprev. (Foto: Kísie Ainoã)

É o caso de Anália Pereira dos Santos, de 58 anos, que sempre trabalhou como empregada doméstica e devido a um problema de mobilidade, se viu impedida de continuar suas atividades. Ela conta que tentou o Loas pela primeira vez em 2015 e, apesar de várias tentativas com outro profissional, sempre teve o benefício negado.

“Achei que não ia mais dar em nada. Não conseguia mais andar, o músculo foi atrofiando, não tinha como trabalhar, sempre comprando remédio”, conta. Mas em janeiro conheceu os trabalhos da Beneprev através de indicação de outro cliente e hoje já recebe o recurso advindo da Loas.

Alexandro conta que, ao assumir o processo de Anália, identificou uma série de falhas no momento das avaliações, como falta de informações em relação aos dados cadastrais e condição clínica. “Percebi que era necessário demonstrar os efeitos que ela teve em decorrência de medicamentos, tratamentos em relação à mobilidade. Com as alegações que fizemos, houve deferimento e ela recebeu o benefício retroativo por meio de recurso”, detalha ele

A manicure Mari Analy Azevedo Rios, de 35 anos, foi diagnosticada com Lúpus - uma doença autoimune - há quatro anos, que afetou seus rins, visão e causou artrite reumatoide. Ela recorreu a um escritório para tentar o auxílio-doença, mas todas as vezes em que passou pela perícia, teve o benefício negado.

“Eu tive uma crise muito forte, o Lúpus afetou meu rim, e precisei fazer quimioterapia para não precisar fazer hemodiálise. Minha imunidade baixou e precisei parar de trabalhar, pois eu não podia ficar em um ambiente com muita gente”, relata Mari, que conheceu a Beneprev através de uma colega de trabalho.

“O Alexandro foi até a minha casa, expliquei toda a situação pra ele, passei toda a papelada que ele precisaria, alguns laudos que eu já tinha. Num instante ele conseguiu o auxílio-doença, em menos de 3 meses eu comecei a receber. Pude ficar em casa e fazer o tratamento”, diz ela.

Mari teve o benefício suspenso, mas Alexandro conta que a Beneprev já entrou com recurso para reverter a situação. “Alegamos que é necessário considerar as condições clínicas dela, pois, em uma linha do tempo, a condição dela atual é a mesma desde o início, então ela merece continuar recebendo o auxílio-doença”, justifica. “Todo esse suporte a gente garante até os últimos atos possíveis admitidos no direito”, adiciona ele.

Mari Analy Azevedo Rios, conseguiu receber o auxílio doença. (Foto: Kísie Ainoã)Mari Analy Azevedo Rios, conseguiu receber o auxílio doença. (Foto: Kísie Ainoã)
Dayanne Garcia de Almeida realiza a coleta de dados juntamente com o cliente. Dawison Almeida é quem trabalha lado a lado com Alexandro fazendo a linha de frente da empresa. (Foto: Kísie Ainoã)Dayanne Garcia de Almeida realiza a coleta de dados juntamente com o cliente. Dawison Almeida é quem trabalha lado a lado com Alexandro fazendo a linha de frente da empresa. (Foto: Kísie Ainoã)

Para casos como de Anália e Mari, a Beneprev conta com um corpo jurídico, que cuida das ações de demanda judicial. “Havendo necessidade dessa condição judicial, esgotam-se todas as vias legais”, reforça Alexandro. Entretanto ele afirma que há poucos casos como esses, pois “no momento da avaliação, identificamos qual necessidade melhor se aplica àquele benefício. Normalmente não há uma demanda judicial, somente os atos processuais previdenciários”.

O tempo para o requerente passar a receber o benefício é relativo, pois depende da complexidade de cada caso, mas a Beneprev estima um tempo médio de 3 a 4 meses.

“Nós arcamos com os custos de emolumentos, cartórios, transporte, viagem, porque entendemos que a pessoa pode não ter disposição financeira. Somente no ato da concessão é que ele paga os honorários”, afirma Alexandro. A forma de pagamento também é avaliada de caso a caso, podendo haver parcelamento.

São vários profissionais que estão na linha de frente na Beneprev e realiza o atendimento inicial, coletando as primeiras informações e fazendo os agendamentos. Dawison Gomes de Almeida, atua lado a lado com Alexandro fazendo a linha de frente da empresa. “Nós vemos a necessidade e as dificuldades das pessoas, inclusive de deslocamento, para conseguir documentos. Fazemos o máximo para que os clientes não precisem se descolar. Nossa função é facilitar e agilizar o trabalho”, enfatiza.

A Beneprev fica na avenida Afonso Pena, 1927, Centro - Galeria Afonso Pena, sala 49, térreo. Os telefones para contato, com WhatsApp, são (67) 99236-5099 / 99334-2575 / 99197-3254.

Para saber mais, visite o site, o Facebook e o Instagram.

imagem transparente
Busca

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.