A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 17 de Agosto de 2018

28/03/2017 15:49

"Só para provocar mesmo", tiraram a roupa e dançaram em plena luz do dia

Rafael Ribeiro
Henrique Lucas durante a polêmica filmagem na antiga rodoviária nesta manhã (Foto: Direto das Ruas)Henrique Lucas durante a polêmica filmagem na antiga rodoviária nesta manhã (Foto: Direto das Ruas)

A gravação de um vídeo de "nu artístico" feito por um professor de dança de Campo Grande, em plena manhã desta terça-feira (28), na antiga rodoviária, região central, causou alvoroço entre comerciantes vizinhos e pessoas que passavam pelo local na hora.

Imagens enviadas por leitores ao Campo Grande News mostram o momento em que Henrique Lucas, conhecido pelas intervenções artísticas e culturais que realiza na cidade, aparece sem roupas em uma das sacadas externas do piso anterior do prédio, localizado na região central da Capital.


“É parte de um projeto chamado 'InternaSombra', meu, do amigo Marcos Gautto (ator e coreógrafo da cidade) e uns universitários, de intervenção e performance de rua”, argumenta Lucas.


Segundo o professor, são feitos vídeos das performance dele e de Gautto. “É toda a galera universitária produzindo”, disse.


Uma amiga do professor diz que a ação é “para causar espanto mesmo”. “As pessoas associam o nu à ‘putaria’, ao pornográfico, mas nem tudo é obsceno. É algo muito legal que estavam fazendo por lá, para chocar a sociedade mesmo, mas sem vulgaridade”, alega.


A funcionária de uma lanchonete na frente da sacada gostou. Por telefone, disse que a “região parou” para ver os artistas dançarem.


“Nem deu pra ver nada demais. O pessoal exagera mesmo. Mulher pode sair por aí dançando pelada, homem não? Deixa os meninos. São bonitos e talentosos”, defende.


Funcionários de uma agência dos Correios também minimizaram a questão. “Deu pra ver ele pelado, mas quem se importa? O que é bonito é para se mostrar”, brinca um deles.


Quem não aprovou a intervenção é a síndica do prédio da antiga rodoviária, Rosane Mely de Lima. Avisada pela reportagem da ação, disse que os jovens não pediram autorização para usar o espaço interno do condomínio e que punirá os responsáveis se tiverem loja no local.


“Eu sei que tem muito artista que aluga salas no condomínio, mas ninguém pediu nada para mim. E tem que pedir autorização. A gente pode entrar com um processo por utilizarem as dependências”, explica.

Para ela, esse tipo de ação serve para prejudicar a imagem da administração. “Infelizmente existem pessoas folgadas que não respeitam nada e usam esse tipo de coisa para queimarem a gente”, completa.

Direto das Ruas – A sugestão acima foi feita por leitor, via aplicativo WhatsApp pelo canal Direto das Ruas, um meio de interação entre a redação e o leitor, por onde podem ser enviados flagrantes, sugestões de matérias, notícias, fotos, áudios e vídeos. Seja um colaborador via WhatsApp pelos números (67) 99687-7598 ou (67) 99955-2040.



Se algo choca a sociedade é porque a coisa é putaria, pornográfica, obscena e vulgar. Esses vermes deveriam respeitar, pois o local e o horário são frequentados por crianças. Tenho uma filha de 3 anos e garanto que eu empurraria esse marginal lá de cima, se ela presenciasse isso. Tem mais, a segurança pública é responsabilidade do Estado e não do condomínio.
 
Ricardo Pereira em 29/03/2017 08:45:46
Engraçado né? A síndica não gostou da atuação artística, mas não se importa com a quantidade de drogados, prostitutas e vagabundos que transitam o tempo todo por lá, tornando a vida de quem tem que transitar por aquela região um risco né? Isso sim, prejudica a imagem do lugar, que já não tem nada de bonito pra mostrar... um prédio feio, descuidado, praticamente abandonado. O que tem feito de bom essa síndica pelo lugar? Pelo menos os meninos usaram a degradação daquele lugar pra alguma coisa útil e bonita.
 
Mariana Carvalho em 29/03/2017 07:54:51
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions